Gigi Becali si matematica

Bem, que coisa ótima, eu, uma equação? Você faz 18% de X igual a Y substitua Y na segunda equação você faz uma equação de grau I com com dois desconhecidos e então você diz X + Y = o valor total e trazê-lo para fora e depois disso, é baixo

até que a quantidade total de X lhe dê Y Qual é a coisa grande aqui? Era uma equação grande equação

dá graduação com 2 incógnitas

(Espinosa) O lugar onde vivo – Conversa com a Rua – Olimpíada de Língua Portuguesa 2019

Olá pessoal, Este é um vídeo-crônica muito especial, pois foi feito à pedidos; e é direcionado a uma galera importante pra mim: às e aos estudantes espinosenses, especialmente aos alunos da Escola Estadual Comendador Viana, uma escola do coração, da qual fui aluno na minha infância, e que me influenciou enormemente a ser a pessoa-cidadão que sou hoje Agradeço o convite feito pelas amigas Jânia e Anézia, professora de português que, juntamente com as professoras Ana Carla, Renata e Rita, vão conduzir oficinas em preparação para as Olimpíadas de Língua Portuguesa

Ali os alunos irão desenvolver o tema “O lugar onde vivo”, que “tem como objetivo lhes propiciar estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade local" É um prazer e uma honra poder contribuir Espero que gostem e que possam tirar algum proveito Se gostarem do vídeo, lembrem-se de curtir e compartilhar Inscrevam-se no canal, enviem seus comentários e contem comigo nessa jornada com as palavras, a comunicação, as histórias, os sonhos e a realização

Desejo foco, inspiração e sucesso para vocês Foi à tardinha, que conversei com a Rua, pois, de certa forma, não havia outro ninguém com quem Também pela familiaridade e porque o sol já estava frio Ninguém aguenta bater papo debaixo de sol quente em Espinosa; melhor à sombra das Gameleiras do Comendador, dos Fícus da Praça ou de arvoredo que ainda sobrou na beira do Rio Verde; ou então esperar o friozinho acanhado das manhãs de inverno, que aí o sol fica pianinho pra uma conversa boa Mas foi à tardinha

E nem sei se posso chamá–la de Rua Pelo conhecimento de longa data, talvez posso tratá–la carinhosamente por “Ruazinha”, ou até “Ruainhazinha”, já que no ‘Nordimimas’ a gente tem essa mania de duplicar o diminutivo, transformando pequeninho em pequenininho Ou ainda, chama–la até de Beco, por sua finura e curteza, mas esse termo, já o usaram tanto para fazer desfeita às vielas – Beco dos ‘Bêbo’, do Rato, do Maribondo, e por aí vai – que até magoa Talvez seja melhor deixar o título pra lá, pois, quando conversei com ela, nem pensei em nome, só soltei o verbo, assim como a gente faz com os íntimos Mas, pra não fatigar sua curiosidade, o nome que deram pra rua do fundo da minha casa foi “Osório Salgado”, um senhor que – perdão aos familiares – por meu parvo interesse e desvairada imaginação, neste caso particular, não passaria de um mascate que vendia tudo pela hora da morte, ou talvez um marido cuja esposa exigente vivesse a lhe lamber a carcaça suada antes de manda–lo tomar um banho

Pois bem, conversei com a Rua E foi mais ou menos assim: – Como é que ‘cê fez pra virar rua? – Como assim, menino? – ela retrucou – Não é assim, como você ganhou o título de Rua, sabe? Quero saber é como é que você surgiu do nada, do meio do mato que devia haver aqui? – Ué – me respondeu um tanto alheia, cansada da minha pergunta comprida e olhando para uma meia lua perdida no alto do céu, como se tivesse me mostrando seus interesses elevados – primeiro, abriram trilha no meio do mato, nessa urgência que as pessoas têm de ir de um lugar pro outro, procurando novidade, depois voltando pra contar pros que ficaram, depois retornando pra proteger o achado, depois voltando pra buscar apetrecho, retornando pra trazer parente, e assim num constante vai–e–vem típico de gente indo atrás de gente Logo, virei caminho de terra batida, depois estrada Não demorou, me cercaram de um lado e de outro

