Entrevista com o Prof. Dr. Nonato Furtado – Português como Língua Estrangeira (PLE)

Boa Noite Estamos aqui para o 4º Encontro Linguística e café

Eu gostaria de agradecer inicialmente à Universidade Federal do Ceará à Pró Reitoria de Extensão pelo apoio ao Projeto e fazer um agradecimento especial ao Professor Nonato Furtado Por disponibilizar um tempo na sua agenda Boa Noite, Professor Muito obrigado Boa noite, Matheus Eu que agradeço a você, ao TECLE pelo convite e pela oportunidade de estar aqui pra falar um pouco do Ensino de Português para Estrangeiros Eu vou fazer uma breve leitura do resumo, uma breve leitura do currículo do Professor Nonato

Ele é Doutor em Linguística Aplicada pela UECE Com estágio e Doutorado sanduíche na Universidad Abad Oliva na Espanha Mestre em Linguística aplicada pela UFC e Graduado em Letras Português Espanhol pela UFC e em Pedagogia pela UVA Professor Efetivo na UFC na área de Português como Língua adicional Estrangeira – PLE e Português como Língua Materna na Casa de Cultura Portuguesa Coordenador do Curso de Português para Estrangeiros do Projeto TANDEM do Posto aplicador do SELPEBRAS e do Programa Idiomas sem Fronteiras Desenvolve pesquisas na área de Linguística Aplicada com destaque para Português como Língua Adicional – PLA com processo de reescrita textual na perspectiva Backtiniana Avaliação e produção de Material Didático para o Ensino de Línguas para o Ensino de Português para Estrangeiros e Aprendizagem Cooperativa

E pra gente iniciar eu queria fazer essa levantar essa primeira questão O que diferencia o Ensino de Português para estrangeiros do Ensino de Português como Língua Materna ? Bem, Matheus e aos telespectadores do TECLE Existe muitas questões interessantes Quando a gente fala do Ensino de Línguas e esse contraponto é importante falar das diferenças do Ensino de Língua Materna de Língua Portuguesa na perspectiva de Língua Materna e o Ensino de Português para estrangeiros Quando a gente fala de Língua Materna é interessante pensar no que nós entendemos como Língua Materna ou como Primeira Língua Há muitas divergências sobre esse conceito mas alguma, mesmo dentro dessas divergências há muitas coisas em comum A Língua Materna para alguns teóricos, não necessariamente é a Língua da mãe É a língua na qual o sujeito falante ele desenvolve a sua subjetividade E em alguns contextos essa língua também é a língua da mãe, a primeira língua , a língua do contexto familiar, as vezes a língua que ele fala em casa, que ele fala na comunidade

Certo Nem sempre, de novo Essa Língua Materna é a língua da mãe, mas a grosso modo seria a língua na qual ele se sente mais a vontade, mais fluente, é a língua onde ele aprende a desenvolver essas socio-objetividades Quando a gente pensa no Português como Língua Materna por exemplo, eu estou pensando, dentre muitos conceitos No Brasil no Ensino de Português para brasileiros, mesmo sendo falantes de português, nós vamos pra escola e aprendemos a usar a língua portuguesa para sermos proficientes nessa língua em diferentes contextos de comunicação no trabalho, na escola, nas interações sociais E aí Há algumas diferenças quando a gente contrapões, por exemplo O conceito de língua materna, com o conceito de português para estrangeiros Por que ? Dentre esse viés de Português para Estrangeiros, aí a gente tem alguns conceitos que emergem daí

Dentre eles o conceito de língua estrangeira, por exemplo De segunda língua, de língua adicional A gente pegar, por exemplo, alguns teóricos quando eu estou falando do ensino, por exemplo, de Espanhol no Brasil Eu tô falando de um ensino de Espanhol, do Espanhol como Língua Estrangeira Ou seja, o Espanhol sendo ensinado num contexto no qual ele não é língua oficial

Então, assim Quando eu parto do pressuposto do ensino de Português no Brasil Para estrangeiros, obviamente eu não estou falando do conceito de língua estrangeira, mas é interessante assim pra ficar bem claro Não sei se todo mundo, está familiarizado com esses conceitos, mas pra ficar claro que conceitos são esses e que conceito a gente adota por exemplo, aqui dentro do Português para Estrangeiros da Casa de Cultura Portuguesa Então, assim Para alguns teóricos a língua estrangeira é um conceito que não dá conta do que essa língua representa de fato a grosso modo, o conceito de língua estrangeira seria aquela situação de: a língua ela é estudada num numa situação comunicativa, na qual ela não é língua oficial Dei o exemplo de Espanhol, mas o ensino de inglês no Brasil Do Português na China, por exemplo seria língua estrangeira, mas o conceito "estrangeira" vem de "estranho" do outro, por exemplo Alguns teóricos como: Leffa, por exemplo

Eles criticam, o conceito de língua estrangeira porque é o conceito que não dá conta Ele, a princípio se fundamenta numa questão que é uma questão geográfica Eu acho muito interessante, o conceito de língua adicional O sujeito já tem uma língua uma primeira língua, seja vamos imaginar imigrantes no Brasil Vamos imaginar por exemplo, a comunidade surda indígenas que já tenham uma língua e que aprendem uma outra língua a partir dessa, então seria aí uma língua adicional, ou para alguns teóricos, uma segunda língua Essa questão da segunda língua nem sempre é aquela que vem posterior a primeira Eu posso ter aí línguas outras que o sujeito fala que são consideradas, segunda língua Para dar um exemplo e ficar bem claro vamos imaginar uma situação, seguinte: Eu tenho uma criança que nasce na Alemanha aí o pai é Espanhol, a mãe é Francesa Com a mãe, ele se comunica em francês e com o pai em espanhol mas na escola e na comunidade ele se comunica em alemão por exemplo, aí se questiona: Qual seria a língua materna desse menino? Então, pra alguns teóricos concomitantemente ele teria três línguas maternas, porque ele consegue se expressar subjetivamente, tanto em francês, em francês, em espanhol e em alemão

Mas problematizando mais ainda vamos imaginar que esse menino, aos cinco anos ele se mude para os Estados Unidos, por exemplo E agora aos cinco anos ele aprende inglês o inglês nesse caso, passa a ser uma segunda língua pra ele No entanto, essa questão das línguas pode haver uma mudança de "status" Isso é bilinguismo? Sim sim Isso é bilinguismo E aí ele é adquirido obviamente na na idade precoce

Existe dentro do Ensino de Português para Estrangeiros o conceito com o qual a gente trabalha que é o conceito: de Língua de herança, por exemplo Ainda pegando como ancoragem esse exemplo ele pode crescer e aí ele pode perder, por exemplo um pouco a fluência nessas outras línguas e falar inglês como um nativo Então, essa língua inglesa pra ele que agora ele aprendeu nos Estados Unidos passa a ser funcionar como uma língua materna Então essas classificações elas são muito tênues o que é nesse contexto, por exemplo O conceito de Língua de herança? Vamos imaginar Pais brasileiros que moram na França, por exemplo

E aí, em casa eles se comunicam em português com o filho, em todas as situações eles se comunicam em português, mas em todas as outras situações sociais, esse menino ele fala francês certo O português é restrito ao contexto familiar e o conceito de língua de herança é como algo que você herda realmente Só que nesse caso é uma questão da língua Ele tá herdando a língua e consequentemente outras questões, como a cultura Então, assim quando a gente vai pensar o Ensino de Português para Estrangeiros é interessante entender esses conceitos entender, por exemplo que aí eu tô lidando com um falante que não é falante nativo daquela língua ou seja, não foi naquela língua que ele aprendeu a tecer a sua subjetividade, a se expressar a gente até brinca, quando o sujeito vai dizer um palavrão Ele fala fala várias línguas, ele é poliglota Em que língua ele pensa inicialmente pra dizer esse palavrão? pra expressar uma subjetividade, amor, medo, angústia

Então, assim é interessante dentro quem vai trabalhar com o Ensino de Português para Estrangeiros entender essas particularidades Não só com o ensino de Português para Estrangeiros, porque aqui a gente tá falando especificamente disso entender o conceito de língua estrangeira, de língua materna, de segunda língua o conceito de língua adicional, que é um conceito que eu acho muito interessante Toda língua que você aprende e é adicionada à sua língua materna a gente entende como uma língua adicional Então, por exemplo

Os estrangeiros na perspectiva teórica que eu adoto, por exemplo Que aprendem português aqui na UFC Eles estão aprendendo português como uma língua adicional ou para outros posicionamentos teóricos como segunda língua, porque aí o português é uma língua oficial diferentemente de outros contextos ele vem pra Universidade aprende português, mas ele sai na rua, ele tá ouvindo, ele tá vivenciando a língua em situações de linguagem bem diferentes OK Eu gostaria de saber quais são atualmente os principais desafios do Ensino de Português para Estrangeiros ? É

O Ensino de Português para Estrangeiros, ele tem avançado muito mas assim ainda existem muitos desafios Eu posso elencar aqui alguns Por exemplo Formação de professores de Português para estrangeiros Hoje no Brasil, são pouquíssimas Universidades onde você tem uma formação em português para estrangeiros por exemplo, a UFC tem a formação de professores de espanhol, de francês, inglês, italiano, alemão Mas, não tem o curso de formação de português para estrangeiros Obviamente, então como é que os profissionais atuam, ou são capacitados para atuar nessa área ? Eles pegam muito, assim o know how do Ensino de línguas estrangeiras, as vezes ele é professor de inglês português/inglês ou português/espanhol e aí esse know how é transferido para o ensino de português para estrangeiros, então assim uma um grande desafio, hoje

