Respostas emocionais e ansiedade à matemática são tema de pesquisas da UFSCar

Sou professor João do Carmo, do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos O meu interesse básico, em termos de pesquisa, são relações de ensino e aprendizagem da matemática e consequentemente uma sub-área que se chama respostas emocionais à matemática [Música] No caso da ansiedade à matemática nós entendemos como um conjunto de reações fisiológicas, cognitivas e comportamentais diante de situações que exijam ou que esperam da pessoa, um desempenho em matemática, seja, por exemplo, um vendedor numa loja que tem que somar os produtos a serem vendidos, que tem que passar o troco para o cliente ou uma pessoa no escritório que tem que fazer uma planilha de cálculos, de gastos etc

, seja numa sala de aula, quando também é requisitado do aluno que apresente um desempenho em matemática, qualquer que seja ele Então quais são as reações que os alunos, de um modo geral, apresentam quando vivenciam a dificuldade diante da aprendizagem da matemática? Reações fisiológicas, que são reações fisiológicas ditas como desagradáveis, por exemplo, uma taquicardia, uma alteração na pressão, para mais ou para menos, gastralgia, cefaléia, visão turva, uma sensação de desmaio e o sono, também é entrecortado pesadelo ou a falta de sono e sempre frequente em um momento de prova, momento de exercício, momentos em que o aluno será testado

Essas reações fisiológicas, evidentemente, acabam, de alguma forma, paralisando o estudante diante daquele esforço que ele está tendo de resolver um problema, ou diante de uma avaliação do professor Não só as reações fisiológicas, mas também reações cognitivas, por assim dizer Por exemplo, o aluno pode aprender regras que são transmitidas culturalmente A matemática é difícil, matemática é para homens, não é para mulheres, é preciso ser um gênio para aprender matemática, coisas desse tipo Além das regras que são passadas, ele também começa a desenvolver auto regras

Eu não sou bom em matemática, não tenho como aprender matemática, não adianta, por mais que eu tente, por mais que eu me esforce eu jamais serei um bom aluno de matemática Consequentemente aparece as reações comportamentais que basicamente são: fuga e esquiva Então aquele aluno que procura sair daquela situação que está vivenciando, por exemplo é comum o aluno pegar a prova e responder rapidamente, o que daria a impressão inicial de que é um bom aluno, aplicado, que ele tem domínio do conteúdo, por isso resolveu rápido Não, é a forma que ele tem de sair daquela situação que está sendo altamente aversiva para ele Então fuga, isso é um exemplo de fuga

Uma esquiva seria o aluno adiar ou evitar o contato com aquele momento de avaliação, da prova, apresentação de um trabalho, a entrega de um trabalho, ir ao quadro resolver alguma situação matemática, enfim Então, reações fisiológicas, reações cognitivas e comportamentais dizem respeito, sobretudo, àquilo que a gente chama de controle aversivo Então situações nas quais o aluno não tem como se esquivar ou foi de imediato, mas ele precisa apresentar um desempenho qualquer e a consequência, geralmente, é a punição

O professor acaba chamando a atenção do aluno, tirando pontos, dando uma pontuação baixa o que vai provavelmente gerar mais erros futuros dentro de situações semelhantes Então a gente percebe, a partir daí, que a continuação dessas situações pode também gerar o que a gente chama de estímulo pré-aversivo Então temos identificado a própria presença do professor, o dia da aula de matemática, um dia antes da prova, horas ou minutos antes da prova, como estímulos pré-aversivos, ou seja, estímulos que sinalizam que, daqui a pouco, pode ocorrer uma situação tão difícil, aversiva, punitiva que vem a gerar aquelas reações que nós identificamos, fisiológicas, comportamentais e cognitivas [Música]

🇧🇷 Procopio na Matemática, Ciência, Política e Eleições 2018 👉🏻 #ConhecerEleições2018

Fala, gente, da matemática do Rio Está tudo bem? Raphael Procopio na área, trazendo para você uma rápida atualização aqui no nosso Youtube, Facebook, Instagram

De qualquer forma, no próximo Julho, vigésimo nono dia, escreva na sua agenda lá 29 de julho, vou participar de conhecer eleições 2018, organizado pelos caras da dispersociência, vai ser um sabatino do presidencial É isso aí EU, junto com outros professores e divulgadores científicos, nós estamos indo para São Paulo para sabatine os candidatos presidenciais Para mais informações sobre este fantástico evento, é só entrar no link que está na descrição deste vídeo

Aqui abaixo, clique aqui você saberá todos os detalhes, até porque Neste evento você terá transmissão ao vivo Olha que legal Ao vivo, vamos lá conversar com os presidenciais, os caras que querem ser o presidente do Brasil conhecer suas opiniões, suas visões sobre educação, ciência tecnologia, a maneira como o país, nosso país precisa muito continuar desenvolvimento nessas áreas Algo realmente assim nunca ouvi falar em nenhum outro eleição, teremos a possibilidade para fazer neste Normalmente, nos debates televisivos nós vemos ao redor, os candidatos, eles dizem muitas coisas sobre muitos assuntos, no entanto, eles deixam para trás toda essa parte da educação, ciência e tecnologia