E num instante ergueram a primeira casa – Sim’ – a interrompi, pois vi que quem estava encompridando mesmo era ela que já tinha me dado um bloco inteiro de palavras – mas por que você não parou por aí e permaneceu uma casinha branca à beira da estrada encostada em um flamboyant, como na pintura lá de casa? – Porque o povo tem essa premência de ir se juntando um ao lado do outro, talvez por solidão, ou buscando conveniência, de troca–troca, de amparo, de proteção, de prosa e até de bisbilhotice, né?’ Tomei o “né” como uma censura e me calei Desci da escada onde estava sentado e fiquei de pé nos paralelepípedos, meio emburrado, olhando para a minha fachada preferida

– Não vai perguntar mais? – me surpreendeu, ela – Perguntar o quê? – fui desatando minha careta – Qualquer coisa; gosto das suas palavras – essa sua atitude, de vir dialogar comigo’ – Também gosto das suas – o afeto saltou à minha tona – Sabe? Te acho muito bonita; as diversas formas e cores nas fachadas, os muros e esquadrias de todas as idades, o quarteirão comprido aprumando as perspectivas, sua largura aconchegante do tamanho da gente, combinando com as calçadas estreitas, imitando passarelas por onde ocasionalmente vêm desfilando espinosenses, que sempre cumprimentam a gente ao passar; gosto dessa proximidade que você propicia, e gosto das escadas altas, como arquibancadas

E ainda caio de amores por este tesouro de fachada neoclássica, com direito a colunas, capiteis e frontão, que aproxima toda a distante fantasia das histórias infantis que escolheram nos contar’ A rua abriu um sorriso largo, por onde comecei a caminhar até percorrê-la por inteiro, verificando cada palavra expressada O tempo passou, e sempre que volto, bato um papo com as ruas de Espinosa Nunca me esqueço daquele colóquio: – Gosto das suas palavras – Também gosto das suas

Revivo a pujança que as palavras nos dão As fachadas das ruas de Espinosa estão cheias de palavras Basta olhar, apreciar, questionar, imaginar Na verdade, estão por todo o lugar Espinosa é palavra, você é palavra, eu, nós somos palavras, o mundo é palavra Delas somos ricos, multimilionários Através delas temos tudo Tenho Espinosa e as ruas, tenho o Comendador e a lua

É verdade que também tenho a distância, tenho a falta e a saudade Contudo, tenho força, movimento, ação, busca, companhia – palavra esquecida por cidadãos desatinados, como reclamou, a pequena via Então – faço questão – tenho vocês, caros conterrâneos, e nossa língua mãe, o adorável português E sobretudo, a liberdade, que as palavras me oferecem Com elas, vou ao seu encontro, de mente e peito aberto, pronto; me pergunto, quem são vocês, quais os seus mistérios, suas histórias e sonhos, quais palavras vislumbram em seus dotes particulares, combustível para inúmeras viagens? Sim, pois articulando palavras, me direciono a vocês, envio minha mensagem na garrafa, no grande mar do sertão

Quem a resgatará? Entenderão, se identificarão? Pois dúvida também é palavra, assim como incomunicação E o silêncio, com que vos deixo, que é falta de som, mas não necessariamente de palavras