Por exemplo, é a formação inicial e continuada Programa de formação inicial e continuada de professores de português para estrangeiros Talvez, uma segunda questão que eu elenque talvez tenha uma relação com essa primeira Que são: uso de materiais didáticos para o ensino de de português para estrangeiros Quando você pega, por exemplo os materiais de inglês, de espanhol, de francês e você compara com o que a gente tem no mercado hoje com os materiais didáticos de português para estrangeiros, você percebe que primeiro a quantidade de materiais é mais restrita E você percebe em muitos materiais, muitas limitações que aí a gente retoma de certo modo o que eu falei inicialmente parecem materiais de ensino de português como língua materna não contemplando questões muito peculiares no ensino de português para estrangeiros, por exemplo Eu tenho no ensino de português para estrangeiros, línguas que se aproximam Por exemplo, o português e o espanhol

Certo Então, dentre Nesse contraste linguístico: português e espanhol é interessante que os materiais didáticos contemplem essas questões Eu tenho particularidades próprias do espanhol como os heterosemánticos, os heterotônicos, os heterogenéricos São particularidades que o professor ao lidar com hispanofalantes, por exemplo

Que querem aprender português, é interessante que ele saiba e são poucos os materiais que dão suporte nisso, mas não só nessa questão pegando essas línguas mais próximas Vamos pensar em línguas mais distantes também Língua onde eu tenho um distanciamento muito grande do ponto de vista sintático, semântico, morfológico e consequentemente do ponto de vista cultural Onde as culturas, a variação por exemplo do grau de formalidade Aqui no Brasil, nós por exemplo temos Nós, no geral, somos considerados um povo mais aberto que nos aproximamos mais das pessoas que falamos tocando nas pessoas somos mais calorosos mais informais, digamos assim

E aí quando a gente vai lidar com o ensino de línguas, essas questões com essas questões também a gente lida, desde gestos que pra nós são óbvios mas você tá lidando com um estrangeiro, então às vezes um gesto que pra gente comunica muita coisa naquela outra língua ou naquela outra cultura isso não diz nada ou em muitos casos chega a ser até ofensivo No caso o toque o brasileiro tem muito essa mania de chegar "tudo bom!?" os estrangeiros não, alguns já acham Em algumas culturas, eles consideram isso muito invasivo, por exemplo

Então assim, eu tenho o desafio de formação de professores, eu tenho o desafio de de materiais didáticos que deem esse suporte, contemplem essas questões, são questões interculturais, também de mostrar o contraste dessas línguas a difusão do Ensino de Português para estrangeiros no Brasil tem crescido, tem se difundido Assim, muito nos últimos anos, o Ensino de Português para estrangeiros, mas assim ainda existe, pra mim, elencaria isso como os principais desafios ainda A gente não tem um programa a nível, inclusive Nacional de formação mesmo, com o aumento da quantidade de estrangeiros aqui no Brasil, seja por situação de fuga de imigração A gente ainda tem ainda é muito carente a parte de material didático de formação

Você poderia falar um pouco do cenário do Ensino de Português para Estrangeiros na Casa de Cultura Portuguesa? Pois é, a Casa de Cultura Portuguesa Ela está dentro Para quem não conhece, a Universidade Federal do Ceará, tem o que hoje no Brasil o maior programa de Ensino de Línguas, o Programa de Extensão que são as Casas de Cultura A gente tem a Casa de Cultura Alemã, a Britânia, a Italiana, A Francesa a Hispânica e a Portuguesa Tradicionalmente, a Casa de Cultura Portuguesa tem trabalhado, apesar do nome a gente não trabalha com o Ensino da cultura de Portugal

Embora, nos seus primórdios se trabalhasse isso Cursos de Literatura portuguesa, de Cultura Portuguesa Mas ao longo do tempo ela foi ganhando outro perfil e enssencialmente é o ensino de português para brasileiros com um enfoque mais gramatical e de produção textual Nos últimos anos, a partir de 2014 Nós sistematizamos um programa de Ensino de Português para estrangeiros; Curso de Português para estrangeiros língua e cultura brasileira Inicialmente, a gente começou com um semestre eu lembro que a gente abriu a primeira turma abriu 20 vagas se inscreveram 37 estrangeiros a gente percebeu que existia uma demanda reprimida Porque, embora a UFC já tivesse alguns cursos de português para estrangeiros esses cursos eram restritos a estudantes que tinham vínculo com a UFC, e aí aqui no Ceará tem aumentado cada vez mais o número de estrangeiros, seja por conta do Porto do Pecém, Empresas que tenham se instalado aqui de tecnologia, pessoas que vem fazer intercâmbio profissionais, não necessariamente acadêmicos e aí a gente tinha uma demanda reprimida A gente começou e foi aumentando Assim, a demanda e a oferta também

Então, nós sistematizamos o curso e adequamos, porque antes pedia certificados Português para estrangeiros um, dois e três E o estudante voltava para a Europa ou para os Estados Unidos ou, enfim, pra Ásia esse certificado não dizia muita coisa pra eles Então, a gente como referência, nós adequamos os nossos cursos ao Marco Comum Europeu ao Quadro Comum Europeu para o Ensino de Línguas E aí, hoje, nos nossos cursos são divididos em três níveis Nível A1 Nível A2 e o Nível B1 Cada um desses níveis nós temos dois semestres, então um semestre letivo ele tem 64 horas aulas A cada nível de 128 horas aulas ele, a cada semestre ele recebe um certificado, mas o nível cada nível são dois semestres, então são seis semestres, mas são independentes ele pode fazer o semestre 1 ou pode fazer teste de nível pra o semestre seguinte além do do curso de português para estrangeiros nós identificamos, por exemplo, a necessidade que eles tem de praticar a língua E é muito curioso também, a gente identificou isso Muitos brasileiros querem

Sei lá Aqui no bosque, as vezes abordam os estrangeiros pra praticar inglês ou espanhol E aí a gente viu essa demanda e criou a ideia do projeto TANDEM, TANDEM são aquelas bicicletas de dois lugares, onde duas pessoas pedalam com um objetivo e tal Aí nós sistematizamos o que a princípio era um grupo de conversação E aí nós organizamos o projeto E criamos o projeto TANDEM, que são encontros de duas horas onde uma hora o estudante, ele as práticas são em língua portuguesa e na outra hora é na língua estrangeira, então é uma troca linguística Imagina que você é um alemão que quer aprender português e eu quero aprender alemão então, a gente senta e parte desse tempo eu converso com você em português com base em alguns temas pré-estabelecidos num outro momento a gente conversa em alemão, então eu vou aprender é uma troca linguística Esse projeto, hoje está sistematizado

A gente, inclusive, vai começar semana que vem a edição desse semestre, desse programa Então tem grupo de português/espanhol, português/francês, português/italiano português/inglês Então, nesses grupos os brasileiros conseguem praticar essas línguas estrangeiras com os estrangeiros e também conseguem aprender os estrangeiros aprenderem e praticarem português Você poderia nos dar um panorama sobre as pesquisas do Ensino de Português pra estrangeiros no Brasil? Como eu disse, né Tem crescido muito a história do ensino de português para estrangeiros no Brasil Hoje, por exemplo existe alguns catalisadores desse crescimento, dentre eles o que a gente pode citar, por exemplo o governo criou como uma demanda do programa Ciências Sem Fronteiras, muitos brasileiros tinham bolsa para estudar no exterior e muitos escolhiam Portugal, porque não dominavam a língua estrangeira E aí o governo vendo essa necessidade investiu no programa de línguas que é o Programa Idioma Sem Fronteiras, que inicialmente começou com o inglês Com o tempo forma se estruturando outros idiomas e hoje existe um programa que eu coordeno aqui na UFC, que é o Programa Português sem Fronteiras Obviamente, com a criação oficial desse programa nas na maioria das Universidades brasileiras, criou-se uma oferta que não existia

Então, Universidades que por exemplo não tinham o curso regular de Português para Estrangeiros mas agora oferecem Curso de Português para Estrangeiros via Idiomas Sem Fronteiras, por exemplo Então, a gente pode dizer que na maioria das Universidades Todas as Universidades que tem o programa Idioma sem Fronteiras, obrigatoriamente tem que ter o Português sem Fronteiras, Então são cursos, por exemplo voltados para a realidade acadêmica com o foco em estrangeiros com vínculos com as Universidades, sejam funcionários, professores ou técnicos administrativos ou estudantes Então, assim é uma sinalização de um crescimento

Então, com essa Com a criação do Português sem Fronteiras, obviamente todas as Universidades passarão a ofertar cursos de Português para estrangeiros São cursos como: Aspectos da cultura brasileira, Cursos de produção oral, de produção escrita, produção de gêneros acadêmicos preparatórios para o SELPE-BRAS Mas, fora o Idioma sem Fronteiras algumas Universidades tem, recentemente eu participei agora no final de Maio no Encontro Nordestino de Coordenadores do Português sem Fronteiras na Universidade de Campina Grande A gente trocou algumas experiências, o Norte e Nordeste Então, a gente percebe que mesmo fora do Idioma Sem Fronteiras algumas Universidades tem algumas experiências muito interessantes com o Ensino de Português para estrangeiros, tem crescido essa oferta Mas, assim Existe um cenário que é importante a gente entender, que é um cenário histórico do próprio fortalecimento do Português do Português ou do interesse das pessoas de aprenderem português a gente tem alguns fenômenos, dentre eles o fortalecimento do Mercosul E aí, os interesses de instalação de empresas no Brasil, empresas do Mercosul no Brasil a vinda da Copa do Mundo para o Brasil e consequentemente a divulgação da cultura brasileira, através da mídia

Muitas pessoas ficaram interessadas em aprender o Português por conta disso A música brasileira difundida pelo mundo, então novelas, filmes Então, a gente não pode desvincular a língua de cultura Essa divulgação obviamente da cultura brasileira desperta um pouco o interesse também pela língua, fora isso o processo de internacionalização dentro das Universidades A internacionalização não é só receber pessoas, não é só enviar pessoas para outras Universidades do mundo É também receber, e aí tem aumentado por exemplo a quantidade de estudantes estrangeiros nas Universidades brasileiras

