Aula 1 – O que é Português Como Língua de Acolhimento? Questões iniciais.

Olá! Sejam bem-vindos ao meu canal Meu nome é Ana Paula de Araújo Lopez eu sou doutoranda em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Eu estudo a área conhecida como Português como Língua de Acolhimento que é, (vou falar a grosso modo, tá?) ,o ensino de português para imigrantes deslocados forçados ou seja aqueles imigrantes que chegam ao Brasil por meio de processos deslocamento forçado ou de crise, como os refugiados, por exemplo Esse vídeo tem o objetivo de explicar um pouquinho mais sobre esse conceito, sobre essa área de pesquisa e de ensino e ajudar você que se interessa pelo tema a iniciar seus estudos na área, tá bom? Vamos lá, então? O Português como Língua de Acolhimento é uma ramificação da área de português como Língua estrangeira (PLE) ou Adicional (PLA) Basicamente, o que diferencia o português como língua de acolhimento de outros contextos de ensino dentro do escopo do PLE ou Adicional é mesmo o público alvo e os objetivos do do ensino e da pesquisa nesse contexto Aí você deve estar se perguntando: – "Mas, Ana, então quer dizer que todos os estrangeiros que eu dou aula, cada grupo sendo diferente, tendo objetivos diferentes, então eu vou ter que criar um nome pra todos esses contextos?" Bom, não é bem assim! Na verdade, a gente tem um nome específico, Português como Língua de Acolhimento – que aqui nós vamos chamar de "PLAc" só pra facilitar – justamente porque nós estamos tratando de um grupo minoritarizado no país e, somente para fazer um parêntese, eu vou explicar um pouquinho o que é minoritarizado para que vocês entendam que estou querendo dizer "Minoritarizado" é um termo que eu escolhi utilizar no lugar de "minoria"

Também não é usado num sentido demográfico, ou seja, para se referir a um grupo composto por poucas pessoas em comparação a um grupo maior de pessoas Usar "minoritarizado" no lugar de "minoria" é uma escolha para enfatizar que isso é uma consequência de processos sociais, históricos, econômicos, políticos que levaram esse grupo a estar nessa condição, isso é, ocuparem uma posição em que estão destituídos de certos direitos e/ou estão em relação de desvantagem perante outros grupos de imigrantes

Apesar de ser algo muito complexo, porque é um fenômeno social com todas as suas complexidades, eu vou tentar me arriscar aqui efalar um pouquinho porque o grupo composto pelos imigrantes deslocados forçados estão em certa desvantagem social em comparação com outros grupos de imigrantes no país Isso acontece principalmente por dois motivos: Primeiro: pelos processos de migração dessas pessoas E segundo: pela vulnerabilidade, advinda tanto desses processos, quanto de outras questões Primeiramente, no que diz respeito ao processo de migração: os deslocados forçados, como os refugiados e imigrantes ecológicos, eles são, geralmente, motivados a migrarem por outros motivos motivos "mais fortes" – se a gente pode chamar assim – do que turistas, por exemplo Então,eles chegam ao país de destino muitas vezes sem um projeto prévio de migração, sem muita elaboração desse projeto