Presentación de la asignatura: Matemática Discreta

Bem vindos, queridos alunos da Universidade Continental Este é o curso de Matemática Discreta quando se trata de matemática, é feita referência ao que é aritmética álgebra ou talvez trigonometria mas há outro tipo de matemática que responsável pela solução de problemas como a forma de fazer um circuito para todos os estados unidos economizando tempo e combustível qual é o caminho mais curto de uma cidade para outra o que é otimização todas essas respostas são absolvidas para o curso de matemática discreta no curso, vamos estudar um matemático famoso que é Leonard Euler o resolvido o problema das pontes Koningberg Eu estava me referindo a sete pontes atravessando uma cidade grande a ideia é viajar todas essas pontes passando por cada ponto da cidade sem passar pela ponte duas vezes a questão é que esse feito pode ser realizado ou é simplesmente impossível meu nome Marco Herrera Puga eu sou um engenheiro de computação e sistemas com Mestrado em Tecnologia da Informação e Telecomunicações com certificação Microsoft trabalhei na NCR e cidades estratégicas em todo o Peru trabalhou na Universidade Continental há 9 anos sendo Coordenadora do curso para oito também colaborar na tese na facturação electrónica Espero ter a oportunidade de conhecer você e acompanhá-lo nesta grande aventura bem-vinda

Como usar MESMO em Português?

Eu vou mesmo embora daqui? Vai mesmo? Vou Está mesmo tudo errado! Isso é assim mesmo! É, mas mesmo assim eu vou sentir saudades

Você é incrível mesmo Oi pessoal, tudo bem? No vídeo de hoje eu vou explicar os usos da palavra "mesmo" São nove usos, bem certinho pra você entender exatamente quando é que a gente usa, e por que que a gente usa tanto "mesmo"

Não é mesmo? Primeiramente, já dê um 'like' aqui no vídeo e pegue o seu caderninho, pegue o seu caderninho porque você vai precisar anotar tudo, senão depois não vai lembrar Claro que você também pode assistir o vídeo várias vezes, e deve assistir o vídeo pra compreender bem certinho Tá bom? Então, o primeiro uso O primeiro uso é pra dar ênfase é bem simples, nós vamos enfatizar alguma coisa utilizando "mesmo" Eu falo assim: nós vamos começar agora mesmo este trabalho

Eu podia dizer: "nós vamos começar agora este trabalho", mas eu quis enfatizar E aí eu posso dizer assim: "Você vai fazer isso mesmo?" Só tô enfatizando Porque eu poderia dizer: "você vai fazer isso?" Mas, quando eu digo: "você vai fazer isso mesmo?" Estou apenas enfatizando E o segundo uso, que é também para enfatizar, mas nós podemos perfeitamente traduzir por "é verdade"

Quer ver os exemplos? "Você vai mesmo morar fora do país?" Quer dizer, você vai de verdade morar fora do país? Eu falo: "Vou mesmo" Então significa o quê? Vou de verdade Outro exemplo: "eles vão mesmo se casar" E eu respondo: é mesmo? Então, quer dizer, eles vão de verdade se casar "É verdade? É mesmo?" Então, podemos substituir por: "é verdade"

O terceiro uso é quando você quer que a pessoa repita algo que já foi dito Então, fala assim: "quanto custa isso mesmo?" Ou seja, a pessoa já te falou e você tá pedindo pra repetir Então, quanto custa isso mesmo? Ou também: "o que foi mesmo que você disse? O que foi mesmo que você disse?" Então, quando você precisa que a outra pessoa repita E depois, já o quarto uso que é super usado é por semelhança Quando indica semelhança

Eu falo assim: "eu sempre venho pelo mesmo caminho para casa" Ou seja, o igual caminho "Ela sempre pede a mesma coisa no restaurante" Ou seja, está repetindo uma mesma coisa, uma igual coisa "Nós moramos na mesma cidade"

Olha a semelhança "Nós temos a mesma cor de cabelo" Semelhança também E depois nós temos o uso dele reflexivo Quando é

volta pra si aquela ação Eu falo assim: "ele mesmo consertou o carro" Ou "eu mesma fiz um bolo"

"Você comprou este bolo?" "Não, eu mesma quem fiz" Então, é uma ação da própria pessoa ou da outra que você está falando "Você mesmo quem criou isso? Foi você mesmo?" Então, essa ação reflexiva E depois o outro uso é quando a gente quer dizer "durante", "naquela data citada"

Por exemplo: "Ele foi para a Europa em 2017" "E naquele mesmo ano, ele se casou" Então, assim, naquela mesma data, naquele período Então, "durante" Eu falo: "eu viajei para o Brasil em 2015, e naquele mesmo período eu tive meu filho

