TÓPICOS DE MATEMÁTICA MAIS COBRADOS NO COLÉGIO NAVAL

Fala, galera do ProMilitares, tudo bem? Sou o Leozão, professor de Matemática, e hoje vim aqui comentar as estatísticas das questões que mais aparecem na prova do Colégio Naval Primeira coisa que você tem que ter em mente: é muito bem divido a quantidade de questões que cai por ano em cada uma das áreas

Lembrando que temos uma prova com 20 questões, na média teremos 7 de Álgebra, 7 de Geometria, 6 de Aritmética, ou algo semelhante a isso Vou começar falando pela parte de Geometria, que é muito bem definida Em Geometria, se você olhar, você tem muitas questões sobre áreas Tem que saber as fórmulas de áreas? Tem "Ah, mas são muitas, só de triângulas são 7, 8!" Sim, você vai decorar

Além dessas fórmulas que temos, você precisa lembrar de Razão de Área, onde ele divide aquele meu triângulo e pede um pedaço da área Geometria foca bastante em áreas Vai te ajudar bastante Agora, quando formos para a parte de Aritmética "O que eu preciso saber em Aritmética, Leozão?" Filhão, para você mandar bem em Aritmética, tem que saber muito bem: Critério de divisibilidade; Congruência; Conjuntos numéricos Isso é essencial para sua prova Você vai precisar saber E na parte de Álgebra? Nessa parte, você terá Potências e Raízes, Equações do 1º e 2º grau; Função Isso aí é o bizu, o gabarito

Se você estiver ligado nisso, você vai conseguir sua aprovação na parte de Matemática Achou as dicas maneiras? Achou as dicas válidas? Faz o seguinte: segue nosso canal aqui embaixo! Ative as notificações no sininho, sabe por quê? Sempre que tiver coisa nova, você será avisado E aí, para melhorar, me dar uma moral, siga o Leozão nas redes sociais, galera! Segue o @leozaoreal no Twitter e no Instagram Sei que vocês já seguem as redes sociais do ProMilitares, agora ajuda o Leozão, galera Está aí, vou me despedindo, vou ficando por aqui, até o próximo vídeo! Fui!

UFMG realiza primeiro vestibular para curso de licenciatura em Letras-Libras

♪ [Dario] Meu nome é Dario Windmoller, sou diretor da Copeve e estamos, hoje, aqui realizando a primeira edição do Vestibular Letras-Libras Este é um momento muito importante para a Universidade, que tem essa política de inclusão e, para nós, na Copeve, isso é um momento muito importante porque esse processo representou novos desafios para nós, pois ele de deixou de ser um processo convencional, pois nós tivemos que fazer toda uma preparação especial para esse público de surdos

♪ [Giselli] Meu nome é Giselli Silva, sou professora da área de Libras, da Faculdade de Letras da UFMG e coordenadora do colegiado do curso de Letras-Libras O curso de Letras-Libras, esse novo curso de licenciatura proposto pela Faculdade de Letras, é voltado para a formação de professores da Língua de Sinais Brasileira, para a difusão dessa língua na sociedade e ele se organiza, basicamente, em três eixos As atividades didáticas, as disciplinas são voltadas para o conhecimento da área de Linguística da Língua de Sinais, Literatura, especialmente a literatura surda, e também para a formação pedagógica ♪ [Jessica] Meu nome é Jessica e esse é meu sinal Eu vim aqui hoje para fazer a prova de Letras-Libras, esse vestibular, nós estamos muito ansiosas, é uma experiência muito nova para a gente que está aqui iniciando esse vestibular em Letras-Libras

[Milton] Eu sou o Milton, esse é o meu sinal e hoje eu estou aqui na UFMG me preparando para o Vestibular Letras-Libras que vai acontecer aqui hoje e eu estou me preparando para poder passar porque eu já estou, mais ou menos, com uma expectativa de 6 anos, aguardando aqui que tivesse esse vestibular de Letras-Libras, desde então estou me preparando para estar aqui É muito importante ter esse primeiro vestibular aqui de Letras-Libras por entender a importância que tem uma formação acadêmica na minha vida Um momento de aprendizado, de ampliar o meu conhecimento nessa área, de me fortalecer enquanto futuro profissional que vai ensinar Libras para futuros alunos porque eu entendo que o Milton seria um modelo para esses alunos, por isso que eu entendo que é muito importante que a UFMG tenha essa oportunidade e se fortaleça nesse sentido [Giselli] Esse momento, não só da implantação desse novo curso, e agora com o vestibular, é um momento muito especial para a Faculdade de Letras, no sentido de que nós estamos implantando o curso de uma língua brasileira, uma língua minoritária, que vai passar, então, a poder ser ensinada na Faculdade de Letras e também vai dar oportunidade para que a comunidade surda, como uma comunidade linguística minoritária, tenha acesso ao ensino superior, possa se formar como professora de línguas e possa atuar também na difusão dessa língua na sociedade Assim como também para os professores ouvintes possam ter uma formação pedagógica voltada para o ensino de língua

