Como falar sobre MATEMÁTICA em INGLÊS | ft. Matemática Rio

Olá pessoal Hoje vamos falar de matemática No meu canal falo de curiosidades, curiosidades matemáticas Matemática básica, matemática do ensino médio, cálculo Tudo sobre matemática Paródias! Você vai aprender matemática e você terá um tempo de entretenimento YEEEAAAH !!!!! Eu amo isso! Tempo divertido Bom Bom! Então, notei que além de amar a matemática, você também ama idiomas, certo? Sim, eu sei inglês e sei espanhol também E como você aprendeu essas línguas? Por mim mesmo! Jogando videogames, ouvindo música, assistindo filmes com legendas em inglês Isso ajuda muito

E como você melhorou sua fala? Ao hospedar pessoas de todo o mundo – Eu hospedei pessoas na minha casa – Realmente? – No Rio, certo? Então você tem muitos turistas lá – Sim Eu hospedei cerca de 200 pessoas em minha casa – Vamos, 200 cem ?! – 200 centenas! Você se lembra deste número? Boa! – Gooood! Excelente!! – Ah sim, estou bem Você é bom! Excelente, vamos lá! Exatamente, muito bom! Então vamos falar sobre as operações de matemática agora Rafa Quais são as quatro operações matemáticas básicas? Nós temos: adição, subtração, multiplicação e divisão – Estes são os quatro básicos, mas nós temos outros – Ok Temos, por exemplo, porcentagem Nós temos frações Nós temos exponenciais – Nós temos logaritmos – Ok – Nós temos raízes quadradas – Raiz quadrada Então, vamos falar sobre adição Adição porque adicionamos algo Quando você vai ao Facebook por exemplo e adiciona alguém Às vezes você diz "eu adiciono" Adicionar no Facebook Dois adicionam dois Por exemplo É igual a 6 ou é 6 Exatamente! Algumas pessoas Tem algumas pessoas aqui Então, qual é a soma de dois e dois? – Quatro – Quatro, exatamente – Então, vamos falar sobre subtrações – Subtrações Quanto é Menos, menos dois Menos, menos é mais Então são seis! Então agora vamos falar sobre a terceira operação matemática que é a divisão Divisão! Vamos lá E como se diz "dividido por dois" Dividido por Ou, se é uma fração, podemos dizer dois mais de dois É a mesma coisa que um Multiplicação! Duas vezes dois é igual a quatro E você tem alguma dica para memorizarmos a tabela de horários? Porque algumas pessoas podem achar difícil – O vídeo mais visto do meu canal, é o que eu ensino como memorizar uma tabela de horários – Ah bom! Na verdade, você não precisa memorizar a tabela de tempos Porque você já sabe disso Eu faço? Porque você só tem que saber a tabela de tempos de um, dois, cinco e dez Diga-me mais sobre isso – Por exemplo, se você tem sete vezes oito, o que quase ninguém sabe

Quanto isso custa? – Sim, tenho que pensar muito Então você pode transformar o sete em cinco mais dois Cinco mais dois são sete E então você aplica a propriedade distributiva – Cinco vezes oito e duas vezes oito – Ok Cinco vezes oito? Quarenta! – Duas vezes oito? Dezesseis – dezesseis – Então são sessenta Ok – Agora você adiciona – Quarenta mais dezesseis, cinquenta e seis – Cinqüenta e seis Muito fácil É um truque legal Você só tem que saber a tabela de tempos de um, dois, cinco e dez Dezenove vezes oito Bem, eu posso transformar os dezenove em vinte menos um Tudo bem E agora propriedade distributiva Vinte vezes oito é cento e sessenta Uma vez oito é oito Então agora você subtrai Cento e cinquenta e dois Subtração agora Duzentos e cinquenta menos trinta e quatro São duzentos e dezesseis Excelente! E agora, além disso, ok? O último Mil e vinte e cinco mais trezentos e cinquenta Então são mil trezentos e setenta e cinco Exatamente bom! – Eu acho que ele é bom – Muito obrigado! Ah sim, dois desafios O primeiro é o mais fácil – Pause o vídeo que você pause o vídeo, tente fazer isso – Pause o vídeo Agora o segundo é um desafio aritmético para você Então nove menos três dividido por um terço mais um Quanto isso custa? Eu não faço ideia Então muito obrigado Rafa por me ajudar com esse vídeo Muito obrigado por me convidar para fazer este vídeo com você Estou muito feliz e estou surpreso porque o seu inglês é ótimo! Parabéns Muito obrigado professor

Sua matemática também é ótima Só pelo mais fácil, porque o outro eu tenho que pensar muito, eu não sei – Apenas o básico -Sim, apenas o básico Então, eu espero que você goste desse vídeo Se você gostou desse vídeo, assine "English in Brazil" e "Mathematics River" ESTAMOS JUNTOS! Estamos juntos sim! Tchau tchau, até mais!