Eu cito como exemplo estudantes que vem com bolsas da OEA Organização dos Estados Americanos ou projetos como: o PEC G, PEC graduação, o PEC PG que são programas de Pós Graduação quando os estudantes eles vem através de intercâmbio e precisam estudar a língua tendo a necessidade de estudar a língua portuguesa aqui no Brasil é interessante destacar com essa história do crescimento que o Brasil Nós temos um certificado que é o CELPBRAS o Certificado de Português como Língua Estrangeira é um certificado criado, um exame criado pelo Governo Federal via Ministério das Relações Exteriores que é quem certifica em termos de proficiência, assim como o Espanhol tem o DELE o Inglês tem o TOEFL, o Brasil tem o CELPE-BRAS Então, por exemplo aqui a UFC é um posto aplicador do CELPE-BRAS a gente percebeu, por exemplo uma demanda muito grande nessa primeira aplicação agora em Maio de pessoas querendo fazer a prova do SELPE-BRAS aqui Dentre os inscritos a gente percebeu muito, por exemplo o perfil profissional deles, por exemplo a presença do Mais médicos no Brasil Muita gente mesmo com o fim do programa muitos médicos Cubanos permaneceram no Brasil E aí eles Uma demanda de aprender português de fazer o teste de proficiência do SELPE-BRAS pra poder validar o diploma no Brasil O Brasil é um país grande até pela imigração A gente tem fenômenos históricos agora interessantes interessantes para ser compreendido, mas ao mesmo tempo muito tristes como é a questão da Venezuela esse processo imigratório aí pro Brasil a crise muitos Venezuelanos, nós no nosso curso aqui na UFC temos muitos estudantes oriundos da Venezuela, muitos Cubanos muitos estudantes oriundos de países Africanos, países Asiáticos que estão aqui por diferentes motivações, a gente tem aqui desde grandes empresários, que estão aqui e tem grandes empresas no Brasil a trabalhadores da construção civil estrangeiros, então um público muito heterogêneo Você coordena o Núcleo de Ensino e Pesquisa em Português para estrangeiros, o NUEP

Eu gostaria de saber um pouco mais sobre as pesquisas que vocês fazem lá o funcionamento do grupo Pronto, então com essa criação em 2014 do curso a gente foi estruturando ao longo do tempo e foram surgindo algumas demandas, como eu falei pra você anteriormente a gente detecta, por exemplo a carência de uma formação continuada de professores, então conversando com algumas pessoas bolsistas que participavam que davam aula voluntariamente na Casa de Cultura Portuguesa de português para estrangeiros a gente tinha alguns encontros de discussão de textos teóricos discutir algumas questões, e aí com base nisso a gente identificou uma demanda Nós precisamos sistematizar um grupo de pesquisa pra melhor estruturar algumas demandas que a gente tem, então a gente criou o NUEP E ele tá credenciado hoje aqui na UFC pelo Cnpq como um grupo de pesquisa oficial da Universidade NUEP tem, a gente tem dentro do NUEP hoje são cerca de 35 pessoas participando, dentre eles professores de Universidades dessa Universidade e de outras, estudantes de graduação, estudantes de Graduação e Pós-graduação Nós temos encontros semanais onde parte do semestre a gente tem uma discussão de uma sequência de textos Um encontro semanal as quintas feiras pra discussão teórica mesmo de alguns textos e aí no final do semestre agora a gente tá numa fase de palestras a gente convida alguns professores para falarem sobre temas relacionados ao ensino e a pesquisa de português para estrangeiros Além disso o NUEP realiza encontros semanais de discussão de planos de aula e planejamento de atividades de ensino de português para estrangeiros

Toda terça-feira a gente senta com os bolsistas e tem a discussão de planos de aula os bolsistas sentam, apresentam os planos de aula o que eles pretendem fazer naquela aula, aí a gente tem uma troca de ideias Além disso a gente tem atividades que se estendem além da Universidade e o grande destaque das atividades do NUEP são as aulas de campo nós entendemos que assim, que o ensino de língua ele não deve ficar encastelado dentro da Universidade, então a gente tá vivenciando a língua numa perspectiva imersiva mesmo Então, nós sistematizamos aulas de campo que isso é muito comum na Geografia, por exemplo Mas nós temos Vou citar três exemplos de aulas de campo que o NUEP propõe Uma delas no Centro da cidade, a gente tem uma rota no centro histórico de Fortaleza A gente começa na Praça do leões aí faz Academia Cearense de Letras Museu do Ceará Praça José de Alencar, Cine Teatro São Luis Teatro José de Alencar e Passeio Público Uma das nossas rotas é essa, o que é ? A gente tem uma leitura da cidade a princípio algumas vezes a gente faz com alguns colegas professores de história que é uma leitura da cidade que até alguns cearenses não tem que é passar pela praça do Ferreira e entender a importância histórica as influências e o crescimento de Fortaleza a partir do Centro

A importância que o Centro já teve a questão da Urbanização, do transporte da questão comercial do Centro e tal, a importância de espaços como o Cine Teatro São Luís pra cidade a importância histórica que ele tem e aí o próprio discurso dentro de alguns espaços como o Museu do Ceará e o Teatro José de Alencar tem visitas guiadas e aí ele tem todo um discurso ali que vai dos índios, até a política mais recente Então os estrangeiros estão imersos nesses espaços e aí não só dos espaços culturais, a gente passa por exemplo vai no leão do sul e eles tomam pastel com caldo de cana a gente explica que é uma tradição que é muto cearense passa no centro e tem um cara vendendo seriguela que eles não sabem o que é alguns provam a seriguela e tal é uma questão muito de imersão mesmo Então, é a percepção da cidade diferente, a partir de um olhar Você explica: Olha, aqui é a Praça tal ela tem características tais e tal Enfim, a gente direciona esse olhar Uma outra aula de campo que a gente tem é a da rota do café verde, essa rota foi sistematizada pelo SENAC, ele pegou alguns sítios que produzem o café orgânico no Maciço de Baturité e organizou uma rota Então, a gente leva os estrangeiros pra conhecer um pouco da importância histórica da produção cafeeira pra economia do Ceará

Então, eu falo um pouco da importância da questão da construção dos trilhos e trem pra escoamento do café da serra, certo e aí passa na estação ferroviária de Baturité passa num sítio em Guaramiranga que é o sítio Águas finas, onde eles colhem o café orgânico no meio da floresta e acompanham todas as etapas de produção do café, desde a colheita A gente colhe o café realmente vê o café secando É como os programas de culinária, as etapas estão ali pré-estabelecidas vê o café secando, mas a torragem, a moagem e a degustação do café acontecem la, né E eles fazem isso e visitam também um sítio em Pacoti que é o sítio São Luís

Então, é uma coisa muito legal, nesse dia a gente passa o dia inteiro, inclusive agora 27 de junho a gente tem mais uma atividade dessas A gente passa o dia inteiro com eles e a terceira como exemplo a visita a a povos tradicionais a gente tem a gente já visitou aqui a comunidade a etnia jenipapo Canindé uma etnia indígena aqui em Aquiraz, uma comunidade indígena a gente passou o dia com eles, visitou o museu, fez trilha na comunidade visitou a escola indígena e tomou um banho de lagoa também foi um negócio altamente interessante assim Então, assim a gente tira os estrangeiros desse espaço e quebra também alguns esteriótipos deles porque no aprendizado de línguas estrangeiras com eles vem alguns esteriótipos, então uma coisa que a gente pergunta nos primeiros dias de aula Que imagem de Brasil eles tinham e por que ? e aí sempre vem aqueles esteriótipos do samba, do carnaval, do futebol, enfim E aí assim, ao longo do curso a gente percebe muito obviamente a gente problematiza muito questões sociais a gente tem uma pegada mais assim, numa perspectiva mesmo no letramento crítico dessas questões sociais no Ensino de Línguas estrangeiras Então, não é só não tem como desvincular língua de cultura e não tem como desvincular a língua da abordagem crítica Assim, até tem como mas a gente demarca esse posicionamento ideológico mesmo de abordar a língua com uma leitura mais crítica, entendeu? O interessante dessas aulas de campo é que promove uma troca cultural mais aprofundada né entre os professores, estudantes

É um momento também de interação, nem sempre eu imagino, por exemplo você vai pra um país Eu viajo pro exterior quero aprender línguas, nem sempre as Universidades oferecem isso Então, assim como você falou é realmente um espaço de interação, além do curso ser essencialmente interativo, né Pelas propostas de atividades em sala de aula né Não são aulas expositivas, aulas de línguas pressupõe interação Por trás disso existe uma concepção de linguagem a linguagem como interação, mas assim, realmente são criados espaços onde eles interagem É muito legal Nós participamos, por exemplo de uma atividade de uma semana cultural numa escola pública e foi muito legal uma colega convidou porque eles tinham a semana cultural e aí colocou os meninos no auditório da escola aí eu fui com um grupo de 15 estrangeiros

A gente tinha coreanos, tinha um pessoal da Finlândia e os meninos pediam pra ele falar Falem coreano pra eu ver e o pessoal mesmo sem entender nada eles ficavam perguntando coisas sobre os países, sobre a Finlândia, sobre os estados Unidos e tal E tiraram foto com o pessoal e foi tão engraçado A gente visitou um dia aí teve duas das estrangeiras, uma da República Checa e outra da Coréia que continuaram participando das atividades culturais da escola que para os meninos é muito exótico, assim, ir um grupo de 15 estrangeiros pra uma escola pública e aí eles puderam Muito legal

E para os estrangeiros também né Porque eles conheceram, por exemplo um pouco dessas realidades que a gente não tem em cursos convencionais Então, nossa proposta mesmo é desencastelar sair dos muros da Universidade, enfim ter algumas leituras a gente tá agora um diálogo com alguns alguns equipamentos culturais da cidade pra ter sessões Há possibilidade de ter sessões de cinema pro grupo de estrangeiros e seguidos de um debate algum filme brasileiro seguido de algum debate Então, nossa proposta é essa, né