Então, é um momento muito especial, que a gente possa estar realizando esse vestibular e, especialmente, considerando o vestibular que foi todo pensado desde o início em Língua de Sinais Brasileira para dar oportunidade também para os candidatos surdos serem incluídos aqui, na Universidade ♪

Estratégia de matematica:divisão de número decimal por número natural

Eu sou o Gustavo trazendo outro vídeo e hoje eu vou trazer como dividir números decimais por números inteiros é muito simples exemplo quarenta e nove dividido, não vírgula cinco e eu quero compartilhar aqui para cinco inicialmente fingir que essa vírgula não existe por um tempo fazemos primeiro as casas antes da vírgula é isso daqui [49] depois de terminar este começamos a fazer isso [5] ou seja, 49 cabe nove vezes e coloca automaticamente a vírgula e remove 45 de 49 deixou quatro e agora agente reduz os cinco e agora ele se encaixa nove vezes novamente ou seja, o agente precisa fazer as unidades primeiro e depois os decimais ou seja, após a vírgula antes de colocar o resultado, temos que colocar a vírgula, caso contrário você pode esquecer e a conta estará errada esta é uma conta muito simples e aqui vou fazer mais uma conta 98 vírgula 7 dividida por cinco novamente

Como prever doenças a partir da Matemática? | Episódio 63 (Nível II)

O meu projeto tenta estudar sistemas que interagem Por exemplo, o nosso cérebro é uma rede de neurônios que interagem, mas formado por bilhões de neurônios

O nosso coração também é uma rede que interage, mas formada por milhares de células que se comunicam Nós temos nossas redes de amizade também, e tudo isso determina o nosso comportamento e muda o que a gente faz O projeto envolve entender como as nossas interações, as nossas amizades mudam o nosso comportamento, para tentar prever o que vai acontecer no sistema no futuro O que eu gostaria de fazer, na verdade, é o seguinte: eu quero prever o que vai acontecer com a pessoa antes do problema acontecer Então, por exemplo, a gente pode colher dados do funcionamento do seu cérebro, e você está super bem agora

A pergunta é: "O que vai acontecer com você amanhã?" Você toma uma cerveja, toma algum medicamento, você pode ter uma tendência a alguma patologia, você pode desenvolver epilepsia e coisa do tipo O objetivo seria, a partir dos dados do cérebro funcionando agora bem, você quer falar o que vai acontecer amanhã Para isso, a partir do comportamento do todo, você vai ter que montar um quebra-cabeça e tentar entender que cada neurônio tem um tipo de comportamento, que os neurônios conversam com os outros dessa maneira, tem um neurônio que tem muitos amigos, tem um neurônio que tem poucos amigos A partir do dado que está vindo dali, você vai ter que fazer esse quebra-cabeça reverso para chegar nas peças Mas, uma vez que você tem as peças, pode jogar o seu jogo da matemática e tentar falar: "Nessa equação, a coisa importante é essa Se o cara tomar essa droga, é isso que vai mudar nele" Esse é que é o jogo que a gente está jogando agora