Para falar sobre divulgação científica, sobre o que eles pensam sobre esses tópicos Vai ser sensacional Então, eu, Raphael Procópio, junto com várias outras pessoas da área de educação e a divulgação científica vai sabotar os presidenciais Mais uma vez, para mais informações, para saber na hora certa, para saber como a transmissão será porque o evento será transmitido tanto pelo Facebook e Youtube O Youtube será por vlogs de ciência e no Facebook pelos caras da dispersociência

Basta acessar nossa hashtag aqui, conhecer as eleições de 2018 que você vai assistir os vídeos de outros de outros caras que vai participar e também o link que está na descrição do vídeo, terá mais informações para você conhecer melhor, escreva no cronograma e não perca evento que será fantástico A propósito, uma coisa importante queremos fazer perguntas também que o público tem dúvidas

Eles gostariam de perguntar àqueles candidatos Então, coloque os comentários do vídeo, também deixa aquele enorme como, (sorrindo) Coloque no comentário do vídeo, o que você gostaria perguntar? Sobre esses tópicos eu disse: educação, ciência e tecnologia Coloque aqui nos comentários o que você gostaria de perguntar que vou selecionar algumas perguntas dos caras Para que possamos fazer um evento de alto nível alta qualidade, para que você tenha o melhor informação de todos, sem censura, tudo aqui, com a qualidade do Procopio de todos os divulgadores científicos que participarão Neste projeto Caras legais

Então, muito obrigado pela sua atenção Nós, Estou muito feliz por ter esta oportunidade, mais uma oportunidade para contribuir também, com o nosso país desenvolvimento de alguma forma É soberba Eu conto com sua ajuda na divulgação, compartilhando este vídeo compartilhando todos os vídeos dos caras Deixe nos comentários as perguntas que você quer fazer

Clicando no link e organizando sua agenda para que você não perca o conhecimento das eleições de 2018, legal Obrigado, como sempre, você não é sozinho Eu e todos os outros caras do vlog da ciência e da dispersão da ciência no conhecimento das eleições de 2018, estamos sempre com você, até o próximo, um grande abraço, tchau tchau

PITÁGORAS, EUCLIDES e os Números Perfeitos │MATEMÁTICA

Fala galera, tudo certinho? (alguma introdução rápida caso seja eu falando) No vídeo anterior, falamos sobre o rolê de Pitágoras, que fundou a Irmandade Pitagórica na cidade de Crotona, situada onde hoje é o Sul da Itália Entre ritos obscuros, a Irmandade foi responsável por grandes conclusões matemáticas usando a geometria, como mostramos no caso do famoso e super importante Teorema de Pitágoras

Além das demonstrações, outro interesse dos Pitagóricos era pelos números inteiros e pelas frações, conhecidos como números racionais Entre esses números, eles tinham especial interesse por aqueles que chamaram de números perfeitos ———Vinheta———————————— Antes de explicar os números perfeitos é importante esclarecer alguns conceitos sobre divisores, para garantir que estejamos falando a mesma coisa Os divisores de um número inteiro qualquer, são aqueles que a divisão resulta em um número inteiro, sem resto Por exemplo, o número 12 tem como divisores o número 1, 2, 3, 4, 6 e 12! Os números primos são aqueles que têm somente dois divisores positivos , o número 1 e ele mesmo

É o caso do número 2, 3, 5, 7, 11, 13 O conceito de máximo divisor comum é o maior divisor que dois números compartilham Por exemplo, os divisores de 12 e 20 são respectivamente: 12 – 1,2,3,4, 6, 12 20 – 1,2, 4,5, 10, 20 Ou seja, os divisores em comum entre 12 e 20 são 1, 2 e 4 e, portanto, o máximo divisor em comum é o número 4 Uma forma de encontrar facilmente esse número é escrevendo 12 e 20 como fatores de números primos

Por exemplo, o número 12 pode ser escrito como 2x2x3 Já o número 20 pode ser escrito como 2x2x5 Veja como 2×2 aparece em ambos os números, mostrando por mais uma maneira, que o máximo divisor comum de ambos os números é 4 Agora é com você, qual é o máximo divisor comum dos números 36 e 48? Escreva nos comentários aqui embaixo como você chegou no resultado Agora sim, falando do que a gente veio falar, para os Pitagóricos, quando somamos os divisores de um número, exceto ele mesmo, e sua soma resulta no próprio número, ele era chamado de NÚMERO PERFEITO Um exemplo de número perfeito é o número 6 Seus divisores, exceto ele mesmo são 1, 2 e 3 e como 1 + 2 + 3 = 6, ele era considerado um número perfeito O número perfeito seguinte é o 28, porque seus divisores são 1 2 4 7 14, que quando somados, resultam em 28 À medida que os números inteiros se tornam maiores, a tarefa de encontrar números perfeitos se torna mais difícil O terceiro número perfeito é 496, o quarto é 8

128, o quinto é 33550336 Os Pitagóricos sabiam que, embora se tornassem muito distantes um do outro, eles não paravam de aparecer, sugerindo haver um padrão entre eles No entanto, nunca chegaram a identificar qual era este padrão Foi Euclides, dois séculos depois, quem encontrou esse padrão