De sair da Universidade e ocupar outros espaços também OK Por uma questão de tempo a gente vai encerrar eu gostaria de fazer de novo um agradecimento especial a você professor pelo tempo que você disponibilizou Então, prazer Valeu, deixa só eu divulgar aqui as nossas redes sociais Então, no APP as pessoas que tiverem acompanhando e quiserem pesquisar quiserem trabalhar com Português para estrangeiros, seja com pesquisas seja com participação nas discussões ou até mesmo acompanhar as aulas nós temos um site que é: www

pleufcbr aí nós estamos presentes nas redes sociais também Estamos no Instagran: @portuguesparaestrangeiros no Facebook Português para estrangeiros: Língua e cultura brasileira Então, as pessoas nos encontram nesses espaços ou pelo e-mail: [email protected]

br OK Obrigado a você, obrigado ao TECLE pelo convite

Paneuritmia legendada em português (com transcrição fónetica búlgaro)

Mestre Peter Deunov Beinsa Douno Paneuritmia O primeiro dia da primavera Pǎrviat den na prolèta, O primeiro dia da Primavera, pǎrviat den na radosta, o primeiro dia da alegria, pǎrviat den na lioubovta, o primeiro dia do amor, nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida

Pǎrviat den na prolèta, O primeiro dia da Primavera, pǎrviat den na radosta, o primeiro dia da alegria, pǎrviat den na lioubovta, o primeiro dia do am or, nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida I ojiviava i ni boudi sǎs lioubov: Ele vivifica-nos e desperta-nos com amor: – Stavaïté ot sǎn, dèça! – Levantem-se do vosso sono, filhos! Prolet mila vèč doïdé A doce Primavera já está aí Çélata priroda péè

A Natureza inteira canta Slǎnçé toplo vèčè gréï Um quente sol já brilha Nossi çvétia i plodové, Ele traz flores e frutos, nossi pésni i igri traz canções e danças

Pǎlni vséka tvar s’jivot, Ele enche cada ser de vida, boudi radost vǎv douḥat, desperta a alegria nos espíritos, razvèssèliava sǎrçata ni traz o contentamento aos nossos corações Gréè, gréï, slǎnçéto blagodatno, Ele brilha, brilha, o sol benfazejo, çélouva néjno çélata zèmia, beija ternamente a terra inteira i ia oukičva s’prèlestni bèzbroï çvètia e adorna-a com o encanto de mil flores Bléskavi zvèzdi Astros resplandecentes, brilianti svétli diamantes de luz, skazaniia mǎlviat

contam-nos histórias Gréè čistata louna, A lua pura brilha; bèzpir lèti po svoia pǎt sem descanso, ela voa no seu caminho po nèbesna chir no espaço celeste I dèniat pristiga slèd nochta E o dia sucede à noite Sila e radost, O sol traz-nos força e a alegria, mladost e obič slǎnçéto nossi juventude e amor, i vdǎḥnoviava, e inspira-nos, i vǎzrastva v’krassota

e faz-nos crescer na beleza Sila e radost, O sol traz-nos força e a alegria, mladost e obič slǎnçéto nossi juventude e amor, i vdǎḥnoviava, e inspira-nos, i vǎzrastva v’krassota e faz-nos crescer na beleza Eto go, rajda cè krassivi den Eis um belo dia que nasce! Eto go, slǎnçéto kǎm nazi gréï

Eis o sol que brilha para nós! Ḥimni v’gorata vèssèlo ptičençè peï Um passarinho, nos bosques, canta hinos alegremente Bodro igraèm po rosni trèvi i çvétia Nós dançamos com entusiasmo sobre a erva e as flores cobertas de orvalho Svétlata radost obilno ni gréï Uma clara alegria brilha abundantemente em nós Sila v’douchata bèzpirno izliva ni tia

e incessantemente enche de a força na nossa alma Svétlata radost obilno ni gréï Uma clara alegria brilha abundantemente em nós Sila v’douchata bèzpirno izliva ni tia e incessantemente enche de a força na nossa alma Eto go, rajda cè krassivi den

Eis um belo dia que nasce! Eto go, slǎnçéto kǎm nazi gréï Eis o sol que brilha para nós! Ḥimni v’gorata vèssèlo ptičençè peï Um passarinho, nos bosques, canta hinos alegremente Bodro igraèm po rosni trèvi i çvétia Nós dançamos com entusiasmo sobre a erva e as flores cobertas de orvalho Svétlata radost obilno ni gréï

Uma clara alegria brilha abundantemente em nós Sila v’douchata bèzpirno izliva ni tia e incessantemente enche de a força na nossa alma Svétlata radost obilno ni gréï Uma clara alegria brilha abundantemente em nós Sila v’douchata bèzpirno izliva ni tia e incessantemente enche de a força na nossa alma

Nié planini té običamè Nós amamos as montanhas Divniya Moussala vǎzpévamè e celebramos o esplêndido Moussala Pri sèdmostrouna arfana Rila sé dim Nós ficamos junto da harpa de sete cordas de Rila

Mochtnoto slǎnçè posréchtamè na ranina De manhãzinha, vamos ao encontro do poderoso sol Vèčer siyaïnitè svèzdi slèdim À noite, nós contemplamos as estrelas cintilantes i lounata prèkrassna v’nèbessnata chir e a lua, tão bela, no espaço celeste Vèčer siyaïnitè svèzdi slèdim À noite, nós contemplamos as estrelas cintilantes i lounata prèkrassna v’nèbessnata chir

e a lua, tão bela, no espaço celeste Pǎrviat den na prolèta, O primeiro dia da Primavera, pǎrviat den na radosta, o primeiro dia da alegria, pǎrviat den na lioubovta, o primeiro dia do amor, nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida, nossiat sila e jivot traz-nos a força e a vida Pǎrviat den na prolèta, O primeiro dia da Primavera, pǎrviat den na radosta, o primeiro dia da alegria, pǎrviat den na lioubovta, o primeiro dia do amor, nossiat sila e jivot, traz-nos a força e a vida, nossiat sila e jivot traz-nos a força e a vida

I zémiata sè sǎboujda ot sǎnia E a terra desperta do seu sono Počva novi svétǎl den, Um novo dia luminoso começa, noviia den na prolèta um novo dia de Primavera I prirodata likouva, E a Natureza exulta, čè ia slǎnçé toplo gréï porque o sol a aquece e ilumina i lǎči obilno lèï

e a inunda com os seus raios Vsičko radva sé i péï Tudo rejubila e canta Slǎnçèto greï, O sol brilha, gali s’lǎči çvétença acaricia com os seus raios as florinhas, i trévi i nass as ervas e nós

Na ranina vǎztorjèno igraèm ni De manhãzinha, nós dançamos com entusiasmo Vǎzdouḥ blagodat O ar é uma bênção Ptički ḥvǎrkat vèssèlo nad nass

Os passarinhos voam alegremente sobre nós Prirodata siiaè çèla v’krassota A natureza inteira irradia beleza Rosna trèviça blesnala v’elmaz Sob o orvalho, a erva brilha como um diamante

Çvétiata lèiat aromat As flores espalham o seu perfume Vǎzdouḥ blagodat O ar é uma bênção Ptički ḥvǎrkat vèssèlo nad nass

Os passarinhos voam alegremente sobre nós Prirodata siiaè çèla v’krassota A natureza inteira irradia beleza Rosna trèviça blesnala v’elmaz Sob o orvalho, a erva brilha como um diamante

Çvétiata lèiat aromat As flores espalham o seu perfume Slǎnçèto greï, O sol brilha, prachta vèssèliè po çèlata zémia espalha alegria sobre toda a terra Çéliia mir sǎboujda, Ele desperta o mundo inteiro, vika sǎs lioubov

chama-o com amor Vliva ni jivot, Verte sobre nós a vida, dava radost, mir i krassota dá-nos a alegria, a paz e a beleza Zaliazva to, no vèčno sè iaviava pak Ele põe-se, mas eternamente reaparece

Blesti izprachta jiva svétlina, Resplandece, envia a luz viva, sloujitèl mil na blag Bachta servidor amado do Pai Clemente Vliva ni jivot, Verte sobre nós a vida, dava radost, mir i krassota dá-nos a alegria, a paz e a beleza Zaliazva to, no vèčno sè iaviava pak

Ele põe-se, mas eternamente reaparece Blesti izprachta jiva svétlina, Resplandece, envia a luz viva, sloujitèl mil na blag Bachta servidor amado do Pai Clemente Nagorè da polètim Lancemo-nos para as alturas, kǎm nèbesniia prostor para os espaços celestes

S’mir, lioubov i svétlina Com paz, amor e luz vsičko rasté v’krassota, tudo cresce na beleza i ni nossi mǎdrosta e traz-nos a sabedoria Vséki den, vséki čas, vséko ia minouta Cada dia, cada hora, cada minuto, ni snovèm i tǎčem naï krassivi misli nós tecemos os mais belos pensamentos I jivot svet i čist vǎv douchité vlivamé e uma vida santa e pura vertemos nas almas

Néka mir i lioubov Que a paz e o amor v’sǎrça ni da çarouva, reinem nos nossos corações, dobrota, milosǎrdiè v’nazi da jivéï, a bondade, a clemência vivam em nós, svétlina i vèssèliè navred da gréï! a luz e a alegria brilhem em toda a parte! Néka mir i lioubov Que a paz e o amor v’sǎrça ni da çarouva, reinem nos nossos corações, dobrota, milosǎrdiè v’nazi da jivéï, a bondade, a clemência vivam em nós, svétlina i vèssèliè navred da gréï! a luz e a alegria brilhem em toda a parte! Çvétençata aromat sladosten pilèiat As florzinhas dispensam o seu suave aroma Ptičkité v’nèbesna chir čouroulikat, pèiat Os passarinhos, no espaço celeste, chilreiam, cantam I dǎjdèça romoli nad nivi i livadi