Presentación de la asignatura: Matemática I

Saudações queridos alunos O engenheiro Abio Alberto Alvarado Maldonado fala com eles vamos fazer o curso de matemática 1 a propósito neste curso, seremos capazes de resolver equações e inequações de vários tipos quais são as equações são as igualdades nas quais uma variável algébrica que vamos ter está envolvida para resolver as desigualdades que teremos que ver qual é maior e qual é menor, por exemplo, poderemos usar o que é normal e comum, tentaremos maximizar os lucros e minimizar custa neste campo, vamos usar quais são as desigualdades em nossa vida todos os dias seremos capazes de criar funções analisá-los e responder às perguntas levantadas bem amado estudantes, por exemplo, explicaremos brevemente o que é uma função temos uma loja de roupas perfeita o que vamos querer é que é bem sucedido para o qual temos que ver parâmetros diferentes que há localização da loja será muito importante, temos a qualidade do atenção veja, já existem dois parâmetros que vamos analisar na função e sem contar o que é qualidade de serviços, quais são os preços de atendimento ao cliente e outros parâmetros são as funções que teremos que ver que seremos capazes de resolver problemas de trigonometria analítica, por exemplo, distância entre dois pontos fáceis sem distância entre dois pontos pegamos um huincha e medimos mas e se tivermos um ponto em Huancayo e o próximo ponto, temos em Tumbes, então não precisaremos mais usar o huincha, temos que use outro tipo de parâmetros que vem da geometria analítica tudo isso vamos trabalhar em um ambiente de análise de modelos matemáticos que é um modelo matemático se torna uma representação da realidade unidades temáticas na primeira unidade, vamos ver os números reais números reais tornam-se aqueles que são naturais por exemplo 3 metros, 5 litros, 8 quilos e 20 quilômetros representam os números natural com sua respectiva unidade nesta segunda unidade, vamos ver o que as funções são as funções e nós explicamos que vamos analisá-las e vamos temos que colocá-los em paralelo com a nossa realidade, o terceiro ponto que vamos veja a álgebra de funções funções polinomiais funções funções exponenciais racionais tudo isso em um ambiente de aplicativos para nossa realidade, por exemplo, como é a reprodução das células é por bipartição de uma célula é dividida em duas, temos 2 a cada duas em duas, temos quatro estes quatro cada olhar dois, temos em oito perceber que é o duplo duplo duplo e duplo então isso se torna uma função exponencialmente o mesmo se aplica na teoria dos juros bancários no crescimento populacional, uma série de exemplos e aplicações em nossa vida cotidiana e, finalmente, vamos tocar as funções logarítmicas e as trigonometria analítica tudo isso em um ambiente para comparar o uso com Qual é a nossa vida diária, muito obrigado, queridos alunos, por me ouvirem

Qual é a relação entre MÚSICA e MATEMÁTICA?

e aí gente voa salve salve hoje falaremos sobre matemática e música e para discutir sobre esse tema convidamos uma fera que trata sobre essas duas áreas com grande maestria pois ele tem pesquisas de mestrado e doutorado nos dois campos saber essa entrevista foi na varanda de um hotel estávamos lá hospedado em Porto Seguro na Bahia passando as férias em um momento de total descontração e de um papo super agradável falando de coisas muito interessantes sobre matemática e música por exemplo as contribuições de matemáticos como Leonardo Euler e Pitágoras para a música "A primeira experiência que se tem catalogadas da relação matemática e música foi feito por Pitágoras" Construção de instrumentos musicais e a invenção do monocórdio na entrevista ele afirmou que a matemática para os músicos é uma ferramenta e que os músicos vêm a matemática como a leitura da música falou também que a matemática é uma linguagem que interpreta a música de alguma forma e ainda disse que no ensino superior de música matemática se apresenta por meio de partitura algoritmo computação e plano cartesiano "Se você analisar por exemplo partitura musical ela parece um gráfico cartesiano" Eu sou Anderon Miranda e convido todos para desfrutar dos diversos assuntos abordados nesta entrevista no quadro Koisa & Talk aqui no Canal Teorema das Coisas e para abrir o bloco de entrevistas temos a honra de receber Chrisley Bruno Ribeiro Camargos, Doutor Educador e Professor de matemática no Instituto Federal de Minas Gerais IFMG com experiência de pesquisa nas áreas de matemática e educação matemática e em construções de instrumentos musicais Fui músico durante, acho que oito anos eu trabalhei como profissional da música mesmo quando eu ingressei na matemática, vamos dizer assim eu vi algumas relações alí, aquilo o que fazíamos musicalmente principalmente na disciplina de história da matemática que mais chamou a atenção da experiência Pitagórica quando o professor relatou sobre aquilo que eu falei eu quero pesquisar isso certo então acho e então começei a pesquisar isso então acho que foi a partir de 2003 mesmo que meu olhar musical até então né, viu algumas possibilidades de tentar levar a música para matemática certo, não só pegar matemática e matematizar a música, e eu nuca quis fazer isso, na realidade eu quis levar um olhar musical pra música, talvez usando frações, as vezes usando modelos matemáticos, mas em outros momentos usando ouvido, certo, fazendo escala diferentes, usando o ouvido e depois olhar matematicamente como aquilo ficou quais frações estão por trás daquilo a partir do momento que a música ocidental, vamos dizer assim, ela começou a atender a ser o que a gente chama hoje de temperamento igual isso foi possível existem vários músicos por trás disso tá, ok Mas tem Roberto Ramos Pareja Tem vários músicos que trabalharam, vamos dizer assim, esse sistema de afinação que a gente chama de temperamento igual tá, mas um matemático é pensando na contribuição matemática foi importante foi o Leonardo Euler um matemático suíco, que ele estudou como que poderia ser feita a divisão entre uma freqüência inicial, uma frequência com o seu dobro que seria a oitava em 12 partes iguais, isso só foi possível porque na época haviam surgido os logaritmos e a sua inversa que é a exponencial, então ele foi, vamos dizer assim, um cara que contribuiu bastante para isso nesse sistema de analisar, qual que seria a divisão entre essas frequências que a gente chama temperamento igual hoje em dia é possível calcular matematicamente a partir de uma freqüência ao que seria a quinta, qual seria a sétima oitava a freqüência delas seria usando, vamos dizer assim, assim alguns cálculos matemáticos Eu acho que pitágoras também foi um grande um cara que contribuiu muito também é porque foi a primeira experiência que se tem catalogada relações de matemática e música foi feito por Pitágoras