Euclides de Alexandria é considerado o pai da geometria, ou melhor, pai da geometria que nós aprendemos na escola: a geometria euclidiana Sim, há outras geometrias além da que estudamos, mas isso é assunto para outro vídeo Euclides nasceu no séc lll aC

no Egito Foi provavelmente aluno da escola platônica Sua principal obra é o livro “Os Elementos” , com 13 volumes, onde Euclides reúne todo o conhecimento até então adquirido pela humanidade sobre: geometria plana, teoria dos números, e geometria espacial Euclides emprega o método axiomático, ou seja, logo na primeira página do livro ele já define os axiomas de sua geometria Os axiomas são aquelas verdades que não precisam ser provadas por serem fundamentais

A partir dos axiomas, todas os teoremas são formulados através do desenvolvimento por lógica dos axiomas “Os Elementos” é ainda considerado, por muitos matemáticos, como o melhor livro texto jamais produzido, sendo considerado também um marco para a metodologia científica A forma de estruturar o argumento, com: axiomas, hipótese e comprovação, se tornou a base de tudo que surgiu na matemática, lógica e suas diversas variações de aplicações A utilização de axiomas só foi contestada na período das Grandes Guerras, mas isso também é tema para outro vídeo Voltando ao Euclides e os números perfeitos, ele percebeu e mostrou que estes números são sempre múltiplos de dois números, sendo que um deles é uma potência de 2 e o outro é a potência seguinte de dois menos 1

Ou seja, 6 = 2¹ x (2² – 1) 28 = 2² x (2³ – 1) 496 = 24 x (25 – 1) 8128 = 26x (27 – 1) Ele chegou nisso, baseado naquela decomposição dos números pelos números primos… Loco, não? Quem diria que era tão simples… Agora que sabe a regra, calcula aí qual o sexto número perfeito? —- END CARD —- É isso pessoal, espero que tenham gostado desse vídeo Deixem aqui nos comentários o que vocês acharam

Digam o que vocês mais gostam na matemática, ou o que tem mais dificuldade de entender, que a gente lê tudo e, quem sabe, a gente gente faz um vídeo que vai deixar a tua vida mais feliz Participe do reVisão com a gente Falow!

PITÁGORAS e EUCLIDES│MATEMÁTICA

Fala galera, tudo certinho? No vídeo anterior, que eu estava com cabelo ainda, nós falamos sobre Pitágoras, que era pirado, ele tinha um fetiche por números perfeitos, No vídeo anterior, falamos sobre o maior fetiche que os Pitagóricos tinham, que eram os números perfeitos, e a fórmula que Euclides encontrou para gerar esses números perfeitos e falamos também que Euclides fez uma fórmula geral dos números perfeitos Se você gosta de matemáticos ficando loucos por busca de respostas, tem um livro muito legal chamado Tio Petros e a Conjectura de Goldbach

O link do livro tá aqui embaixo, o editor vai colocar Agora, iremos falar sobre séries numéricas, números primos e a busca histórica por suas fórmulas geradoras, roda a vinheta VINHETA E antes de falar de Euclides, já se inscreve no canal e dá like nesse vídeo que será muito bom Euclides foi um dos muitos matemáticos que tentou descobrir a fórmula geradora de todos os números primos Ele não chegou a cumprir este objetivo, mas no caminho, fez relevantes contribuições para a Teoria dos Números Inteiros, como provar que existem infinitos números primos

Mas antes de falar sobre a sua prova, vou dar um passo atrás, para gente entender o que é Sequências e qual a sua importância Sequências nada mais é que uma série de números que é gerada por uma fórmula Por exemplo, a sequência dos números perfeitos dos pitagóricos eram: 6, 28, 496 e assim por diante Euclides encontrou sua fórmula geradora, e nós mostramos no vídeo PITÁGORAS, Euclides e os Números Perfeitos que você pode assistir agora clicando neste izinho aqui no canto direito da tela Agora vamos pensar em outra sequência, por exemplo: 2, 4, 8, 16, 32 Sua fórmula geradora é 2^n Um terceira sequência é: 2, 5, 8, 11, 14 Cuja fórmula geradora é: 2 + 3*n Tem também a sequência dos números áureos, que é bastante importante e observada em diversos padrões de natureza, também conhecida como A SEQUÊNCIA DE FIBONACCI, onde cada termo subsequente corresponde à soma dos dois números anteriores 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34 Sua fórmula geradora, portanto, é: Fn = Fn-1 + Fn-2 Numa sequência onde um número a é somado n repetidas vezes por um número q, nós temos, nós temos Progressão Aritmética

E quando a sequência é composta pela multiplicação sucessiva por um mesmo número, temos uma Progressão Geométrica Mas para falar dessa sequência nós vamos deixar isso para outro vídeo —- EUCLIDES —- Entendido o que são Sequências e suas Fórmulas Geradoras, vamos voltar lá em Euclides e os números primos Primeiramente, nenhum número par é primo, além do 2, é claro, que é o único número par, positivo e primo Afinal, todos os números pares são divisíveis por 2 Portanto, sobrando somente os ímpares