E uma fina chuva murmura nos campos e nos prados Tǎï i ni vséki den, vsékoia minouta, Assim nós, cada dia, cada minuto, chté rabotim, ché rastem, trabalharemos, cresceremos, i dobrochté séèm, e semearemos o bem, i v’douchité si krassivi misli nié da tǎčem e nas almas teceremos belos pensamentos Misli, pravo misli Pensa, pensa bem

Misli, pravo misli Pensa, pensa bem Svèchténi misli za jivota ti krépi Mantém santos pensamentos para a vida Svèchténi misli za jivota ti krépi

Mantém santos pensamentos para a vida Svèchténi misli za jivota ti krépi Mantém santos pensamentos para a vida Svèchténi misli za jivota ti krépi Mantém santos pensamentos para a vida

Krèpi, krèpi, krèpi, Mantém, mantém, mantém, Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida Krèpi, krèpi, krèpi, Mantém, mantém, mantém, Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida Misli, pravo misli

Pensa, pensa bem Misli, pravo misli Pensa, pensa bem Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida

Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida Svèchténi misli za jivota ti krépi

mantém santos pensamentos para a vida Krèpi, krèpi, krèpi, Mantém, mantém, mantém, Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida Krèpi, krèpi, krèpi, Mantém, mantém, mantém, Svèchténi misli za jivota ti krépi mantém santos pensamentos para a vida

Aoum, Aoum, Aoum Aum, Aum, Aum Aoum Aum Aoum, Aoum, Aoum Aum, Aum, Aum Aoum Aum Aoum, Aoum, Aoum Aum, Aum, Aum Aoum Aum Aoum, Aoum, Aoum Aum, Aum, Aum Aoum Aum Izgrèva slǎnçéto, O sol nasce, prachta svétlina, espalha a luz, nossi radost za jivota tia traz alegria para a vida Izgrèva slǎnçéto, O sol nasce, prachta svétlina, espalha a luz, nossi radost za jivota tia traz alegria para a vida

Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta

Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Zoun mè zoun, zoun mè zoun, Zun mè zun, zun mè zun, binom toumèto binom toumèto

Zoun mè zoun, zoun mè zoun, Zun mè zun, zun mè zun, binom toumèto Izgrèva slǎnçéto, O sol nasce, prachta svétlina, espalha a luz, nossi radost za jivota tia traz alegria para a vida Izgrèva slǎnçéto, O sol nasce, prachta svétlina, espalha a luz, nossi radost za jivota tia traz alegria para a vida

Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta

Força viva que jorra da fonte Sila jiva izvorna tèčouchta Força viva que jorra da fonte Zoun mè zoun, zoun mè zoun, Zun mè zun, zun mè zun, binom toumèto binom tumèto

Zoun mè zoun, zoun mè zoun, Zun mè zun, zun mè zun, binom toumèto binom tumèto Slǎnçèto greï, O sol brilha, trèpti zorata ot jivot i lioubov a aurora palpita de vida e de amor Trèpti zorata, A aurora palpita, greïnala v’briliantèni lǎči

brilha com raios de diamante Vsičko dness péï, Tudo canta, hoje, vsičko dness sladko glasno péï tudo canta com voz suave za Boji den, para o dia divino, za novi svétal Boji den, para o novo dia divino, za radost nova, para a nova alegria, chto v’sǎrçata ni bezpirno leï que nos nossos corações ele verte sem cessar Vsičko dness péï, Tudo canta, hoje, vsičko dness sladko glasno péï tudo canta com voz suave za Boji den, para o dia divino, za novi svétal Boji den, para o novo dia divino, za radost nova, para a nova alegria, chto v’sǎrçata ni bezpirno leï que nos nossos corações ele verte sem cessar

Slǎnçèto greï, O sol brilha, trèpti zorata ot jivot i lioubov a aurora palpita de vida e de amor Trèpti zorata, A aurora palpita, greïnala v’briliantèni lǎči brilha com raios de diamante Vsičko dness péï, Tudo canta, hoje, vsičko dness sladko glasno péï tudo canta com voz suave za Boji den, para o dia divino, za novi svétal Boji den, para o novo dia divino, za radost nova, para a nova alegria, chto v’sǎrçata ni bezpirno leï

que nos nossos corações ele verte sem cessar Vsičko dness péï, Tudo canta, hoje, vsičko dness sladko glasno péï tudo canta com voz suave za Boji den, para o dia divino, za novi svétal Boji den, para o novo dia divino, za radost nova, para a nova alegria, chto v’sǎrçata ni bezpirno leï que nos nossos corações ele verte sem cessar Vséka soutrin v’ranen čass Cada manhã, de madrugada, slǎnçéto posrèchtamé nós vamos ao encontro do sol

Lǎči, vǎzdouḥ i rossa Os raios, o ar e o orvalho radvat nachité sǎrça alegram os nossos corações Lǎči, vǎzdouḥ i rossa Os raios, o ar e o orvalho radvat nachité sǎrça alegram os nossos corações Vdǎḥnovèni misli v’nas da potèkat! Que pensamentos inspirados nos visitem! I krassivi čouvstva da rastat! Que belos sentimentos cresçam em nós! Sladki zréli plodové da davat, Que eles deem frutos doces e maduros, i jivota vred da oukrassiavat

e tornem a vida bela Gréïnali lǎçi navred Por toda a parte brilham raios, Bistro izvorčè chourti uma nascentezinha límpida corre Radost blika v’çèli svet

No mundo inteiro jorra a alegria Ptička vèssèlo lèti Os passarinhos voam, contentes Gréïnali lǎçi navred Por toda a parte brilham raios, Bistro izvorčè chourti

uma nascentezinha límpida corre Radost blika v’çèli svet No mundo inteiro jorra a alegria Ptička vèssèlo lèti Os passarinhos voam, contentes

Vséka soutrin v’ranen čass Cada manhã, de madrugada, slǎnçéto posrèchtamé nós vamos ao encontro do sol Lǎči, vǎzdouḥ i rossa Os raios, o ar e o orvalho radvat nachité sǎrça alegram os nossos corações Lǎči, vǎzdouḥ i rossa Os raios, o ar e o orvalho radvat nachité sǎrça

alegram os nossos corações Vdǎḥnovèni misli v’nas da potèkat! Que pensamentos inspirados nos visitem! I krassivi čouvstva da rastat! Que belos sentimentos cresçam em nós! Sladki zréli plodové da davat, Que eles deem frutos doces e maduros, i jivota vred da oukrassiavat e tornem a vida bela Gréïnali lǎçi navred Por toda a parte brilham raios, Bistro izvorčè chourti

uma nascentezinha límpida corre Radost blika v’çèli svet No mundo inteiro jorra a alegria Ptička vèssèlo lèti Os passarinhos voam, contentes

Gréïnali lǎçi navred Por toda a parte brilham raios, Bistro izvorčè chourti uma nascentezinha límpida corre Radost blika v’çèli svet No mundo inteiro jorra a alegria

Ptička vèssèlo lèti Os passarinhos voam, contentes Dèniat pristiga sled nochta, O dia sucede à noite, i radost idè sled skrǎbta e a alegria vem depois da tristeza Vǎrvimè ni po svètli pǎt, Nós caminhamos num caminho luminoso, prègradi nèma da ni sprat

nenhuma barreira nos detém Taï bezpirno chté vǎrvimè Assim, incessantemente nós caminharemos s’véra i lioubov v’gǎrdité; com o peito cheio de fé e de amor; kam pobèdi chté létimè, voaremos para a vitória, dokat glédat ni očité até que os nossos olhos a contemplem Bodro vdigamé čèla, Valentemente nós erguemos a cabeça, smélo trǎgvamè napred! avançamos com ousadia! Dori v’névolia i bèda Mesmo na trsteza e na dor, za nas è ḥoubav Boji svet para nós, o mundo que Deus criou é belo

Milva ni tiḥiiat zéfir A doce brisa acaricia-nos Péiat ni ptički s’vèssèl glass Os passarinhos cantam com voz alegre Leï sè v’douchata èlixir Um elixir corre na alma pri izgrèv slǎnçé v’ranen čass

ao nascer-do-sol, de manhãzinha Milva ni tiḥiiat zéfir A doce brisa acaricia-nos Péiat ni ptički s’vèssèl glass Os passarinhos cantam com voz alegre

Leï sè v’douchata èlixir Um elixir corre na alma pri izgrèv slǎnçé v’ranen čass ao nascer-do-sol, de manhãzinha Likouva çèlata sémia A terra inteira exulta i sè radva ot sǎrçè e o seu coração transborda de alegria I tiča tia po svoia pǎt, Ela corre no seu caminho, kato dèviça vǎzlioubéna

como uma virgem bem-amada Tia jadouva slǎnçèto Ela tem sede do sol i kǎm nègo sè strèmi e é para ele que corre To ia milva ot dalèč Ele acaricia-a de longe i çèlouva ia s’lǎči e beija-a com os seus raios

Tia sè radva i mou péï: Ela rejubila e canta para ele: «O, slǎnçè na jivota moï, «Ó sol da minha vida, lètia, lètia kǎm tèbè nèprestano, eu voo, eu voo para ti sem cessar, i pǎlna s’radost cheia de alegria Réki tékat, Os rios correm, izvori blikat čist, as nascentes puras brotam, vǎrḥovè bèlosnejni cumes brancos de neve vǎv rozovi siiania, cobertos com uma luz rosada oblivach izobilno s’milouvki néjni» tu banha-los com abundantes e ternas carícias» Kolko priiatno ptičençè pèè, Que prazer no canto dos passarinhos, i blagodatno slǎncèto gréï e que bênção no brilho do sol Rosni livadité, svèji polianité, Nos prados orvalhados, nas frescas clareiras, i graèm ni i péèm v’ranina

nós dançamos e cantamos de manhãzinha Rosni livadité, svèji polianité, Nos prados orvalhados, nas frescas clareiras, i graèm ni i péèm v’ranina nós dançamos e cantamos de manhãzinha Jivota è krassiv i izobilen, A vida é bela e abundante, čé Bog nad nazi é milostiv pois Deus acima de nós é misericordioso