Obviamente a muitos mitos Há uma história contada por Boécios e vários historiadores que ele esticou uma corda né e aí a partir daquela corda ele pressionou no meio da corda, viu que ali daria a oitava foi fazendo várias inferências naquela corda e pegando frações simples isso seria a música pitagórica E essa divisão feita por ele durou muito tempo e me arrisco aqui dizer que é isso deve ter durado uns dois mil anossó começou a surgir outros, vamos dizem assim Obviamente a música no sentido de ela, não vou dizer que ela evoluiu porque eu acho que seria uma palavra muito forte mas ela tomou várias vertentes diferentes e assim obviamente houveram outras afinações outros sistemas de afinações, mas o de Pitágoras a divisão feita por Pitágoras durou muito tempo era uma coisa nas frações utilizadas por ele as divisões do monocórdio para que usou durou bastante tempo

E isso tudo foi foi mudando a partir de outros matemáticos outros músicos estudiosos sobre isso pesquisando esse sistema de temperamento igual que seria de você transpor uma música com um determinado tom diferente certo, sem alterar o sentido musical, vamos dizer assim, o ethos musical então essa era a idéia deles, então acho que Pitágoras foi um cara que contribuiu bastante e Euler também Certo, mas agora pensando musicalmente né meu trabalho de doutorado eu trabalhei com músicos então eu fiquei, vamos dizer assim, dois anos no posto de música fazendo uma pesquisa que eu queria ver o olhar musical deles, né e queria ver também as práticas que eles usavam os músicos usavam nas construções de instrumentos experimentais certo A matemática pra eles é mais, vamos dizer assim é uma ferramenta Há uma prática matemática só que em certos momentos eles usam uma certa prática matemática para fazer algumas aproximações só que a partir do momento que eles chegam e não escutam por exemplo a 8ª certinha, vamos dizer assim, eles começam a fazer, vamos dizer assim a lixar o instrumento e fazer algo artesanal certo, então nos músicos eles vêm a matemática como uma leitura da música, entendeu Eles não acham que a matemática que que tenha contribuído para o desenvolvimento da música dele tenha influenciado eles têm uma visão diferente pode ser que alguns tenham uma visão mais matemática, mas os que trabalharam comigo na pesquisa, eles tem uma visão pouco diferente Eles acham que a matemática é linguagem que interpreta a música de alguma forma mas nós não precisamos da matemática, pra eles, pra fazer música O ensino musical na universidade ele tem algumas universidades, não vou dizer todas mas que é um certo ensino bem tecnicista e é da forma que nós aprendemos matemática também

A idéia de você ficar repetindo escala subindo e descendo escalas a leitura musical se você analisar por exemplo a partitura musical ela parece um gráfico cartesiano né, de duas dimensões tempo e freqüência se você pegar uma partitura ela parece um gráfico em cartesiano Eu acho o seguinte que que a a matemática talvez que um músico que necessite de repente fazer uma composição experimental usando algoritmos isso é possível também entendeu, então ele poderia ter alguma matemática computacional para fazer composições utilizando é certos programas, certos softwares que poderiam auxiliar nessas composições Isso depende muito também, né Qual o caminho que o músico queira seguir acho que se o músico quer ser músico de orquestra e ponto final, eu crio que a matemática que ele precise seria a matemática do cotidiano mesmo, a matemática básica agora se ele quer trabalhar com composições diferentes da música eletroacústica a música eletrônica usar algoritmos para poder tentar fazer uma coisa legal Vamos dizer assim, que é possível fazer também a gente costuma dizer o seguinte música vem muito do sentimento de coração mas você também pode tentar fazer uma programação e ouvir se aquilo tá te agradando se aquilo tá legal certo pode envolver a matemática o algoritmo naquele momento, ok mas também vai depender do caminho que o músico queira seguir Beleza, Chrisley agradeço aqui, né Olá pessoal gostaram da entrevista Caso tenha alguma dúvida pergunta ou sugestão deixe nos comentários conto com todos vocês Até mais