Sabemos também que existem infinitos números ímpares, o que nos leva a crer que entre este infinitos números ímpares, nós teremos também infinitos números primos … mesmo sabendo que quanto maior for o número, mais difícil é que ele não seja somente divisível por 1 e por ele mesmo

Mas para Euclides, esse sábio homem de Alexandria, imaginar não era suficiente Ele provou que há realmente infinitos números primos E como ele fez isso? Euclides considerou um número limitado de números primos, e mostrou que sempre haverá um outro número primo, além dos contidos no início

Acompanha essa: Considere que q1, q2, q3 e q4 até qn é uma quantidade finita de números primos Agora, considere um número que seja a multiplicação de todos esses números primos, mais 1 Ou seja: P = q1 * q2 * q3 * q4 * qn + 1 Há duas possibilidades para esse número P, ou ele é um número primo, ou seja, aquela lista inicial não está completa, ou P é um número composto, ou seja, ele tem pelo menos dois divisores que não 1 e ele mesmo Mas se P for composto, isso significa que ele pode ser escrito como fator de números primos Entretanto, P necessariamente não pode ser escrito como fator dos números primos da minha lista, pois se eu dividir P por q1, q2, q3, o resto sempre é 1

Ou seja, existem outros números primos que compõem P mas não estão na lista Vamos pegar um exemplo prático com números que fica mais fácil Vamos supor que 2, 3, 5 são todos os números primos que existem 2 * 3 * 5 + 1 = 31 e 31 é um número primo, ou seja, 2, 3 e 5 não são os únicos números primos que existem

Agora vamos supor que todos os números primos sejam 3 e 13 3 * 13 + 1 = 40 e 40 é um número composto, que pode ser escrito por: 40 = 2 * 2 * 2 * 5, dando origem a dois novos números primos: 2 e 5 Isso pode ser feito infinitamente, gerando sempre novos números primos, ou números maiores, maiores do que a série que a gente pegou anteriormente, como o número 31, que foi gerado, ou intermediários e menores, como é o caso do número 40, que pode ser gerado pelo número 2 e 5 Bem… E por que este tema é interessante? Por que tem gente gastando seu precioso tempo tentando encontrar fórmulas geradoras? Qual de fato é a vantagem de encontrar uma fórmula geradora para uma série de números? Para termos a capacidade de prever o futuro

Falhas Eventos climáticos e preços de ações Identificar padrões, atribuir fórmulas e realizar projeções é uma ferramenta poderosíssima Enquanto isso, ainda ninguém encontrou a fórmula geradora de todos os números primos, e essa continua sendo uma mais maiores questões não respondidas da Matemática Por agora, veja essa sequência, tenta encontrar a fórmula geradora e coloca nos comentários

Se você não encontrar olha nos comentários também que vai ter alguém que encontrou 3, 6, 11, 18, 27 É isso pessoal, espero que tenham gostado desse vídeo A gente tá começando essa série de matemática, então compartilha com seus amigos que não vão bem, coloca nos comentários o que vocês acharam, o que vocês não gostaram, que a gente lê tudo

Se quiser indicar um livro bom, indica que a gente vê também E se você tiver alguma dificuldade, coloca aqui que a gente vai fazer um vídeo para deixar sua vida mais maravilhosa Tchau tchau

PORTUGUÊS BRASILEIRO É A LÍNGUA MAIS DIFICIL DO MUNDO? | Fatos Gringos

Oii galera, como vai? Hoje quero falar sobre as coisas mais difíceis que achei durante meus estudo de português Se você é novo no canal, não esqueça de se inscrever e ativar o sininho para não perder novos vídeos! Eu já fiz vários vídeo sobre como aprendi português, onde eu aprendi português e minha motivação para aprender português

Então hoje quero falar cinco coisas que achei mais difícil durante meus estudos de português A primeira coisa que achei difícil foi a letra ã O problema é que tem que pronunciar bem nasal e isso não tinha nas línguas que aprendi antes Ainda hoje, claro, não é fácil e nomes como “João” ainda ficam um pouco difíceis para pronunciar A segunda coisa que é difícil para mim é falar o r em certas palavras

Como já tentei tremer o r mas nem consegui em espanhol, isso continua a minha dificuldade Eu tentei praticar com aulas no italki – link na descrição – e melhorei um pouco Terceiro os pronomes pessoais que ficam diferentes como em alemão As vezes eu confundo algumas palavras que parecem feminino mas são masculinos Mais uma coisa é a gramática Tem várias coisas com qual tenho problema, o maior é o subjuntivo

E a última coisa é pronunciar algumas palavras por exemplo cabeleireiro exceção ou palavras da origem indígena, tipo Maranhão ou Jericoacoara Qual é a coisa mais difícil que vc acha sobre outras línguas que estuda? Quer encontrar pessoas que gostam de idiomas também? Venha conhecer o site do Clube Poliglota Brasil! Há encontros regulares para praticar idiomas e conhecer pessoas novas também na sua região! Verifique o link na descrição Espero que tenham gostado, agradeço pela joinha e não esqueça de se inscrever no canal Até mais e bis bald!