Jivota è krassiv i izobilen, A vida é bela e abundante, čé Bog nad nazi é milostiv pois Deus acima de nós é misericordioso A sled igri i pesni krassivi Mas depois dos belos cantos e danças niè rabotim v’nachitè nivi nós vamos trabalhar nos campos I gui possiavamè sèmè izbrano, Nós semeamos uma semente de qualidade da niknat zréiat jitni klassové

para que cresçam e amadureçam as espigas de trigo I gui possiavamè sèmè izbrano, Nós semeamos uma semente de qualidade da niknat zréiat jitni klassové para que cresçam e amadureçam as espigas de trigo I drèbèn dèjd rossa chté gui polèè E a chuva fina, o orvalho, regá-las-ão I slǎnçèto chté guivǎzrasti

e o sol fá-las-á crescer I drèbèn dèjd rossa chté gui polèè E a chuva fina, o orvalho, regá-las-ão I slǎnçèto chté guivǎzrasti e o sol fá-las-á crescer Vsèki ḥoubav Boji den, Cada belo dia de Deus dicham radost i jivot, eu respiro alegria e vida i likǎt mi è zasmen, e o meu rosto é sorridente, čé običa men Gospod

porque Deus me ama Slǎnčiçèto sǎs lioubov O sol, com amor, milva moèto liçè acaricia o meu rosto, I glassǎt lioubim Ḥristov e a voz amada do Cristo chèpnè v’moèto sǎrçè: sussurra no meu coração: «Krépko, smèlo ti jivéï «Com força, com ousadia, vive I pomagaï na svèta e socorre o mundo V’pèsni radostni vǎspéï ti Com cantos de alegria dá glória na Boga lioubovta, ao amor de Deus, nach Bachta lioubim i svet o nosso Pai bem-amado e santo i na vsi douchi poznat» e conhecido de todas as almas

» Vsèki ḥoubav Boji den, Cada belo dia de Deus dicham radost i jivot, eu respiro alegria e vida i likǎt mi è zasmen, e o meu rosto é sorridente, čé običa men Gospod porque Deus me ama Slǎnčiçèto sǎs lioubov O sol, com amor, milva moèto liçè acaricia o meu rosto, I glassǎt lioubim Ḥristov e a voz amada do Cristo chèpnè v’moèto sǎrçè: sussurra no meu coração: «Krépko, smèlo ti jivéï «Com força, com ousadia, vive I pomagaï na svèta e socorre o mundo V’pèsni radostni vǎspéï ti Com cantos de alegria dá glória na Boga lioubovta, ao amor de Deus, nach Bachta lioubim i svet o nosso Pai bem-amado e santo i na vsi douchi poznat

» e conhecido de todas as almas» Vsèki ḥoubav Boji den, Cada belo dia de Deus dicham radost i jivot, eu respiro alegria e vida i likǎt mi è zasmen, e o meu rosto é sorridente, čé običa men Gospod porque Deus me ama Slǎnčiçèto sǎs lioubov O sol, com amor, milva moèto liçè acaricia o meu rosto, I glassǎt lioubim Ḥristov e a voz amada do Cristo chèpnè v’moèto sǎrçè sussurra no meu coração

Kolko smè dovolni čè v’svèta jivéèm! Como estamos contentes por viver no mundo! Kato ptički volni čoudni pesni péèm Como passarinhos livres, cantamos cânticos maravilhosos Kolko smè dovolni čè v’svèta jivéèm! Como estamos contentes por viver no mundo! Kato ptički volni čoudni pesni péèm Como passarinhos livres, cantamos cânticos maravilhosos Soutrin milo slǎnçè posrèchtamé rano

De manhãzinha vamos ao encontro do doce sol To ni blagoslavia i jivot ni dava Ele abençoa-nos e dá-nos a vida Soutrin milo slǎnçè posrèchtamé rano De manhãzinha vamos ao encontro do doce sol

To ni blagoslavia i jivot ni dava Ele abençoa-nos e dá-nos a vida Vǎzdouḥ dicham blagodat Eu respiro um ar cheio de bênçãos Radostno otivam za doma

Alegremente, volto para casa Çélata priroda s’mènè péï, Toda a natureza canta comigo, slǎnçèto mé jivo gréï o sol aquece-me vivamente Vǎzdouḥ dicham blagodat Eu respiro um ar cheio de bênçãos

Radostno otivam za doma Alegremente, volto para casa Çélata priroda s’mènè péï, Toda a natureza canta comigo, slǎnçèto mé jivo gréï o sol aquece-me vivamente Men prirodata običa A natureza ama-me i v’jivota mi pomaga; e ajuda-me na vida; čèdo svoè mè nariča ela chama-me seu filho i mi kazva douma blaga: e dirige-me doces palavras: «Raboti, ouči, vrèmè nè goubi, «Trabalha, estuda, não percas tempo, vrèmè nè pileï, skǎp jivot pazi

não desperdices um momento, conserva a vida preciosa Toï è Boji dar, mil i skǎpoçen; Ela é um dom de Deus, caro e precioso; ti dobrè vardi go vsèki čass» guarda-a bem a cada hora» A podir igrité chté otida da rabotia, E depois das danças eu irei trabalhar, vrémè da né goubia, sem perder tempo, dor v’nébéto slǎnçè greï enquanto no céu o sol brilha

A podir igrité chté otida da rabotia, E depois das danças eu irei trabalhar, vrémè da né goubia, sem perder tempo, dor v’nébéto slǎnçè greï enquanto no céu o sol brilha Haï napred edno, dvè, tri Vamos, em frente, um, dois, três; s’bodri stǎpki ti ḥodi caminha com passo alerta Ochtè malko nié touk Nós dançaremos aqui chtè si poigraéèm sèga

ainda mais um pouco Haï napred edno, dvè, tri Vamos, em frente, um, dois, três; s’bodri stǎpki ti ḥodi caminha com passo alerta Ochtè malko nié touk Nós dançaremos aqui chtè si poigraéèm sèga ainda mais um pouco

Ḥodi, ḥodi, ḥodi! Anda, anda, anda! Za vodata ḥodi, Vai buscar água prèz rèčiça bistra, ao riacho límpido po pǎtéka čista por um caminho puro Ḥodi, ḥodi, ḥodi! Anda, anda, anda! Za vodata ḥodi, Vai buscar água prèz rèčiça bistra, ao riacho límpido po pǎtéka čista por um caminho puro

Ô vodiçé sladka, jiva, Ó querida água, doce e viva, nossich ti jivota nov tu trazes a vida nova Teb običam, teb jadouvam, Eu amo-te, tenho sede de ti, tébé tǎrsia vséki čass procuro-te a toda a hora Po livadi i gradini Para os prados e para os jardins néprèstano tičach ti

tu corres sem cessar Taï prèz vsičkité godini Assim, ao longo dos anos, bégaï, tičaï i lèti tu corres, foges e voas Kolko smè dovolni čè v’svèta jivéèm! Como estamos contentes por viver no mundo! Kato ptički volni čoudni pesni péèm Como passarinhos livres, cantamos cânticos maravilhosos

Kolko smè dovolni čè v’svèta jivéèm! Como estamos contentes por viver no mundo! Kato ptički volni čoudni pesni péèm Como passarinhos livres, cantamos cânticos maravilhosos Soutrin milo slǎnçè posrèchtamé rano De manhãzinha vamos ao encontro do doce sol To ni blagoslavia i jivot ni dava

Ele abençoa-nos e dá-nos a vida Soutrin milo slǎnçè posrèchtamé rano De manhãzinha vamos ao encontro do doce sol To ni blagoslavia i jivot ni dava Ele abençoa-nos e dá-nos a vida

Stǎpka po stǎpka èto ni Passo a passo, aqui estamos, vǎrvim kǎm noviia jivot caminhamos para uma nova vida Čertaèm svètli bǎdnini Nós traçamos luminosos futuros za nas i çel čovèchki rod para nós e para toda a espécie humana Vsički prègradi prèodoliavamè, Ultrapassamos todos os obstáculos, nè sè straḥouvamè ot bèdi

não tememos as infelicidades Misli krassivi vrèdom possiavamé, Belos pensamentos por toda a parte semeamos, lioubov svéta da pobèdi para que o Amor vença o mundo Pǎteka svètla è pred nass Um caminho luminoso abre-se perante nós i nova čoudna svètlina e uma nova, maravilhosa luz

Jivos v’sǎrçata ni sè vliva, Nos nossos corações derramam-se a vida, mǎdrost i lioubov a sabedoria e o amor Pǎteka svètla è pred nass Um caminho luminoso abre-se perante nós i nova čoudna svètlina e uma nova, maravilhosa luz Jivos v’sǎrçata ni sè vliva, Nos nossos corações derramam-se a vida, mǎdrost i lioubov

a sabedoria e o amor Pǎteka svètla è pred nass Um caminho luminoso abre-se perante nós i nova čoudna svètlina e uma nova, maravilhosa luz Jivos v’sǎrçata ni sè vliva, Nos nossos corações derramam-se a vida, mǎdrost i lioubov a sabedoria e o amor

Pǎteka svètla è pred nass Um caminho luminoso abre-se perante nós i nova čoudna svètlina e uma nova, maravilhosa luz Jivos v’sǎrçata ni sè vliva, Nos nossos corações derramam-se a vida, mǎdrost i lioubov a sabedoria e o amor Çvètiata ouḥaiat, zrèiat plodové

