Relatório de Língua Portuguesa 2019 Janeiro// Portuguese Language Report January 2019 || KeyReadThat

Olá gente sou Keanna esta fazendo um video em português a chamou relatório de idioma Haverá legendas um baixo

Ne? Este serie de video e um objectivo meu e em capaz de mostrar o meu progresso de aprender outra lingua como Portugues Por favor, corrija-ma e me de dicas a ge aprender a usar lembrar como o português por favor carrega correr já que o rio já a correr já me a mim jesus dias porque eu tenho um com uma né eu quero com eu não sei um palavra ó um palavra ou a geron uma escolha vingam em meio a que deram de portugal que deram de português sim ó meu co gostou do sonhos a escrevi uma co algo go 1 ao coco não a este meio que deram hoje português e à eu quero um vôo que ecoam ro ao gol o álbum pouco el rei sou eu e meu meio dia pô o nome do 33 itaú não não 3 e 160 em cinco dias mas eu não sou o escrever 1234 vez este ano um pouco mas eu acho que é a estou fazendo o chamado tomadon região sobre a sobre um livro chamado achei-me ii também em ray muito mudou um pouco benito ramos que está será meu melhor eu prometo mas eu eu estou não estou é para mim do português por dois amigos quero que meu tio em português passado o mano eu eu eu vou a um link em 1 a 1 ae a bola ia para a pergunta para você o que é que vejo você gostar de mim eu eu e esse ps nem português a para o meu próximo vejo a próxima do you do 25o fatos sobre mim ó língua que estou lendo ashley de 20 sem o factual sobre mim o livro que estou lindo igual é a baixa e meio a taxa de desconexão eu vou eu vou olhar proxy longo beijo tchau

Propunere de investitie in deschiderea celei mai mari scoli online de Matematica din Moldova

Olá, meu nome é Sergiu e eu convido você a participar no lançamento da maior escola de matemática online na Moldávia Nós estaremos filmando cursos de matemática e matemática para aqueles que vão escrever o exame BAC ou o exame da classe 9

Lançamos este projeto porque 45% dos estudantes quem vai escrever o exame BAC em matemática não o passa; Ao mesmo tempo, a escola on-line dá aos alunos a oportunidade de se preparar de casa para exame, se eles são de Chisinau ou outro distrito do país Nosso objetivo é que em cinco anos a taxa de exame BAC passe na matemática deve ser de 75% Nós teremos nosso próprio estúdio para filmar e editar lições em vídeo No momento, já compramos a maior parte do equipamento para fotografar Na descrição abaixo você pode ver uma tabela com os custos de lançamento do projeto

O montante total requerido é de 8000 euros; temos parte do dinheiro, mas ainda precisamos de mais 5000 euros Claro, qualquer contribuição é bem vinda, mas para aqueles que apoiarão o projeto com 100 EURO e acima, eles poderão vir para a abertura oficial do projeto a ser realizado em 15 de fevereiro de 2019 Para mais detalhes, incluindo como você pode se tornar um investidor, Você pode ler a descrição deste projeto na coluna da direita Muito obrigado pelo seu apoio!

Como o INTÉRPRETE EDUCACIONAL Pode Ser a Ponte que conecta LIBRAS e LÍNGUA PORTUGUESA

Qual a relação entre, o Intérprete educacional ficar de pé na hora da tradução e da interpretação e a língua portuguesa? Olá! Parece estranho (não é?) haver alguma relação entre:estar de pé, durante o processo de tradução e interpretação para o educando surdo e a língua portuguesa (!!!) Mas eu vou te mostrar o raciocínio da coisa, para você entender: Eu sou uma defensora de que, o intérprete educacional deve se colocar de pé e de frente para o aluno surdo, quando ele vai traduzir e interpretar as aulas Também sou defensora de que, esse posicionamento deva ser paralelo ao professor

Hoje, a gente vai focar nessa relação entre interpretar de pé, de frente ao educando surdo e a língua portuguesa Se você está de pé, paralelo ao professor, ou à professora, o aluno está podendo ver a tradução e interpretação que você faz e está podendo ver o professor Ok, tudo bem! O aluno surdo, não é visual? Sim ele é visual Se ele é visual, ele precisa do concreto, para entender correto? Por que? ELE NÃO ESCUTA! Então, ele precisa VER! E, no quê ele vê, as coisas estão concretas ali, se apresentando para ele