Primer Parcial Matemática (51) CBC – Primer cuatrimestre de 2018

No primeiro exercício, eles nos dizem, escrever como intervalo ou união de intervalos para definir A e definir A é dado pelo "x" pertencente a os reais que enfrentam essa desigualdade 9 de 5 – x menor ou igual a 1

Então começamos com isso, e a primeira coisa que precisamos fazer é passar este 1 subtraindo para que eu permaneça um 0 aqui Sempre fazemos isso nesses tipos de exercícios Então eu vou ter 9 de 5 – x, menos 1, menor ou igual a 0 E agora vamos montar isso, escrever Como uma fração simples Então, a primeira coisa que fazemos é denominador comum Aqui eu tenho um 1 abaixo, e o denominador comum entre 5 – x e 1 Será 5 – x

Quero dizer 5 menos seguir eu posso Divida por isso e por isso Então, para o primeiro termo, fazemos 5 – x dividido 5 – x, isso me dá 1, por 9, 9 Ou seja, dividimos pelo abaixo e multiplique pelo acima, como regra geral menos, e o segundo mandato vai ficar 5 – x dividido 1, me dá 5 – x por 1, 5 – x Tenha cuidado aqui com os parênteses, devemos colocar parênteses por isso menos E isso será menor ou igual a zero

Então eu já escrevi isso como uma fração simples Vou reescrever isso, vamos desenvolver isso Eu vou ficar no numerador 9 menos 5, menos por menos, mais x E eu tenho 5 – x abaixo, tudo isso menor ou igual a zero E agora podemos simplesmente fazer 9 menos 5, isso me dá 4 mais x acima de 5 – x, é menor ou igual a zero Então foi escrito para mim como uma única fração era menor ou igual a zero Então, menor ou igual a 0, o que isso significa? Isso significa que esse resultado deve ser ser um número negativo, negativo ou zero Porque está incluído na desigualdade Então, como é que numa divisão o resultado de dois números, em uma divisão de dois números, o resultado me dá algo negativo? Bem, existem duas possibilidades

Uma é que o numerador é positivo, e que o denominador é negativo ou o negativo positivo oposto Então vamos escrever isso Dizemos que uma possibilidade é que 4 + x ser positivo, será maior ou igual porque aqui eu tenho menos ou igual e que 5 – x é negativo, que é positivo um e negativo o outro, ou vice-versa Seria "ou" que 4 + x é menor ou igual a 0 e que 5 – x é maior ou igual a zero Isso seria um negativo e o outro positivo, ou seja, para me dar um resultado menor que zero, negativo Então tem que ser cumprida ou esta condição ou essa condição, escrevo dessa maneira

Lembre-se de que este símbolo é "e", este é "o", este símbolo, e isso novamente é "e" E agora eu resolvo cada desigualdade separadamente, folga x Então eu vou ficar passo maior ou igual a 4 subtraindo menos 4 "y", agora posso passar o x então eu tenho x deste lado e 5 deste lado, "o" e aqui o mesmo, menor ou igual a -4 "e" me cabe dessa maneira E agora temos que resolver cada um destes separadamente Nós desenhamos o eixo, Colocamos os números, eu tenho -4 e 5

Vamos colocar o -4 aqui, 5 aqui Então, este primeiro diz-me "x maior ou igual a -4" Isso seria de menos 4, todos os números para a direita E isso me diz que "x é maior ou igual a 5" Ou seja, seria de 5 para a direita também

Então eu tenho que procurar o cruzamento Quando temos esse símbolo temos que procurar o cruzamento, a interseção é aqui onde as linhas se cruzam Isso seria de 5 a mais infinito Lembre-se de que o infinito está sempre aberto E fazemos o mesmo aqui Nós fazemos o eixo, colocamos os números -4 e 5 e aqui temos x menor ou igual a -4 isto é, seria daqui para este lado, yx menor ou igual a 5 Seria de 5 também para a esquerda

Todos os números menores O cruzamento foi aqui Então seria menos infinito agora até -4 E aqui eu tenho que fazer a união, Seria a união entre esses dois intervalos Então redesenhamos o eixo, este é o eixo x, colocamos o -4 e o 5 novamente e temos 5 ainda mais infinito, seria isso, e o outro é menos infinito em -4, seria assim