As flores perfumam, os frutos amadurecem Vsičko rastè, jivèè, Tudo cresce e vive, radva sé çéli mir o mundo inteiro rejubila Çvètiata ouḥaiat, zrèiat plodové As flores perfumam, os frutos amadurecem

Vsičko rastè, jivèè, Tudo cresce e vive, radva sé çéli mir o mundo inteiro rejubila Vǎzdouḥ dicham aromat Nós respiramos um ar repleto de aromas, vrèdom čoudna krassota por toda a parte reina uma maravilhosa beleza Izvori blikat čista voda, Jorram nascentes de água pura, Bistra rossa vsèko listo um límpido orvalho dá a cada folha sǎs brilliant krassi

um manto de diamantes Vǎzdouḥ dicham aromat Nós respiramos um ar repleto de aromas, vrèdom čoudna krassota por toda a parte reina uma maravilhosa beleza Izvori blikat čista voda, Jorram nascentes de água pura, Bistra rossa vsèko listo um límpido orvalho dá a cada folha sǎs brilliant krassi um manto de diamantes

Koï na ranina stava da igraï Quem de manhãzinha se levanta para dançar Koï na ranina stava da igraï Quem de manhãzinha se levanta para dançar po zèlènata trèva i na bistrata rossa, sobre a erva verde e o límpido orvalho po zèlènata trèva i na bistrata rossa, sobre a erva verde e o límpido orvalho toï chtè bǎdè večno mlad, será eternamente jovem, zdrav i ḥoubav i bogat; são e belo e rico; chtè sè ouči naï dobrè, estudará na perfeição nèma nivga da oumrè e nunca morrerá Rano ti stani, slǎnçèto posrèchtni Levanta-te cedo e recebe o sol Rano ti stani, slǎnçèto posrèchtni Levanta-te cedo e recebe o sol i zapeï sus bodur glas, poigraï si ti zavčas canta com uma voz alegre e dança i zapeï sus bodur glas, poigraï si ti zavčas canta com uma voz alegre e dança Bodra gimnastika, raz, dva, tri Faz ginástica de modo energético, um, dois, três Podvichi čè i sé spri

Movimenta-te e pausa Smelo pak trügni napred, Corajosamente vai em frente, radvaï se na Boji svet Regozija-te na glória de Deus Koï na ranina stava da igraï Quem de manhãzinha se levanta para dançar Koï na ranina stava da igraï Quem de manhãzinha se levanta para dançar po zèlènata trèva i na bistrata rossa, sobre a erva verde e o límpido orvalho po zèlènata trèva i na bistrata rossa, sobre a erva verde e o límpido orvalho toï chtè bǎdè večno mlad, será eternamente jovem, zdrav i ḥoubav i bogat; são e belo e rico; chtè sè ouči naï dobrè, estudará na perfeição nèma nivga da oumrè e nunca morrerá

Rano ti stani, slǎnçèto posrèchtni Levanta-te cedo e recebe o sol Rano ti stani, slǎnçèto posrèchtni Levanta-te cedo e recebe o sol i zapeï sus bodur glas, poigraï si ti zavčas canta com uma voz alegre e dança i zapeï sus bodur glas, poigraï si ti zavčas canta com uma voz alegre e dança Bodra gimnastika, raz, dva, tri Faz ginástica de modo energético, um, dois, três Podvichi čè i sé spri Movimenta-te e pausa Smelo pak trügni napred, Corajosamente vai em frente, radvaï sé na Boji svet

Regozija-te na glória de Deus Da prèbǎdé Bojiat mir Que a Paz de Deus i da izgréè Bojiata radost viva nos nossos corações i Bojièto vessèliè v’nachité sǎrça! Que a sua pura alegria e o seu puro contentamento neles brilhem! Da prèbǎdé Bojiat mir Que a Paz de Deus i da izgréè Bojiata radost viva nos nossos corações i Bojièto vessèliè v’nachité sǎrça! Que a sua pura alegria e o seu puro contentamento neles brilhem! Da prèbǎdé Bojiat mir Que a Paz de Deus i da izgréè Bojiata radost viva nos nossos corações i Bojièto vessèliè v’nachité sǎrça! Que a sua pura alegria e o seu puro contentamento neles brilhem! Zora sé i svetla zazorila, A aurora luminosa desponta, tïa jivota nov i proïavila

trazendo uma nova vida Slančev tanets v´planinata zaigravamé Nas montanhas começamos i zadroujno nï zapïavame a nossa dança luminosa slančevite pésni cantando em harmonia Zora sé i svetla zazorila, A aurora luminosa desponta, tïa jivota nov i proïavila trazendo uma nova vida

Slančev tanets v´planinata zaigravamé Nas montanhas começamos i zadroujno nï zapïavame a nossa dança luminosa slančevite pésni cantando em harmonia Te çarsata ni raztvarïat za lučite, O Sol comunica connosco através da dança, slǎnçéto ni progovarïa črez igrite abre os nossos corações aos seus raios Nov jivot ni to darïava, Uma nova vida nos concede, nova svétlina, uma nova luz, nova svétlina

uma nova luz Skürbi zemni raztopïava svoïta toplina Derrete as tristezas terrestres com o seu calor Te çarsata ni raztvarïat za lučite, O Sol comunica connosco através da dança, slǎnçéto ni progovarïa črez igrite abre os nossos corações aos seus raios

Nov jivot ni to darïava, Uma nova vida nos concede, nova svétlina, uma nova luz, nova svétlina, uma nova luz, Skürbi zemni raztopïava svoïta toplina Derrete as tristezas terrestres com o seu calor Vïarna stupka ti vzémi, Dá um passo verdadeiro svétla misul prièmi; leva um pensamento radiante; tïa jivot chté ti dari, ele vai dar-te nova vida, radost nova i krasivi budnini chté izgrädi nova alegria e construir um bonito futuro Vïarna stupka ti vzémi, Dá um passo verdadeiro svétla misul prièmi; aceita o pensamento radiante; tïa jivot chté ti dari, ele vai dar-te nova vida, radost nova i krasivi budnini chté izgrädi

nova alegria e construir um bonito futuro Vsé napred v´stroen réd smelo niï trugvame napred Avançamos continuamente de uma forma ordenada e corajosa Kum jivot chist i nov mochten zov prachtame navred Enviamos um apelo poderoso para uma nova e pura vida

Idé vech v´svéta bratstvo i lioubov, Amor e fraternidade já estão a caminho do mundo, Idé vech v´svéta bratstvo i lioubov amor e fraternidade já estão a caminho do mundo Vsé napred v´stroen réd smelo niï trugvame napred Avançamos continuamente de uma forma ordenada e corajosa Kum jivot chist i nov mochten zov prachtame navred

Enviamos um apelo poderoso para uma nova e pura vida Idé vech v´svéta bratstvo i lioubov, amor e fraternidade já estão a caminho do mundo, Idé vech v´svéta bratstvo i lioubov amor e fraternidade já estão a caminho do mundo Vnachata zemïa nov jivot koga izgre, Quando a nova vida chegar ao nosso mundo, vsichko jivot chte zapee za slǎnçéto todos os seres vivos cantarão para o Sol

Vznanie, lioubov i svóboda vseki chté jiveï Todos viverão no conhecimento, amor e liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni Sai da limitação do círculo Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni

chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni Sai da limitação do círculo

Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni

Sai da limitação do círculo Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni

Sai da limitação do círculo Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni

Sai da limitação do círculo Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Putïat nov é gotov; O novo caminho está pronto; ot kruga tésen izlezni

Sai da limitação do círculo Kum vurha, kum vuzhod As radiantes hostes celestes vdroujen hod smélo dnes trugni chamam por ti Goré té zovát svetli visini: Ruma com coragem em direção ao futuro: ti kum svoboda putïa poemi e toma o caminho da liberdade Ti si me, mamo, Tu, mãe, deste-me a vida, chovek krasiv rodila, um ser belo, oumen da stana, para que seja consciente, dobré da mislïa, atencioso, dobré da liouba

amoroso Touï jivota é na raya Isto é a vida do paraíso Ti si me, mamo, Tu, mãe, deste-me a vida, s'chisto surtse rodila, um o coração puro, da obicham, para ser inteligente, vsichko jivot para amar tudo v'tsyalata Vselena

o que vive no universo Touï jivota é na raya Isto é a vida do paraíso Ti si me, mamo, Tu, mãe, deste-me a vida, sus mochten dukh rodila, um poderoso espírito, dobré da peya, que canta melhor, dobré na svétia, que brilha, na douchité nas almas

Touï jivota é na raya Isto é a vida do paraíso Raï, raï, raï Paraíso, paraíso, paraíso Touï é raï Isto é o paraíso

Raï, raï, raï Paraíso, paraíso, paraíso Touï é raï, raï Isto é o paraíso, paraíso Kaji mi, kaji mi, Diz-me, diz-me, kaji mi sladki doumi dve diz-me duas palavras doces

Kaji mi, kaji mi, Diz-me, diz-me, kaji mi sladki doumi dve diz-me duas palavras doces Tvoïte doumi dve, sladki doumi dve As tuas duas palavras, são duas doces palavras Tvoïte doumi dve, sladki doumi dve

As tuas duas palavras, são duas doces palavras Touï é raï, touï é raï, Isto é o paraíso, isto é o paraíso, touï é raï, touï é raï, raï, Isto é o paraíso, isto é o paraíso, paraíso Touï é raï, touï é raï, Isto é o paraíso, isto é o paraíso, touï é raï, touï é raï, raï Isto é o paraíso, isto é o paraíso, paraíso Èto vèč idèm ni, Aqui estamos, já chegámos, svètozarni lǎci ; os raios da luminosa aurora; çarski dar nossim blag: nós trazemos um dom real e doce: radost, mir i lioubov, alegria, paz e amor, Svètlina i jiva krassota, luz e beleza viva, svoboda na vsičkitè razoumni douchi

liberdade para todas as almas razoáveis Ni smè slǎnčèvi lǎči na liouvobta, Nós somos raios do sol do amor, dochli v’svéta vindos ao mundo zlo da pobèdim, para vencer o mal, mir da vǎdvorim para estabelecer a paz Sǎs blagost, svètlina, nèjna lioubov Com doçura, luz, doce amor nov jivot na milosta uma vida nova de misericórdia v’svèta da vǎdvorim estabeleceremos no mundo