O que é Linguagem? – Resumo para o ENEM: Português | Descomplica

00:00 – Português Aline Bello Linguagem 00:15 – Olha para uma nomenclatura da prova do Enem, percebemos que a prova é chamada de linguagens, código e suas tecnologias Desse modo, o Enem valoriza o aluno que está ligado com a sociedade em que ele vive

Essa Os valores de língua, linguagem e sua aplicação na sociedade 01:10 – A prova é ver se o aluno é capaz de detectar os eventos que acontecem com língua portuguesa Nós temos o padrão padrão que é denominado padrão de referência ou cultura que é prescrita pela gramática normativa da língua portuguesa 01:30 – No entanto, na rua os humanos não usam uma língua semper na norma culta O Enem vai 02:00 – Uma linguagem diferente de expressão verbal ou não verbal Tipos: Verbal – Construídas por meio de palavras

Não verbal – Construída via de símbolos não verbais como imagens, cores, gestos Mista ou híbrida – Mistura das duas anterioresExemplo: Encargos

02:50 – Outro conceito de extrema importância é o de língua A língua é o tipo de linguagem verbal que é utilizada por uma determinada comunidade O que nos importa é uma variação que acontece na sociedadeNós, não utilizamos sempre uma norma cultaNo dia-a-dia utiliza uma linguagem coloquial

Diferenças entre português do Brasil e de Portugal – Aprender português – Eu e meu professor

Marcel: Olá Pessoal! Tudo bem? David: Olá! Tudo bem pessoal? Marcel: Hoje eu “tô” aqui com um companheiro de trabalho, o David O David é professor de português também

Se apresente! David: Efectivamente Eu chamo-me David Eu sou espanhol mas sou professor de português para hispano falantes Marcel: Exato! No vídeo de hoje nós vamos falar sobre diferenças entre o português do Brasil e o português de Portugal Até já! David: Até já! David: Queria perguntar ao Marcel, queria aproveitar que estou aqui no teu canal para saber se tu também tinhas dificuldades, ou tens agora, em perceber o português europeu, ou… Marcel: Eu, neste momento, eu não tenho… eu entendo 99,9% do português europeu porque eu também trabalho com Portugal ou seja, não é só por isso

Mas eu reconheço que a primeira vez que eu escutei o português de Portugal, o primeiro contato, foi… é… isso é português? (risadas) Isso é russo ou é português? (risadas) David: Efectivamente É certo que o sotaque é diferente Acho que também, para os estrangeiros que aprendemos português, o sotaque brasileiro é um bocadinho mais fácil porque as vogais são mais abertas e penso que o português europeu, pronto, as sílabas tônicas marcam muito fortes e as átonas, aquelas que se marcam antes ou depois, às vezes não se ouvem Então muitas vezes acontece como na palavra “chocolate”, que na escrita é praticamente igual, mas praticamente “chocoLAT” Marcel: E no Brasil seria “chocolaTCHI” “ChocolaTCHI” vs “ChocoLAT”

David: Acho que vocês abrem mais a boca e, se calhar, pronunciam um pouquinho mais devagar, e mais também com todas as vogais mais ou menos com a mesma duração O caso é que isso dificulta porque no português europeu, normalmente, percebem o sotaque do Brasil, acho que por um lado porque vê-se muitas novelas, os filmes, muita música E também acho que as vossas vogais já estão no português europeu e as do português europeu , que são mais fechadas, não estão no português brasileiro… Marcel: não estão no português brasileiro David: Exatamente, tal e como acontece com o espanhol, neste caso Marcel: Com certeza, um pouquinho do que acontece com o espanhol da Espanha e da América Latina

David: Dentro da língua, acho que também há tantas palavras que chegam a ser tão tão diferentes, ou para além, se calhar, de algumas que já conhecemos… Marcel: Com certeza! Por exemplo, uma que sempre me chama a atenção, de fato, quando eu estive em Lisboa, é uma palavra que sempre me chamou a atenção, que é o “AUTOCARRO” David: Ah! O “autocarro” Marcel: O “autocaRRo”, com sotaque português E para mim é o “ÔNIBUS”, ou seja, “autocarro” em Portugal e o “ônibus” (no Brasil) Sempre que eu escuto o “autocarro” eu imagino um carro dirigindo sozinho sem nenhum piloto

(risadas) David: Exatamente Eu por exemplo, uma palavra que acho que também na Hispano América igual, se calhar tem aí uma influência é: “CELULAR” O “celular” parece que não faz muito sentido Parece que “TELEMÓVEL”… como um telefone que pode ser móvel… né? Parece que… por exemplo, o “ruim”… “muito ruim” ou “legal”… Marcel: Legal… o “LEGAL” no Brasil, o “GIRO” ou “FIXE” em Portugal, isso também é muito interessante… David: Por exemplo, em Portugal, há uma expressão muito dita, assim, na linguagem coloquial, é “bueda fixe”… é como “muito legal”… é “bueda fixe”… Marcel: Essa eu não conhecia David: Por exemplo também, uma que é muito divertida, eu que estou sempre a trabalhar com o computador e as vezes tenho que colocar “ecrã completo”… Marcel: Ecrã… é outra palavra que eu conhecia