Não entenda mal: claro que eles têm um pequeno projeto – se a gente for pensar, por exemplo, nas pessoas que ainda estão deslocadas forçadamente dentro de seus países em diversos países do mundo – mas, muitas veze,s isso é diferente é decorrido (decorrente*) de alguma coerção um pouco mais forte que leva essas pessoas a terem que se migrar – e não simplesmente o fato de querer fazer uma viagem ou de aprender um novo idioma ou simplesmente ir trabalhar num outro lugar porque recebeu uma oportunidade de emprego, por exemplo E a vulnerabilidade social dessas pessoas advém justamente do fato de que muitas delas podem ser que enfrentam problemas econômicos, problemas, às vezes, psicológicos advindos desses mesmos processos de migração forçada então eles têm uma certa vulnerabilidade – que também não é igual pra todos, é importante a gente falar isso né – é porque a gente tem que considerar também quando estamos falando de vulnerabilidade, diversos fatores que influenciam, por exemplo, o gênero da pessoa, a religião, a etnia, né, a aparência física (você já deve entender o que estou querendo dizer) mas, no geral, os imigrantes deslocados forçados podem ser considerados mais vulneráveis e, portanto, um grupo minoritarizado justamente porque eles têm um pouco menos de direitos, né, eles têm que reafirmar a sua identidade o tempo todo justamente porque também é uma identidade muito controlada por legislações internacionais, né? Então eu estou querendo dizer é que esse grupo ele é minoritarizado devido a essas questões Então, se a gente tem um grupo que tem demandas um pouco mais, vamos dizer assim, "sérias", talvez por não terem/não serem vistos da mesma forma pelas outras pessoas muitas vezes serem mal interpretados – a gente acompanha na mídia pela fala dos imigrantes como eles, às vezes, são indesejáveis no país não tanto quanto outros imigrantes que aqui vem, né, principalmente de países mais ricos e mais desenvolvidos Então, nesse contexto todo, a gente marcar área de Português como Língua de Acolhimento é uma estratégia dos pesquisadores da área e dos profissionais também para marcar esse contexto, para visibilizar essas pessoas, a situação dessas pessoas, e também como um ato político de marcar o contexto de ensino para uma minoria (composta) de imigrantes no país Então, gente, pra terminar – porque eu falei demais nessa nossa primeira aula – eu queria deixar aqui somente alguns lembretes, alguns pontos importantes para vocês pensarem nas pesquisas futuras e também se forem desenvolver aulas, cursos ou forem trabalhar com imigrantes

Então é importante, em um primeiro momento, a gente sempre reconhecer que esse grupo é heterogêneo; eles têm processos de deslocamento que são forçados ou de crise mas nem por isso todos têm a mesma demanda, obviamente, nem todos têm as mesmas necessidades e nem todos têm os mesmos objetivos, né? Então a gente tem que pensar também, e parar de reproduzir esse discurso de que o português é uma obrigatoriedade para eles e que isso é que vai causar que o imigrante ascenda socialmente no país, porque a gente não pode prometer isso além do mais, pode ser que o lugar onde esse imigrante vá viver no país outras línguas sejam mais importantes que ele aprenda, né, como quem vai viver em área de fronteira ou em comunidades que falam outros idiomas no Brasil, né considerando que a língua portuguesa é a língua oficial, a língua majoritária no nosso país, mas não é única, né? Em último lugar, como é um grupo minortarizado, o ensino para essas pessoas, ele tem que seguir, a nosso ver, três pilares importantes – aqui nós estamos nos baseando em uma pesquisadora que é a Terezinha Maher Eu vou deixar o link aqui embaixo do texto dela Os três pilares são: a politização desses imigrantes, né como é um grupo minoritatizado eles têm que saber dos seus direitos e de seus deveres e tudo isso, gente, na sala de aula de português mesmo e, em segundo lugar, a educação do entorno, ou seja das pessoas que estão ao redor desse imigrante porque não adianta de nada o imigrante reconhecer seus direitos mas a população ao redor dele não ajudar, a validar esses direitos, não reconhecer como legítimos, né e aí, claro, que a capacidade de atuar ou de acesso a esses direitos fica cerceada se o entorno desse imigrante – as pessoas que estão ao redor – não têm conhecimento desses direitos também e não legitima esses direitos Tá, bom? Então como que a gente faz isso no nosso curso de português? Pode ser com algumas atividades – atividades simples, como eu fiz quando eu trabalhava com esse tipo de imigrante em Belo Horizonte (MG) Nós fazíamos

nós fizemos uma vez um projeto que deu muito certo que foi o "amigo de carta" – que eu, numa aula ensinando localização para os nossos alunos (endereços e coisas assim) a gente fez um projeto de "amigo de carta" Eu escolhi alguns amigos meus na universidade que eu estudava e eles eram amigos de carta dos imigrantes Aí um contava a vida dele para o outro