" Então, também indica este durante Tudo bem? Outro jeito que nós podemos utilizar também é reflexivo, mas é mais pra dar ênfase, porque você pode utilizar ou não Porque eu falo assim: "ele mesmo não ligou para o que disseram dele As pessoas falaram mal dele, mas ele mesmo não ligou, não se importou" Então, "ele mesmo" quer dizer uma ação reflexiva, mas é só pra dar ênfase

Porque eu posso falar: "ele não ligou" Eu posso dizer assim: "eles queriam que eu viajasse com eles, mas eu mesma não quis, eu mesma não queria" Então, só tô dando uma uma ênfase nisso "Agora eu saquei, eu entendi" Eu falo: "eu quis falar com ela, mas ela mesma não quis falar comigo"

Então, é reflexivo mas assim, é só pra enfatizar Tudo bem? Vamos para o próximo? Espera aí! Estão anotando? Gente, estão anotando tudo? É muito importante Ainda no final do vídeo vou dar um bônus para vocês de uma palavra que a gente usa, que ela é a partir do "mesmo" e que a gente usa bastante Então, espera aí, anota tudo, respira, e vamos seguir Tá bom? Mas, o próximo uso é quando a gente pode substituir o "mesmo" por "ainda" ou "ainda que"

Quer ver os exemplos? "Mesmo que eu viaje, eu vou continuar pensando em você" "Mesmo que eu viaje, eu não vou esquecer de você" "Mesmo triste, ela foi embora" Então, você vê que dá para substituir pelo "ainda" "Ainda que triste, ela foi embora"

Mesmo"ainda que eu viaje, eu não vou te esquecer" Então, a gente pode substituir pelo "ainda"

Mais um bom exemplo: "mesmo sem entender, eu vou continuar estudando" "Mesmo sem entender, eu vou continuar estudando" E o último uso, você pode substituir o "mesmo" pelo "apesar disso" Por exemplo: "mesmo assim você vai ter que estudar" Quer dizer "ainda assim você tem que estudar"

Eu posso dizer: "eu fiz tudo errado, mas, mesmo assim, eles gostaram do trabalho" "Mesmo assim, eles gostaram" Então, quer dizer "ainda assim" ou seja "apesar disso eles gostaram" Tudo bem? E qual é a palavra que nós podemos fazer a partir do "mesmo"? É a "mesmice" que a gente usa muito e a "mesmice" tem o significado de rotina Por exemplo, "O casamento deles caiu numa mesmice, por isso não está dando certo"

"Eu não gosto dessa mesmice do dia a dia" "Não assisto novelas é sempre uma mesmice todos os dias" Então, é essa rotina, aquilo que se repete, você vai usar "mesmice" Tudo bem? Bem, eu espero mesmo que você tenha gostado do vídeo, e se você gostou mesmo, dê um 'like' para mim, compartilhe com todo mundo que precisa saber disso Conhecimento precisa ser compartilhado

Gente, super beijo pra vocês e até o próximo vídeo Tchau, tchau!!

Raio, corda e diâmetro – Glossário de Matemática – Prô Jessica Zanquim

Fala galera, beleza? Prô Jéssica para mais um glossário de matemática Hoje vamos definir raio, corda e diâmetro

Vamos começar pelo raio Pensando num círculo, temos o centro Certo? Toda vez que a gente pegar um segmento iniciando do centro e indo até a borda do nosso círculo, ou seja, na circunferência, nós temos um raio Então, raio é qualquer segmento que parta do centro e vá até a extremidade do círculo Corda? Nós vamos pegar dois pontos da extremidade do círculo, ou seja, dois pontos da circunferência e vamos traçar esse segmento

Qualquer segmento que se inicie na borda e acabe na borda vai ser uma corda Agora o diâmetro O diâmetro nada mais é do que uma corda que passa pelo centro da nossa circunferência ou do nosso círculo Bom, então o diâmetro vai sair da borda, passar pelo centro e chegar do outro lado da borda também Bem simples, né? Beleza, galera, até mais!