A primeira vez que eu escutei “ECRÔ na minha vida, eu falei: “O que será que é o ecrã” E o ecrã, para a gente no Brasil é a “TELA” A “tela do computador”, em Portugal seria o “ecrã do computador” David: Realmente… até parece que é uma palavra de origem francesa, eu realmente não faço idéia, mas às vezes o português também pega… Bom, depois também, uma questão que também achei muita piada é como vocês pronunciam algumas palavras do inglês, por exemplo, o “facebook”, né? Marcel: “FaceBUKI” (facebook) David: Não existe também o “wifi”? Isso é igual? Marcel: Isso é igual

David: Tá bem, porque eu já tinha ouvido… Marcel: O “wifi” a gente fala igual David: É tudo bem… em Espanha nós aqui dizemos “wifi”

Marcel: “wifi” (uaifai)… no espanhol da Espanha, o “wifi” (uaifai) é “a wifi”(uifi) David: É… temos uma aí… uma tendência também, pronto, a colocar a fonética do espanhol Normalmente… pronto… “¿Donde está el wifi?”… Como? Não estou a perceber… Marcel: “Wifi” não! “Wifi” (uaifai) Marcel: Outra palavra que a gente achou em comum é o “chope”

No Brasil, bebe-se muita cerveja e o “chope” é a cerveja que sai da torneira, ou seja, do barril Não é? E “chope” em Portugal, como é que se diz? David: Depende da região, no norte as pessoas dizem “fino”, “um fino” Em Lisboa, por exemplo, Coimbra, já mais no Sul, dizem mais “uma imperial” Em Portugal também há muita cultura de cerveja Marcel: Com certeza! Então “CHOPE” no Brasil, “IMPERIAL” no Sul de Portugal e “FINO” no Norte de Portugal

David: Exatamente Marcel: Agora, falando de futebol No Brasil, um “TIME DE FUTEBOL” e em Portugal… David: Uma “EQUIPA”… uma “EQUIPA DE FUTEBOL” Marcel: Aí muda até de gênero O TIME

A EQUIPA David: Efetivamente E pronto, dentro do futebol também há outra palavra, que pronto, “o GUARDA-REDES”, a pessoa encarregada de tentar que a bola não entre dentro da “BALIZA” Marcel: Na Baliza… no Brasil seria “o GOLEIRO” que se encarrega de que a bola não entre no “GOL” David: Ahh… olha, isso eu não sabia

Eu sabia “o goleiro”, tinha ouvido, mas já não tinha entrado tanto… Marcel: o gol… o gol David: E por exemplo também, os meios de transporte Já tinha falado de “autocarro”, né? Então, também há outra… é… nós dizemos “COMBOIO”… Marcel: …e nós falamos “TREM”

David: Ahh… Marcel: “O TREM” no Brasil e “O COMBOIO” em Portugal David: Exatamente A “estação de comboios”, então para vocês… Marcel: a “estação de trens”… David: Ah olha… Marcel: “A estação de ônibus” e a “estação de autocarros” David: Exatamente A de autocarros ou a “rodoviária”, inclusive… Marcel: Rodoviária também (no Brasil) David: E por exemplo também, um meio de transporte muito típico de Lisboa é “O ELÉTRICO” Por exemplo, se alguém for a Lisboa, não se esqueça de apanhar o elétrico número 28… Marcel: O número 28 e que eu estive… E o elétrico em Lisboa seria “O BONDE” no Brasil

David: Se foste à Lisboa, imagino que alguma vez foste a um restaurante, e se calhar, pediste lá “A EMENTA” Acho que no Brasil vocês dizem “O CARDÁPIO” Marcel: O cardápio David: Pronto, em Portugal nós dizemos “a ementa” Marcel: “EMENTA” em Portugal e “CARDÁPIO” no Brasil

Lá onde tá tudo o que você pode pedir Marcel: Outra diferença engraçada é: no Brasil nós vamos no “BANHEIRO” e em Portugal? David: Em Portugal é “CASA DE BANHO” Onde é que fica a casa de banho? Marcel: A casa de banho e no Brasil seria o banheiro Outra coisa mais: no Brasil “O CAFÉ DA MANHÔ… David: Exatamente Em Portugal “O PEQUENO-ALMOÇO”

E por exemplo também, dentro do pequeno almoço eu posso tomar um “SUMO” de laranja, e acho que no Brasil… Marcel: Seria o “SUCO” de laranja “SUMO” em Portugal e “SUCO” no Brasil Marcel: Bom pessoal, hoje a gente falou sobre o português do Brasil e o português de Portugal Diferenças… eu falei com o David, o David falou comigo, nós falamos juntos… David: Exatamente, eu sempre recomendo falar com alguém mas é certo que, às vezes, falar sozinho é bom como um caso extremo, para praticar, o importante é sempre que pratiquem ao máximo, o português do Brasil, português de Portugal ou inclusive o português da Angola Marcel: Com certeza, qualquer português praticado é bom

E David, quem quiser ajuda com o português de Portugal, pode entrar em contato com você? Pode te localizar? É hora da sua publicidade! David: Sim! É o meu momento! Eles podem seguir o meu blog que é “wwwnosfalamosportuguespt” Aí tem bastantes atividades diferenciadas por nível, por tipo, de músicas, com léxico, gramática… e acho que pode ser de ajuda Eu, pelo menos, é a ferramenta que teria gostado de ter quando eu comecei a estudar o português

Marcel: Com certeza! E eu mando um forte abraço pra todo mundo! David, muito obrigado pela entrevista e um abraço para você também David: Obrigado, Marcel, pelo convite Marcel: Até já! Tchau tchau! David: Até já! Tchau!