Isso é um projeto super simples que dá para você fazer na sua sala de aula E aí esses outros amigos meus tiveram contato com esses imigrantes inclusive tiveram oportunidade de perguntar coisas que eles tinham dúvida sobre os processos de imigração/sobre quem são essas pessoas Outro projeto interessante, pode ser uma uma peça de teatro e ou ainda projetos como o "Abraço Cultural" que acontece em São Paulo (SP) (que eu também vou deixar o link aqui embaixo) e, claro, é importante falar que esses projetos podem ser projetos assim como feiras e questões "mais superficiais", vamos dizer assim mas também é sempre bom que haja espaço para debates, espaço para que essa população entre em contato com essas pessoas [imigrantes] e, sim, se acrescentarem mutuamente para desenvolverem um conhecimento de si próprios e desse outro, né, que está aí É um processo de educação desse entorno mesmo, tá? E o último ponto, de acordo com a pesquisadora, a Maher (2007), seria avanços na legislação – que sempre têm que haver já que é um grupo minoritarizado Mas, você deve estar pensando, "mas eu não consigo fazer isso na minha sala de aula, eu não consigo criar leis!" Realmente, a gente não consegue, mas, eu tenho certeza que politizando nossos alunos, educando a sociedade que está ao redor dele para conviver com essa diferença, respeitando e legitimando os direitos desses imigrantes isso, sim, vai levar com que o próprio imigrante e as pessoas ao redor "empurrem" o Estado para promover leis benéficas, mais adequadas e benéficas para essas pessoas, tá bom? Bom, pessoal, nós vamos ficar por aqui hoje espero que vocês tenham gostado do vídeo – foi um vídeo bastante introdutório mas espero que deixe aí para vocês vocês pensaram, para vocês procurarem saber mais Estou aberta a comentários, a perguntas, qualquer coisa deixe seu comentário aqui curta o nosso vídeo e até a próxima!

Diagonais da Matriz – Glossário de Matemática – Prô Julia Jaccoud

Oi bonitos, aqui quem fala é a Julia Jaccoud, a Matemaníaca e você está no Duvidando Hoje vamos falar sobre diagonais de matrizes

Para isso vamos recapitular como a gente dá nome a nossa matriz A gente sempre dá o nome pra matriz com a letra maiúscula e a gente coloca os índices "m" e "n", sempre nessa sequência: o "m" que significa número de linhas e o "n" que significa o número de colunas E quando a gente tá falando dos elementos, a gente vai usar a mesma letra só que agora minúscula e os dois índices são os "is" e os "jotas" O "i" que significa a linha que ele tá e o "j" a coluna que ele tá Beleza, agora vamos voltar para o tópico diagonais

Temos duas diagonais nas nossas matrizes A principal e a secundária E como a gente identifica elas? Bom, a diagonal principal é quando nosso "i" e "j" tem exatamente o mesmo valor Então, vamos dar um exemplo, vamos chamar aqui a matriz 2 por 2 Então, teremos aqui a matriz A, 2, 2, e seus índices seriam o A, 1, 1, o A, 1, 2, o A, 2, 1, e o A, 2, 2

A nossa diagonal principal aqui seria quem? O A, 1, 1, porque o nosso 1 é igual a 1, "i" é igual a "j", assim como o A, 2, 2, que o 2 é igual a 2, assim, né, o "i" também é igual a "j" Então essa é a nossa diagonal principal Qual seria a nossa diagonal secundária? A diagonal secundária é quando a gente soma o "i" e o "j" e ele dá exatamente o "n" mais 1 Lembra comigo, o "n" é o número de colunas Então, vamos lá, aqui quem seria nossa diagonal secundária

Nossa diagonal secundária seria o elemento A, 2, 1, porque 2 mais 1 é igual a 3 O nosso número de colunas aqui é 2 E 2 mais 1 também é 3 Assim como nosso elemento 2, 1 Então, essa seria aqui a nossa diagonal secundária

Uma coisa que vale lembrar é que não necessariamente a matriz precisa ser quadrada pra conter essas duas diagonais Qualquer matriz você consegue identificar a diagonal principal e também a secundária Certo? Beijo pra vocês e bons estudos