Ok? O Intérprete vai traduzindo de uma língua para outra, enquanto o professor está dando a aula, mas ele também está INTERPRETANDO aquela aula Durante o processo de interpretação, dentro da sala de aula o intérprete é: um adjetivo; uma célula; é uma personagem de uma história; ele é vários personagens de uma história; ele é uma lâmpada; ele é uma montanha; ele é um cavalo; ele é uma barraca de acampamento; ele é um tapete; ele é uma caixa de lápis de cor – durante a interpretação! Porque nós, o nosso trabalho, consiste num processo neurológico, de traduzir de uma língua para outra, mas também num processo de expressão facial e corporal, certo? Quando a gente junta, a tradução e a Interpretação dentro da sala de aula, o aluno está olhando para você, enquanto o intérprete, e está assistindo de verdade aquela aula, porque ele olha para o professor muitas vezes, para complementar, aquilo que ele está vendo aqui, você está traduzindo, mas você também está interpretandoEntão, ele está envolvido ali com aquilo! Não importa qual é a disciplina; importa o envolvimento dele, porque ali está uma somatória, tanto de tradução do que está sendo dito, como de interpretação, ok? Aí terminada essa explicação; terminada a tradução e a Interpretação, normalmente, os professores dão alguma atividade, dão algum exercício, para que eles façam E normalmente, essas atividades são escritas Normalmente, não é? E aí?!? O aluno tem dificuldade com a língua portuguesa, entretanto, se você traduziu, se você interpretou nota “1000”, ele entendeu, ele está por dentro do conteúdo

Aí vem lá as perguntas Você vai ter que, de novo, traduzir para ele as perguntas, porque ele tem extrema dificuldade com a língua portuguesa – a maioria deles, tá a gente? Não tô falando das exceções que dominam legal, tô falando da maioria – que tem extrema dificuldade E aí conforme você vai traduzindo as atividades que têm que ser feitas, ele vai associando: -Hummm…’ o rei, o nome daquele rei lá que, a professora falou na explicação’: ah esse ‘cara’ aqui – ah ele é um homem; é uma mulher; ah, o nome dele é tal! GUARDOU! PRONTO! Por mínimo que seja, o conteúdo em língua portuguesa, que ele consegue GUARDAR é mais do que nada! Por que? Porque, sem querer, sem planejar fazer isso, ele consegue associar a explicação que o professor está dando, a tradução e interpretação que, o Intérprete está fazendo, enquanto o professor está explicando e o conteúdo escrito em língua portuguesa: um texto no livro que ele vai ler, ou as atividades que ele vai responder, está lá, está tudo vinculado e aí, ele vai dominando as palavras – algumas palavras!!! Entendeu o porquê que, eu sempre falo de ficar de pé? Porque se, você se coloca ao lado, sentado ao lado do educando surdo, para traduzir e interpretar vamos supor que você está aqui e o professor está aqui; você está ao lado do aluno surdo, você não está paralelo ao professor Então, ele vai olhar para você e vai perder o professor Você acha, que ele vai perder o professor? não vai! Ele vai deixar você falando, para ele olhar para o professor! (como eu já mencionei isso em outros vídeos,, aqui no canal) Então, você no paralelo, ele já está vendo os dois: intérprete e professor -juntos Aí vem a atividade escrita; Você traduz para ele, porque ele tem dificuldade com a língua portuguesa; aí na atividade fala o nome da célula que, o professor explicou; Ele olha aquilo… -A célula! Humm a célula, hamm o nome da célula é tal! Ou do rei , ou seja lá da disciplina que for! Entendeu?!!! Então… É importante, você refletir sobre essa minha sugestão que dou: “Traduzir e interpretar em pé e de frente ” principalmente dentro da escola, porque é lá onde o aluno surdo passa uma boa parte do tempo de vida dele e é ali, o grande celeiro de oportunidade, para ele poder fazer essa associação entre o concreto, o visual e a palavra escrita – a modalidade escrita a qual, ele tem tanta dificuldade! Você faz a sua parte, dentro de sala de aula; aí esse educando vai para a sala de recursos – as professoras da sala de recursos também dão lá o reforço; aí, ele vai para casa e faz parte de uma família consciente, da necessidade de dominarem a libras, para poderem ter uma comunicação mais efetiva e mais producente, com o familiar surdo e então, ele vai ‘lincando’ tudo! E as chances desse aluno surdo aumentam exponencialmente, tá? Tá! Tudo bem! Eu estou sendo otimista! Ué, mas a gente pode acreditar numa coisa assim, porque, de verdade, ele vai à escola todo dia – você está lá atendendo ele, todos os dias; De verdade, ele vai à Sala de Recursos não sei quantas vezes por semana – isso também é, outra realidade

A questão da família: algumas já têm essa consciência, outras ainda não, mas a gente vai fazendo um trabalho de formiguinha, até que um dia, essa consciência expanda e fique bem! Mas se não tem ainda, com a família, pelo menos dentro de sala de aula, você está fazendo o seu possível, para contribuir, para colaborar com esse educando surdo, para que ele tenha autonomia, não é? Porque ele não vai estar com você, 24 horas do dia e o mundo é feito de escrita, a comunicação – grande parte é escrita e quem perde é ele, quanto menos ele sabe, da língua portuguesa Ok?! Então é isso! Espero que o vídeo de hoje ajude você a refletir muuuuuuuito, durante os próximos dias a respeito da sua colocação em sala de aula, enquanto intérprete educacional, Tá bom?! Muito obrigada, por você ter ficado comigo até aqui e a gente se encontra no próximo vídeo! Até lá!