Edoardo Nanni: la medicina non è matematica

Eu comecei um curso de cirurgia laparoscópica em 1999, realizando um dos primeiros cólon laparoscópico e então gradualmente me tornei mais e mais especializado em este ramo da cirurgia minimamente invasiva e atualmente me orgulho de uma série de casos importantes especialmente em cirurgia de câncer abdominal A maior dificuldade é quando você tem coloque tudo para fazer algo de bom para o paciente e então você tem essa grande amargura porque a nossa profissão que dizemos não é matemática faça tudo certo, você se preparou mil você fez um bom trabalho e, em seguida, o as coisas não saem do jeito que você quer que elas vão

A maior satisfação que meu trabalho me deu é o relacionamento com as pessoas que lhe dá mais e mais estímulo e desejo de avançar O projeto que estou cultivando agora é um projeto de ensino Eu gosto disso muito ensinar o que meu cavalo era batalha por tantos anos que é a cirurgia do cólon retal laparoscópica Faça uma unidade para isso, concentrar a atenção e ensinar jovens a usar este método minimamente invasivo

Compiti Matematica finanziaria Prof. Andria Economia e Amministrazione Aziendale Palermo

Oi, se você está procurando a lição de casa "Matemática Financeira" do professor e exercícios Andria e estudos "Economia e Administração de Empresas" l-18, em Palermo, na Universidade de estudos em Palermo, Faculdade de Economia, assista este vídeo cuidadosamente porque eu sou para mostrar-lhe como baixar trabalhos de casa e exercícios de matemática financeira gratuitos do professor Andria, as tarefas dos anos anteriores O que você vê é a tela estamos dentro do portal Appunticondivisi

com, que é o primeiro portal na Itália que permite partilha de material educativo, notas, resumos, questões do exame, inscrições áudio das lições, sbobinature realizado por estudantes específicos para universidades, faculdade e curso de estudos Então você só tem que se inscrever clicando no link abaixo, o cadastro é grátis Ao se cadastrar gratuitamente, você acessará este portal clicando no botão "pesquisar" arquivo ", você vai pousar nesta página aqui, basta digitar os dados, então" University dos estudos de Palermo "," Faculdade de Economia "," Economia e administração de empresas l-18 "," Matemática financeiro – Andria ", tarefas e exercícios, clicando no botão" pesquisar "o que você vai conseguir esses arquivos estarão aqui Primeiro, "simulações de exames e exercícios realizados, parte 1, afferenti a todas as lições do curso, corrigidas em sala de aula, texto e solução ", importante, baixado 5 vezes Depois, há o mesmo arquivo, mas parte 2, todas as lições corretas em sala de aula, textos, mais soluções Por isso, é essencial fazer o download desses arquivos para superar o assunto

Em seguida, encontramos abaixo uma série de vídeos de análise aprofundada da Matemática Financeira, eles são gratuitos, você pode assisti-los sempre que quiser Recomendo, cadastre-se clicando no link que você encontra abaixo, Appunticondivisicom Se este vídeo foi útil e você é clique em "curtir", compartilhe, se tiver alguma dúvida ou pergunta, deixe um comentário aqui abaixo Até o próximo vídeo, boa sorte para o seu exame

Português Língua Adicional para Grupos Minoritarizados: motivações e crenças.

Olá, pessoal, tudo bem? Meu nome é Marina e, assim como vocês, eu também sou professora! Bom, se você está assistindo essa videoaula eu posso imaginar que de alguma maneira você tem ou já tenha tido contato com o Ensino de Português como uma Língua Adicional ou, mais ainda, com o Ensino de Português como uma Língua Adicional para grupos minoritarizados

Bom, mas agora você deve tá se perguntando qual que é a relação entre os temas das motivações e das crenças com relação a esse tipo de ensino E aí eu queria te perguntar exatamente, qual que é a sua motivação para poder assistir esse vídeo e quais são as suas crenças a respeito desse tipo de ensino e qual seria a possível influência dessas motivações e dessas crenças no que você planeja, no que você faz na sua prática de docente durante as aulas Quando a gente fala de motivação, numa pesquisa simples, a gente acaba sempre encontrando o conceito daquilo que desloca uma pessoa, que leva uma pessoa a agir de uma determinada maneira Então, a gente pode colocar a motivação a partir de dois pontos de vista, de dois pontos de vistas principais, a motivação pessoal: quando eu ajo através de alguma identificação que eu tenho particular com alguma coisa ou uma motivação social, que parte de uma demanda que eu tenho socialmente colocada e a partir da qual eu vou agir Então, quando a gente fala de motivação pessoal, a gente tá falando de uma pessoa que aprende um outro idioma, porque ela se identifica com a cultura, com a maneira de agir de pessoas de outras nacionalidades, de outros países