Por que eu faço isso de novo? Bem, para ver se os intervalos se cruzam ou não, para ver como eu escrevo a solução final Então a solução final neste caso Vou escrevê-lo como um sindicato Mas você tem que ter cuidado note que na solução eu estava 5 incluído Mas se eu substituir o 5 aqui Eu tenho 5 menos 5, 0 9 de 0 não podem ser feitos Então, se eu acho isso como uma função Eu tenho que assumir o controle desta função

Em outras palavras, o domínio de 9 sobre 5-x pensado como uma função todos são reais, exceto 5 ou seja, 5, portanto, não pode ser uma solução para isso Então eu vou excluir Ficarei com a solução como de menos infinito a -4 incluído, união, parênteses 5 a mais infinito Ou seja, excluo 5 Isso é importante Lembre-se disso E essa seria a solução para o problema 1 No segundo problema, eles nos dão uma função linear, mx mais 9, onde m é desconhecido, Esta é a inclinação e 9 é a ordem de origem

E nos diz para encontrar o valor da inclinação, de m, para o qual f (5) é igual a menos 1 Então vamos começar por aí Eu tenho que f (x) é mx + 9 e eles nos dizem que f (5) é igual a -1 Mas o que é f (5)? f (5) é substituir x por 5 aqui então seria m por 5 mais 9 Então aqui eu tinha uma equação onde eu posso limpar o m

Então, para isso eu tenho dois termos aqui, gastamos os 9 subtraindo para esse lado, então eu tenho -1-9 m igual a 5 -1-9 são -10 iguais m por 5 E agora eu gasto 5 dividindo para este lado então eu tenho -10 de 5 iguais m Fazemos a conta e isso é menos 2 E essa é a inclinação, que é o que ele nos pede A primeira parte do exercício

A segunda parte nos diz para o valor encontrado, para esse valor de inclinação, determinar os pontos em que o gráfico de f corta os eixos de coordenadas Lembre-se de quais são os eixos de coordenadas Os eixos de coordenadas são simplesmente o eixo "x" e o eixo "y" onde se representa graficamente a função O eixo x é chamado de eixo "abscissa", e este é o eixo das "ordenadas" Então, como posso calcular o corte com o eixo x? Bem, o que temos que fazer é igual à função f (x) a zero, ou seja, quando o valor da função, que é o ordenado, ok 0, estamos no eixo x

Então, nossa função, como foi? Era m vezes x mais b (mais 9, a ordenada na origem era 9) E "m" nós tínhamos calculado, isso é igual a -2 vezes "x" mais 9, e isso é igual a zero Então, a partir daqui, simplesmente limpamos "x" Passamos os 9 subtraindo, então eu tenho -9 o mesmo para -2 por "x", e vamos para -2 dividindo aqui -9 acima de -2 igual a "x"

Então finalmente "x" ainda tenho 9/2 Esse seria o corte com o eixo "x" E vamos ao corte com o eixo "y" O corte com o eixo "y" corresponde a este eixo, e aí tornamos "x" igual a zero Então, temos que simplesmente calcular f (0)

Isso seria m por 0 mais 9, é substituir o "x" por 0 Valeu -2, da mesma forma isso me dá zero, então eu tenho 9 Então o corte com o eixo "e" é 9, que este é apenas o "ordenado para originar" é a definição da ordenada à origem, onde é cortada no eixo "y" E aí temos tudo o que o exercício 2 nos pede No exercício 3, eles nos perguntam dar o domínio e a equação da assíntota horizontal desta função

Esta função é 5 x + 2 sobre x quadrado menos x menos 20 é uma função linear acima, e um quadrático no denominador Então, vamos começar com o domínio Para obter o domínio, lembre-se de que Em cada tipo de função é diferente Neste caso, como é uma divisão, como é uma fração o que temos que aumentar é que o denominador é diferente de 0 Desde que a função seja desse tipo, uma divisão de polinômios, o denominador é diferente de 0

Então escrevemos a expressão denominador o que é isso, e dizemos que tem que ser diferente de zero porque não podemos dividir por zero Então nós temos que resolver o quadrático Para resolver o quadrático Vamos usar a fórmula, eu lembro Esta é a fórmula do resolvedor, do quadrático, onde a, bec são os coeficientes polinomiais Grau 2, neste caso Como seria aqui? Temos a, bec

O "a" é o único multiplique o quadrado "x" Como não há número, um 1 vai O "b" é aquele que multiplica o "x", para o termo linear Como diz menos "x", o "b" é -1, É o que multiplica o "x" e o "c" é o termo independente, É aquele que não tem x, é -20