Máster en Matemática Avanzada de la Universidad de Murcia

Na Faculdade de Matemática da Universidade de Múrcia são ensinados o grau em matemática e o curso conjunto em Matemática e Ciência da Computação E os estudos de pós-graduação da Ms

Sc em Matemática Avançada e PhD Na matemática Seus membros do corpo docente são pesquisadores líderes globais como testemunhado pelo grande número de publicações de alto impacto produzido anualmente por seus grupos de pesquisa, os projetos de pesquisa regionais e nacionais liderados por seus docentes, bem como as colaborações que têm com renomados pesquisadores nacionais e internacionais As matemáticas estão em todo lugar, todos os dias mais e mais

E a demanda por matemáticos bem instruídos aumenta a cada ano O MSc em Advanced Mathematics mostra algumas das grandes áreas de pesquisa em que os matemáticos estão trabalhando agora A criptografia usada em transações bancárias, o gerenciamento da cadeia de suprimentos, a otimização de processos industriais, a simulação de fenômenos físicos, a inferência de um estudo estatístico dos dados, tudo ao nosso redor é controlado pela matemática

Oi, eu sou Almudena Ruiz, bacharel em Matemática pela Universidade de Múrcia Eu trabalho na Capgemini, uma multinacional francesa dedicada ao desenvolvimento e design de software Eu estou no comando do Departamento de Industrialização neste centro E principalmente implementamos a metodologia Lean IT para melhorar nossos processos Sempre tentando melhorar a produtividade, a eficiência e a eficácia do nosso serviço Encorajo-vos a estudar Matemática já que no mundo de hoje existem muitas oportunidades de emprego, tanto em Múrcia quanto fora dela

A sociedade precisa e exige matemáticos capazes de enfrentar os desafios da vida cotidiana Eu tenho um compromisso com a sociedade Estamos prontos para modelar o futuro Você está pronto para o M Sc

em matemática avançada?

Storia della Matematica – 01 " Lo zero"

Bem-vindo às minhas lições sobre a história da matemática! Hoje vamos falar sobre a história do zero! De onde vem a palavra "zero"? Os babilônios eram bons em matemática Seu sistema de numeração era sexagesimal E na Europa? A Europa foi o último continente a usar zero Você já notou que em números romanos não há zero? Este senhor é chamado Leonardo Pisano Leonardo trouxe o uso de zero para a Europa E o número de árabes e indianos Leonardo viajou com o pai O pai de Leonardo era um comerciante Em 1202, Leonardo escreveu o Liber Abaci Zero tornou-se cada vez mais importante Hoje zero significa programar computadores

venduta per 100 mila sterline una copia del programma pionieristico della matematica inglese …

Una copia estremamente rara, rilegata in pelle, del programme pionieristico della matematica inglese Ada Lovelace (1815-1852), considere o primeiro algoritmo espressamente inteso por essere elaborato de una macchina, è stata venduta all 'asta per quasi 100 000 sterline Você também pode gostar Moore Allen & Innocent, una casa d 'aste e a sede em Gloucestershire, contea dell' Inghilterra sud-occidentale Pub para iniciantes 1843, o libre contém uma tradução para Lovelace dello studio de Luigi Federico Menabrea, giovane ingegnere italiano e future primo ministro del Reggio di Italia, che parla del progetto di Charles Babbage per una macchina informatica O libro incluirá uma boa idéia e uma nota útil com um algoritmo revolucionário, considerado o melhor que você pode fazer para começar o programa por computador Secondo la casa d 'aste Moore Allen & Innocent ci sono solo copie rilegate conosciute del libro curato da Lovelace Esboço do Mecanismo Analítico Inventado por Charles Babbage Esq por LF Menabrea de Turim, Oficial dos Engenheiros Militares, com Notas do Tradutor »era stimato 40 000 sterline ma stato acquistato ad un prezzo finale mais doppio, da un collezionista anonimo por 95mila sterline