Já quando a gente fala de motivação social, a gente pode falar de uma pessoa que quer aprender a falar uma outra língua para melhorar o seu currículo, a sua prática profissional para poder ter uma posição social mas favorável e aí, depois disso, a gente chega ao tema das crenças Quando eu falo de crenças, eu falo sobre a maneira com a qual uma pessoa enxerga, percebe o mundo e partir disso, muitas vezes, é que essa pessoa vai agir Então, se eu tenho uma determinada crença, eu vou agir de uma determinada maneira Se eu acredito que ensinar os meus alunos através de gêneros, vai ser algo que vai fazer com que eles se comuniquem melhor, provavelmente, é a partir disso que eu vou trabalhar nas aulas de português com os meus alunos Então pensando no tema das crenças e das motivações, a minha intenção aqui é propor duas ideias de atividades que são adaptáveis e que vão depender da experiência que os seus alunos têm com a Língua Portuguesa e também do contexto de ensino no qual você se encontra para que você possa, justamente, entendendo melhor sobre o que eles acreditam a respeito do português e as motivações que eles têm para aprender essa língua, criar situações nesse sentido para que o seu planejamento de aula, consequentemente a sua prática seja ainda mais rica do que ela já é

Então, quando a gente fala de uma atividade com motivação, a gente pode pensar num aquecimento, essas atividades podem funcionar até junto, de repente numa sequência didática, posso colocar, por exemplo, as próprias motivações do docente de uma maneira bem simples – lá no quadro ou projetor, elencando as motivações que essa própria pessoa tem para aprender o português, eu coloco lá: trabalho, escola, supermercado, situações em que a língua portuguesa vai ser exigida para que você consiga chegar a uma determinada finalidade Então, a gente pede para que esses alunos façam a mesma coisa e, muito provavelmente, vão aparecer coisas além das que a gente está esperando Com relação às crenças, seria interessante que a gente pudesse colocar de uma maneira simples, mais uma vez, pensando no tipo de experiência que esses alunos têm a Língua Portuguesa e até mesmo a própria experiência de vida deles Escreve, por exemplo, lá no quadro: Língua Portuguesa, coloca uma imagem de um sorriso, com um coração e demonstra que é assim que você se sente, é o que você acredita a respeito da Língua Portuguesa Você pode mostrar outras imagens, também, imagens que não tenham uma relação tão direta com um campo lexical positivo, claro, tudo dentro de um equilíbrio, mas que essas crianças vão poder usar para se fomentarem a ponto de elas mesmas criarem exemplos que descrevam a maneira com a qual elas se sentem a respeito do português

Então, você fornece lá algumas folhas, lápis de cor, pede para que eles usem os próprios materiais que eles têm e que eles criem, mostre para eles que eles vão criar a maneira com a qual eles veem, já sabendo a maneira pela qual você vê Essas atividades podem parecer um pouco simples, mas quando a gente pensa que as crianças são extremamente sinceras e criativas, também e que, além disso, esse tipo de atividade com desenho é uma coisa amplamente utilizada no meio da Psicologia, a gente vai poder obter através desses desenhos, informações que, provavelmente, vão além dos estereótipos que a gente pode ter de que ou elas não gostam nada ou que elas estão ali por obrigação e a partir disso, sabendo, tanto das motivações, dos lugares de fala desses meninos, as necessidades que eles têm de usar o português como uma ferramenta em situações comunicativas, a gente vai saber a maneira com a qual eles enxergam essa língua, também Talvez como uma língua difícil, talvez como uma língua que é acessível, mas ainda não é uma língua da amizade, não é uma língua com a qual eles se sentem mais confortáveis e aí gente vai poder pensar os nossos planos de aula no sentido a criar situações nas quais eles possam exercer um uso da língua portuguesa de moda a alcançar, tanto esse lugar de fala, o espaço do supermercado, o espaço de escola, qualquer outro lugar para interação social, seja com jogos ou com leitura, portanto, perceber que a língua portuguesa, ela está ao alcance e que a gente faz o que pode para que eles aprendam e tenham essas ferramentas da melhor maneira possível para exercerem a sua cidadania, que, muitas vezes, tem sido cerceada deles de alguma maneira Então antes de finalizar, eu só queria colocar que a proposta dessa videoaula é realmente de uma interação e não somente de uma exposição

Eu vou deixar meus contatos aqui, meu e-mail, minhas redes sociais e eu gostaria que vocês falassem comigo sobre as experiências que vocês têm tido, que vocês já tiveram, sobre os planos de aula que vocês tem preparado, sobre o que tem sido a prática de vocês e coloquem reflexões, perguntas para que a gente discuta e possa colaborar da melhor maneira com essa área que tem crescido tanto e que precisa, também de atenção Para finalizar, eu queria agradecer a todos vocês pela atenção e dizer que são professores como vocês que continuam na busca de novos conhecimentos, novas informações, de atualização continua que me inspiram a querer aprender cada vez mais Vou deixar algumas referências para que a gente possa fazer outras leituras, pensar em outras coisas com relação colocada Muito obrigada! Um abraço!