Em seguida, substituímos esses valores na fórmula, E nós apenas fazemos a conta Então ficaremos à esquerda, -b seria – (- 1) Vou escrever explicitamente, mais menos, "b" ao quadrado, ou seja, raiz quadrada de "b" ao quadrado, ou seja, -1 ao quadrado, menos 4 vezes "a", que é 1 vezes "c", que é -20 Permanece assim dentro da raiz E abaixo, duas vezes "a", duas vezes 1 ("a" é 1) E agora nós fazemos as contas

Menos por menos, temos mais, sempre tenha cuidado com os sinais, e aqui dentro da raiz, o que me resta? -1 ao quadrado, isso é 1, e aqui estarei menos por menos, mais, Serei positivo, então eu coloco mais e eu faço 4 por 1 por 20, o que me dá 80, raiz quadrada de tudo isso, e abaixo eu tenho 2 para 1, 2 Isso é igual a 1, mais menos Farei isso diretamente em uma etapa, 80 + 1 é 81, a raiz quadrada de 81 é 9 Bem, eu vou escrever aqui, é assim que eles têm A raiz de 81 está acima de 2 A raiz de 81 é 9, Eu tenho cerca de 2

Então aqui eles me dão Dois resultados Vou ter um x1, que é um mais 9 sobre 2, Isso me dá 10 de 2, o que me dá 5, e um x2, que é o mínimo 1 menos 9 sobre 2, 1 menos 9 é -8 e isso me dá 8 dividido por dois, 4, ou seja, -4 Então esses são os dois valores que eu tenho que excluir do domínio da função Então, o domínio, eu escrevo assim, o domínio de f será tudo real menos esses dois valores que cheguei aqui, menos -4 e 5 Coloque isso em ordem, primeiro o menor e depois o maior

Bem, esse seria o domínio da função, Esta é a primeira coisa que o exercício me pede Vamos para o segundo que nos pede, qual é a equação da assíntota horizontal A assíntota horizontal, como a calculamos? Temos que fazer o limite quando x tende ao infinito da função f Isso é geral Sempre que eles pedem o Assíntota horizontal, fazemos isso

Isso vai me dar um valor em "e" Eu escrevo o limite x tendendo ao infinito e escrevo a expressão da função Isso é 5x + 2, sobre x quadrado -x -20 E agora eu tenho que ver como calcular esse limite A primeira coisa que podemos fazer é "substituir" no "x" infinito, entre aspas substitua, Eu tenho que substituir um número muito grande

Quando x tende ao infinito, tudo acima tende ao infinito, e a mesma coisa acontece abaixo Então eu tenho uma indeterminação, infinito sobre infinito Eu tenho que salvar a indeterminação Como faço isso? Bem, o que eu vou fazer é olhe para o numerador qual é a nota do polinômio que eu tenho É um polinômio de 1 grande, porque eu tenho um "x" e abaixo eu tenho um polinômio de grau 2, eu tenho um quadrado "x"

Então, o que eu vou fazer é dividir para cima e para baixo, em cada termo dividido por "x" todos os itens acima e o mesmo com os itens abaixo Eu divido por "x" para cima e para baixo, ou seja, eu escolho A menor nota entre os dois Se o acima for de grau 1 e o de baixo de grau 2, Eu escolho a primeira série, a menor E como isso se encaixa em mim? Limite quando "x" tende ao infinito e agora eu me separo Eu vou ficar, 5x sobre x, mais 2 em x acima, ou seja, eu separei aqui, e aqui faço o mesmo, vou ter 3 termos

Ficarei, x quadrado em x, menos x sobre x, menos 20 sobre x Estou aplicando propriedade distributiva para uma divisão E agora eu simplifico O que posso simplificar? Eu posso simplificar esse x, eu posso simplificar aqui esta praça com esse x, e este x também com este x Aqui eu tenho "alguns", e aqui também, certo? Alguns, e aqui abaixo um

Então eu finalmente tenho isso, limite quando x tende ao infinito, de quê? 5 vezes 1 de 1, são 5 2 em x Deixo assim, não posso fazer nada E abaixo eu tenho x mais de 1, que é x, menos 1 sobre 1, é 1, e -20 em x, deixo o mesmo E agora vejo o quanto tudo tende Por exemplo, aqui eu tenho 2 sobre x, quando x tende ao infinito, tenho 2 sobre o infinito, ou seja, 0

Lembre-se de que um número acima do infinito me dá 0 Aqui o mesmo, eu tenho um número infinito tende a 0 Então esses dois termos iriam embora Estes dois, este tende a 5, este tende a menos 1, e o x tem infinito Então eu saí um número dividido infinito e que é 0

Então esse limite acaba me dando 0 Então dizemos que a assíntota horizontal corresponde a = 0 Essa seria a resposta do segundo que nos pede o problema 3 do exame Lembre-se destas regras Um número, eu vou escrever Aqui vou escrever para você