Sǎs blagost, svètlina, nèjna lioubov Com doçura, luz, doce amor nov jivot na milosta uma vida nova de misericórdia v’svèta da vǎdvorim estabeleceremos no mundo Èto vèč idèm ni, Aqui estamos, já chegámos, svètozarni lǎci; os raios da luminosa aurora; çarski dar nossim blag: nós trazemos um dom real e doce: radost, mir i lioubov, alegria, paz e amor Svètlina i jiva krassota, Luz e beleza viva, svoboda na vsičkitè razoumni douchi liberta por todas as almas razoáveis

(Espinosa) O lugar onde vivo – Conversa com a Rua – Olimpíada de Língua Portuguesa 2019

Olá pessoal, Este é um vídeo-crônica muito especial, pois foi feito à pedidos; e é direcionado a uma galera importante pra mim: às e aos estudantes espinosenses, especialmente aos alunos da Escola Estadual Comendador Viana, uma escola do coração, da qual fui aluno na minha infância, e que me influenciou enormemente a ser a pessoa-cidadão que sou hoje Agradeço o convite feito pelas amigas Jânia e Anézia, professora de português que, juntamente com as professoras Ana Carla, Renata e Rita, vão conduzir oficinas em preparação para as Olimpíadas de Língua Portuguesa

Ali os alunos irão desenvolver o tema “O lugar onde vivo”, que “tem como objetivo lhes propiciar estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade local" É um prazer e uma honra poder contribuir Espero que gostem e que possam tirar algum proveito Se gostarem do vídeo, lembrem-se de curtir e compartilhar Inscrevam-se no canal, enviem seus comentários e contem comigo nessa jornada com as palavras, a comunicação, as histórias, os sonhos e a realização

Desejo foco, inspiração e sucesso para vocês Foi à tardinha, que conversei com a Rua, pois, de certa forma, não havia outro ninguém com quem Também pela familiaridade e porque o sol já estava frio Ninguém aguenta bater papo debaixo de sol quente em Espinosa; melhor à sombra das Gameleiras do Comendador, dos Fícus da Praça ou de arvoredo que ainda sobrou na beira do Rio Verde; ou então esperar o friozinho acanhado das manhãs de inverno, que aí o sol fica pianinho pra uma conversa boa Mas foi à tardinha

E nem sei se posso chamá–la de Rua Pelo conhecimento de longa data, talvez posso tratá–la carinhosamente por “Ruazinha”, ou até “Ruainhazinha”, já que no ‘Nordimimas’ a gente tem essa mania de duplicar o diminutivo, transformando pequeninho em pequenininho Ou ainda, chama–la até de Beco, por sua finura e curteza, mas esse termo, já o usaram tanto para fazer desfeita às vielas – Beco dos ‘Bêbo’, do Rato, do Maribondo, e por aí vai – que até magoa Talvez seja melhor deixar o título pra lá, pois, quando conversei com ela, nem pensei em nome, só soltei o verbo, assim como a gente faz com os íntimos Mas, pra não fatigar sua curiosidade, o nome que deram pra rua do fundo da minha casa foi “Osório Salgado”, um senhor que – perdão aos familiares – por meu parvo interesse e desvairada imaginação, neste caso particular, não passaria de um mascate que vendia tudo pela hora da morte, ou talvez um marido cuja esposa exigente vivesse a lhe lamber a carcaça suada antes de manda–lo tomar um banho

Pois bem, conversei com a Rua E foi mais ou menos assim: – Como é que ‘cê fez pra virar rua? – Como assim, menino? – ela retrucou – Não é assim, como você ganhou o título de Rua, sabe? Quero saber é como é que você surgiu do nada, do meio do mato que devia haver aqui? – Ué – me respondeu um tanto alheia, cansada da minha pergunta comprida e olhando para uma meia lua perdida no alto do céu, como se tivesse me mostrando seus interesses elevados – primeiro, abriram trilha no meio do mato, nessa urgência que as pessoas têm de ir de um lugar pro outro, procurando novidade, depois voltando pra contar pros que ficaram, depois retornando pra proteger o achado, depois voltando pra buscar apetrecho, retornando pra trazer parente, e assim num constante vai–e–vem típico de gente indo atrás de gente Logo, virei caminho de terra batida, depois estrada Não demorou, me cercaram de um lado e de outro

E num instante ergueram a primeira casa – Sim’ – a interrompi, pois vi que quem estava encompridando mesmo era ela que já tinha me dado um bloco inteiro de palavras – mas por que você não parou por aí e permaneceu uma casinha branca à beira da estrada encostada em um flamboyant, como na pintura lá de casa? – Porque o povo tem essa premência de ir se juntando um ao lado do outro, talvez por solidão, ou buscando conveniência, de troca–troca, de amparo, de proteção, de prosa e até de bisbilhotice, né?’ Tomei o “né” como uma censura e me calei Desci da escada onde estava sentado e fiquei de pé nos paralelepípedos, meio emburrado, olhando para a minha fachada preferida

– Não vai perguntar mais? – me surpreendeu, ela – Perguntar o quê? – fui desatando minha careta – Qualquer coisa; gosto das suas palavras – essa sua atitude, de vir dialogar comigo’ – Também gosto das suas – o afeto saltou à minha tona – Sabe? Te acho muito bonita; as diversas formas e cores nas fachadas, os muros e esquadrias de todas as idades, o quarteirão comprido aprumando as perspectivas, sua largura aconchegante do tamanho da gente, combinando com as calçadas estreitas, imitando passarelas por onde ocasionalmente vêm desfilando espinosenses, que sempre cumprimentam a gente ao passar; gosto dessa proximidade que você propicia, e gosto das escadas altas, como arquibancadas

E ainda caio de amores por este tesouro de fachada neoclássica, com direito a colunas, capiteis e frontão, que aproxima toda a distante fantasia das histórias infantis que escolheram nos contar’ A rua abriu um sorriso largo, por onde comecei a caminhar até percorrê-la por inteiro, verificando cada palavra expressada O tempo passou, e sempre que volto, bato um papo com as ruas de Espinosa Nunca me esqueço daquele colóquio: – Gosto das suas palavras – Também gosto das suas

Revivo a pujança que as palavras nos dão As fachadas das ruas de Espinosa estão cheias de palavras Basta olhar, apreciar, questionar, imaginar Na verdade, estão por todo o lugar Espinosa é palavra, você é palavra, eu, nós somos palavras, o mundo é palavra Delas somos ricos, multimilionários Através delas temos tudo Tenho Espinosa e as ruas, tenho o Comendador e a lua

É verdade que também tenho a distância, tenho a falta e a saudade Contudo, tenho força, movimento, ação, busca, companhia – palavra esquecida por cidadãos desatinados, como reclamou, a pequena via Então – faço questão – tenho vocês, caros conterrâneos, e nossa língua mãe, o adorável português E sobretudo, a liberdade, que as palavras me oferecem Com elas, vou ao seu encontro, de mente e peito aberto, pronto; me pergunto, quem são vocês, quais os seus mistérios, suas histórias e sonhos, quais palavras vislumbram em seus dotes particulares, combustível para inúmeras viagens? Sim, pois articulando palavras, me direciono a vocês, envio minha mensagem na garrafa, no grande mar do sertão

Quem a resgatará? Entenderão, se identificarão? Pois dúvida também é palavra, assim como incomunicação E o silêncio, com que vos deixo, que é falta de som, mas não necessariamente de palavras

DEPOIS DE 'CONJE', MORO ATACA PORTUGUÊS NOVAMENTE COM 'RUGAS'

DEPOIS DE 'CONJE', MORO ATACA PORTUGUÊS NOVAMENTE COM 'RUGAS' O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, concedeu entrevista ao jornalista Pedro Bial, levada ao ar na madrugada desta quarta-feira, 10, no Programa do Bial, da TV Globo Além de ter classificado como "incidente" o fuzilamento do músico negro Evaldo Rosa dos Santos com 80 tiros por militares do Exército, o ex-juiz da Lava Jato voltou a cometer erros na língua portuguesa

Ao falar sobre a relação com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que ficou irritado após ser cobrado pelo ministro para tramitação de seu pacote anticrime, Moro usou a palavra "rugas" ao invés de "rusgas" "No fundo, essas rugas pontuais, em política, podem acontecer", disse Moro Assista: Vídeo incorporado hnq

@tommasinii Só quero ser um dos primeiros a comentar mais essa gafe do Batoré de toga, @SF_Moro que trocou "cônjuge" por "conje" e, agora a nova burrice", rusgas" por "RUGAS" Diretamente da minha velha TV hahah O marreco só engana quem ama a mentira e a desinformação#15anosDeRoubalheira

09:04 – 10 de abr de 2019 Veja outros Tweets de hnq Informações e privacidade no Twitter Ads Além desta, o ministro da Justiça também empregou, em três ocasiões, o verbo "haviam" no plural no sentido de "existiam" O que é incorreto, porque o verbo haver neste significado é impessoal, ou seja, deve ser conjugado apenas na terceira pessoa do singular, qualquer que seja o tempo (há, houve, havia, houvera, houver, houvesse etc

) Antes destas derrapadas no idioma, Sérgio Moro viralizou nas redes sociais ao falar a palavra "conje" ao invés de "cônjuge", e dizer que alguém pode estar "sobre violenta emoção", ao invés de "sob" violenta emoção