Dicas da língua portuguesa

olá pessoal tudo bem tudo certinho estou fazendo esse vídeo para divulgar seu novo canal está que é um alfa metisa eja ao cometida por letra minúscula eja com letra e música o que significa isso daqui e eja educação para jovens e adultos está então eu vou fazer vídeo aulas que dão dicas da língua portuguesa direcionado especialmente para esse público está a minha primeira aula foi simone sobre simone daí a segunda aula sobre antónio então você conhece alguém que queira montados é a estudar tá passa e se esse endereço aí dá pra eles assistirem meu juízo ok então é isso aí um grande abraço não esqueça se inscrever no meu canal brigado tchau tchau

Universidade La Salle Informa #Língua Portuguesa para imigrantes haitianos

escrever ou falar algo em português pra nós é algo muito automático, não é mesmo? mas imagine se você fosse colocado em um país que não é o seu, pra falar uma língua que não domina Bem difícil né? Foi o que aconteceu com os imigrantes haitianos quando eles chegaram aqui ao Brasil e para acolher essas pessoas surgiu o projeto Universidade La Salle Inclui que vai ensinar português avançado para imigrante as aulas já começaram e são ministradas por uma voluntária, ex aluna do nosso curso de letras São quase 30 haitianos que estão recebendo noções de português avançado uma vez por semana no campus em Canoas alunos voluntários do curso de pedagogia e do curso de relações internacionais também estão integrados ao projeto que deve ser ampliado para as áreas de direito e saúde

5 continentes e 1 língua: A líng. Port pelo mundo – Teaser 1

Essa é uma identidade que não podem acabar Manteve, manteve a língua desde o início como está agora

Ainda consegue encontrar pessoas idosas que mantiveram, não queriam esquecer! O ensino não é obrigatório, mas deveria ser Já que em termos legais, o Português e o Chinês são as línguas oficiais daqui em Macau A gente entende por que é português, certo! Mas tem diferença sim, porque não está habituado Está habituado com o Crioulo Começarem a ensinar a língua portuguesa na índia? Já existia aqui! Já existia há 450 anos um acervo fenomenal! O pais de facto tem uma política de integração de pessoas com outras culturas outras línguas

Come passare un compito di Matematica in modo semplice

Como passar um exame de matemática easly Esta aplicação irá ajudá-lo a resolver todos os seus problemas Funções de aplicação: é capaz de resolver equações e diferentes tipos de problemas traçar o gráfico e dar-lhe solução Basta tirar uma foto da sua equação e ler a solução

Jovens e a Tecnologia – Memes – Trabalho de Português

memes esta é a nova moda entre jovens eles passam horas em frente à tela do computador e do celular josé passa oito horas por dias vendo memes e interagindo nas redes sociais com seus amigos virtuais bom a gente só tem que ir pra escola né, não tem emprego, não tem namorada e não tem vida social, memes são imagens ou vídeos engraçados que viralizam nas redes sociais Ó o gás olha o Irineu, você não sabe, não sabe nem eu Raça Negra Já olhou pra alguem e pensou, o que passa na cabeça dela? sim, sim, sim, sim, voto contra o impeachman Tiririca seu voto, Sim Calma gente eu to emocionado Não Rede Globo mentirosa Sim Você é um gangster Não, Sim Sim churrasqueira controle remoto, aperta número 1 liga ligou puxa vida e agora pra desligar essa merda poha ligou, e agora, desliga, tá pegando fogo bicho, chama os bombeiro lá a maioria dos seus amigos são virtuais ou são da vida real? são virtuais né porque eu quase não saio de casa o seu humor é influenciado por coisas que você vê na internet? sim quando geralmente quando assisto memes no youtube quanto tempo você passa mexendo em seu celular? umas três horas por dia você se considera uma pessoa viciada na internet? viciada viciado não sei se o termo mas quando fica um breve tempo sem senti falta seja pra trabalho ou seja até fazer pra redes sociais sem faltas em ter certa forma um pouco inchado acho que sim a internet atrapalha sua vida? não você viveria no mundo sem internet nos dias de hoje? eu acharia muito difícil porque ia melar todos os esquema com as meninas o uso abusivo das novas tecnologias está prejudicando os adolescentes as novas tecnologias são boas porém tem que ser usados com moderação baby baby do baby do biruleibe?