Trabalho de Língua Portuguesa sobre oração subordinada substantiva subjetiva (2015)

Olá, pessoal Tudo bem? Meu nome é Felipe Pesses… e hoje eu estou aqui pra reforçar o conteúdo das orações subordinadas substantivas subjetivas

Relembrando… Oração, aquela frase que possui um verbo Subordinada é aquela que vai modificar a oração principal E substantiva é aquela que pode exercer a função de sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo do sujeito, complemento nominal e aposto A oração que veremos hoje é a subjetiva, ou seja, a que exerce a função de sujeito da oração principal Antes disso, eu vou mostrar como identificar se a oração é ou não substantiva

Se ela for substantiva, a gente pode trocá-la por um pronome substantivo “isto”, “isso” ou “aquilo” Veja o exemplo: “É óbvio que estudei para o teste” É óbvio isso Fez sentido Então, ela é uma oração substantiva

Vamos para o primeiro exemplo: “É fundamental que você compareça à reunião” “É fundamental…” “É”, verbo “ser”, verbo de ligação “É fundamental”, oração principal É fundamental isto Então, ela (“que você compareça à reunião”) é substantiva

Ela tá exercendo a função de sujeito? Tá, claro Por quê? Porque “É fundamental” não tem sujeito Então, ela (“que você compareça à reunião”) tá exercendo a função de sujeito Então, ela é uma oração subordinada substantiva subjetiva Próximo exemplo: “Consta que as contas de água e luz já foram pagas”

“Consta”, oração principal “que as contas de água e luz já foram pagas” tá exercendo a função de sujeito? Tá, claro Porque “Consta” não tem sujeito Então, ela (“que as contas de água e luz já foram pagas”) tá exercendo a função de sujeito Então, ela é uma oração subordinada substantiva subjetiva

Agora, nós veremos as características dessas orações, das orações subjetivas A primeira característica é que, na maioria das vezes, essa oração é introduzida por um verbo na 3ª pessoa do singular A segunda característica é que ela pode ser introduzida por expressões na voz passiva E a terceira característica é que ela pode ser introduzida por um verbo de ligação acompanhado de um predicativo Vamos ver um exemplo de cada característica

Primeiro exemplo: “Convém que não se atrase na entrevista” “Convém”, verbo na 3ª pessoa do singular “Convém” é a oração principal “que não se atrase na entrevista” tá exercendo a função de sujeito? Claro que tá Porque “Convém” não tem sujeito

Então, já que tá exercendo a função de sujeito, tá concedendo um sujeito pra oração principal, ela (“que não se atrase na entrevista”) é uma oração subordinada substantiva subjetiva Próximo exemplo: “Sabe-se que Thais não gosta de Lucas” “Sabe-se” é uma expressão na voz passiva Ao mesmo tempo, ela é a oração principal “que Thais não gosta de Lucas” é o sujeito da expressão na voz passiva

Tá exercendo a função, tá concedendo um sujeito pra oração principal Então, ela é uma oração subordinada substantiva subjetiva Próximo exemplo: “É bom que você compareça a minha festa” “É”, verbo “ser”, verbo de ligação “É bom”, oração principal

É bom isto Então, ela (“que você compareça a minha festa”) é substantiva Se ela é substantiva, esse “que” atua como uma conjunção integrante “que você compareça a minha festa” tá exercendo a função de sujeito? Claro Porque “É bom” não tem sujeito

O que que é bom? Que você compareça a minha festa Então, ela (“que você compareça a minha festa”) é uma oração subordinada substantiva subjetiva Agora, vamos ver as duas conjunções integrantes mais utilizadas nas orações subordinadas substantivas Quando que eu devo usar o “que” ou o “se”? Nós utilizamos a conjunção integrante “que” quando a gente tem certeza, quando o verbo tá exprimindo uma certeza E a conjunção “se”, o inverso, quando você não tem certeza, uma incerteza

Veja o exemplo: “Já sei que você não vai participar” Eu tenho certeza, eu tenho certeza de que você não vai participar Eu não tenho tenho dúvida alguma de que você não vai participar Por isso, utilizamos a conjunção integrante “que” “Não sei se ele vai participar

” Eu tô com dúvida se ele vai participar ou não Eu não sei Eu… eu tô indeciso Isso é uma incerteza O verbo tá exprimindo uma incerteza

Por isso, utilizamos a conjunção integrante “se” Agora, vamos para um primeiro exercício Marque as alternativas em que as orações subordinadas substantivas foram subjetivas “Logo percebi que não teríamos liberdade” “Logo percebi / que não teríamos liberdade

” Bom… Pronto Logo percebi O que que eu logo percebi? Que não teríamos liberdade Subjetiva e pronto Marca

Não, calma Vai com calma Não é porque o sujeito tá implícito na frase que ela é subjetiva Olha, tem um sujeito oculto aí, o sujeito “eu” Eu logo percebi que não teríamos liberdade

Então, ela (“que não teríamos liberdade”) não é subjetiva Próxima frase: “Não se sabe se o presidente virá a solenidade” “Não se sabe / se o presidente virá a solenidade” “se o presidente vira a solenidade” tá exercendo a função de sujeito Por quê? Porque não se sabe, o que é que não se sabe? Não tem sujeito

Tá exercendo a função de sujeito Então, marcamos, porque ela é subjetiva Próximo exemplo: “É bom que estejas aqui bem cedo” “É bom / que estejas aqui bem cedo” O que que é bom? Não sabemos

Então, ela (“É bom”) não possui sujeito Então, “que estejas aqui bem cedo” está exercendo a função de sujeito da oração principal Então, ela é uma oração subjetiva Então, marcamos Bom, pessoal, isso foi uma revisão rápida das orações subordinadas substantivas subjetivas

Espero que você tenha gravado, entendido, compreendido mais esse conteúdo e até a próxima