Mia Couto – Como classificar a arte?

Eu não vejo que haja uma distinção que possa ser feita entre o grupo da língua espanhola e esse universo da língua portuguesa Porque, se tu olhares, a diferença que há entre

Sei lá, imagina Entre Érico Veríssimo, entre Graciliano Ramos, entre Guimarães Rosa, Jorge Amado São diferenças tão profundas entre eles que cada um constrói o seu próprio universo, há ali uma proposta de abordagem completamente diversa, não é? Portanto, é como se cada autor construísse o seu próprio universo, a sua própria proposta Da mesma maneira que não se pode comparar Cortázar com Jorge Luis Borges, não? São incomparáveis, cada um tem a sua própria escola, portanto, empacotar isso no mesmo grupo acho que é um pouco forçado Nenhuma obra de arte pode ser classificada completamente dessa maneira, ou de alguma maneira Qualquer “ismo” que se constrói em relação à arte fica sempre aquém daquilo que é um Que o autor, quando faz, ele raramente está prisioneiro desse pensamento tão esquemático assim E, às vezes, quem Quem constrói um modelo, não são os próprios artistas, não são os próprios produtores da arte São os outros que estudam a arte E que criaram, por exemplo, esses nomes como “realismo mágico”, não é? Que é uma coisa estranhíssima, porque nenhum Eu acho que isso foi criado fora da América Latina Aquilo que faz García Márquez, por exemplo, que é, vamos dizer Há ali um surrealismo, mas é um surrealismo que nasce do seu próprio país, da sua realidade que é ela própria surreal, que é efervescente, que tem contrastes profundos

E o único modo de tratar isso é fazer esse tipo de literatura que ele fez, era isso, né, era uma coisa que não tinha, aparentemente, não tinha uma história por trás Mas tinha, porque, se tu fores ver, cada um deles se declara sua própria história Por exemplo, eles acabam por ir beber em Juan Rulfo, que é, digamos, uma espécie de primeira pedra nessa ruptura contra um certo respeito do realismo, escolas que vêm da Europa

Tabuada do 2. Matemática infantil. Tabuada do dois

Tabuada duas vezes um igual a dois duas vezes dois igual a quatro duas vezes três igual a seis duas vezes quatro igual a oito duas vezes cinco igual a dez duas vezes seis igual a doze duas vezes sete igual a quatorze duas vezes oito igual a dezesseis duas vezes nove igual a dezenove dois vezes dez igual a vinte 2 x 1 = 2 2 x 2 = 4 2 x 3 = 6 2 x 4 = 8 2 x 5 = 10 2 x 6 = 12 2 x 7 = 14 2 x 8 = 16 2 x 9 = 18 2 x 10 = 20 Tabuada do dois, tabuada do 2

TV Inês Coreana começa agora! / Estrangeiro falando português

Oi, Gente, tudo bem com vocês! Sou Inês, Coreana (Sul-Coreana haha ) Estou começando os meus vídeos no Youtube Ahhh estou morrendo de vergonha! No meu canal, eu vou fazer alguns vídeos sobre o Brasil, O que eu sinto o Brasil, O que eu penço sobre o Brasil, Como uma estrangeira Eu moro em São Paulo Faz um ano que eu cheguei aqui Estou aprendendo português e fazendo outras coisas aqui E eu viajei bastante pelo Brasil Aí como uma estrangeira, como uma coreana, Como uma asiásica Eu quero compartilhar a minha experiência muito especial aqui no Brasil em

português para vocês!!!! (nossa!) E aí, eu vou falar sobre o Brasil, e Também quero apresentar a nossa cultura coreana comida, música, moda, novela tudo sobre a Coreia do Sul! Também quero mostrar muitas coisas porque acho que aqui, até agora, Os brasileirso não conhecem muito a Coreia do Sul Nem os coreanos conhecem bastante o Brasil Por exemplo, os coreanos conhecem só 3 coisas sobre o Brasil Futebol (Claro) Samba (Quem não sabe) e Amazônia (tinha um documentário muito famoso na Coreia) Então, o que os brasileiros conhecem sobre a Coreia? o único país dividido no mundo talvez seja especialmente para adultos, ou K-POP? que é bem conhecido agora, está na moda só essas coisas né? quero mostrar muitas coisas Os meus vídeos vão ser interessantes! Sempre queria fazer vídeos no Youtube Faz muito tempo, mas por causa da vergonha, preguiça, até agora, não consegui (começar Youtube) Realmente eu ia fazer vídeo em coreano Mas achei que foi um bom jeito para aprender, para melhorar, para manter meu português Se eu faço vídeos em português aí estou começando agora morrendo de VERGONHA maaaaas, vou tentar! No próximo vídeo, eu vou falar sobre a vida (real) aqui como me adaptei como eu alugei o meu apartamento como eu aprendi o português até o próximo vídeo, obrigada! Tchau! ** Não esqueça de se inscrever no meu canal 🙂 **