Um número "a" acima do infinito tende a zero, e um número "a" acima de zero tende ao infinito Isso pode ser tomado como uma regra de limites E isso seria problema 3 No problema 4, somos solicitados a encontrar todos os x pertencente ao intervalo 0,2 pi, de modo que esta equação seja cumprida Esta equação é cosseno de x mais pi, igual a menos raiz de 3 sobre 2

Então, para isso, a primeira coisa que precisamos fazer é desenhe o que é chamado de circunferência trigonométrica, colocamos os eixos e temos que localizar este menos raiz de 3 sobre 2 Onde está localizado? Bem, primeiro temos que ver Que papel temos aqui? Nós temos o cosseno O cosseno, temos que lembrar que nesta circunstância trigonométrica está localizado no o eixo horizontal Se fosse o peito, seria localizado no eixo vertical Lembre-se de que este é 1, este é 1, Isso é -1 e isso é -1 Em outras palavras, é um círculo cujo raio vale 1, Isso está definido

Então menos raiz de 3 sobre 2, terminará o eixo horizontal porque é o cosseno, e será deste lado, porque é negativo Então vamos localizá-lo aqui Se você deseja localizá-lo exatamente, pode fazer a conta na calculadora e veja exatamente onde está Mas para ter uma referência, vamos localizá-la em algum lugar Há Bem, e então o que temos que fazer, então aqui vamos fazer assim, nesse ponto é a menor raiz de 3 sobre 2 E agora eu desenho essas linhas pontilhadas, verticais, e chego a dois pontos da circunferência, isso e isso Aqueles vão fazer basicamente Minhas duas soluções para o problema

Como eles representam? Bem, eles representam um ângulo, por exemplo isso, esse ponto aquele com a origem, e eu digo que o ângulo que se forma, que é o que eu Eu preciso procurar esse aqui Lembre-se que temos que medir os ângulos em radianos, de modo que uma volta inteira Eles são 2 pi, 2 pi radianos Então, como eu faço Eu fiz essa mesa aqui Esta tabela nos mostra como calcular o cosseno e seno para cada um desses ângulos, sim? Então, o que eu tenho que fazer basicamente como eu tenho o cosseno, vou olhar para esta linha, e como o valor do cosseno é a raiz de 3 sobre 2, Eu tenho essa raiz de 3 sobre 2, agora vemos Como levamos em conta o sinal negativo Mas, por enquanto, temos esse valor

Este valor corresponde a pi acima de 6 Então, pi acima de 6, todos esses ângulos correspondem ao primeiro quadrante, qual é esse aqui Pi com mais de 6 anos estará aqui, Corresponderá a esse ângulo aqui Este é o pi acima de 6 Então, na verdade, raiz de 3 sobre 2 estaria por aqui, essa é a raiz de 3 sobre 2 Então, por simetria, este ponto vai estar na mesma altura que a temos lá, ou seja, se a raiz de 3 sobre 2 está aqui e este é menos raiz de 3 sobre 2, Esses pontos estão na mesma altura

Então, o que temos que perceber é que esse ângulo é o mesmo que esse ângulo Esses dois ângulos são iguais, valem pi acima de 6 Então, como posso calcular este aqui? Bem, eu vou calcular esse ângulo como, vamos fazer isso, esse ângulo vai ser pi menos pi acima de 6, por quê? Porque para tudo isso que é pi, Descanso isso daqui que é pi mais de 6 O abaixo também medirá pi mais de 6 e eu tenho que fazer toda essa rodada Então o outro ângulo, o que vai ser esse aqui eu estou marcando aqui Vou escrever como pi mais, agora, pi acima de 6

Bem, essas são minhas duas soluções Agora eu no cosseno tenho x mais pi Então eu vou dizer que por um lado vamos colocar a), vou dizer que x + pi que é o que eu tenho aqui, isso tem que ser igual a pi menos pi mais de seis, mais 2k pi Lembre-se de que esse pi 2k significa percorrer todo o caminho, isto é, se eu tiver uma solução aqui e eu der todo o voltar eu tenho a mesma solução novamente E se eu fizer a mesma coisa duas vezes

E se eu girar para do outro lado, que seria no sentido negativo, o mesmo, Eu tenho a mesma solução Este é o significado de 2k pi Bem, e o próximo passo é limpar x Aqui x claro está dentro de tudo simples, é simplesmente simplificar esse pi E já está claro Isso corresponderia a esta solução

E a outra solução é essa Então o caso b) será, novamente, x + pi, esse x + pi sai daqui, lembre-se, isso vai ser igual a pi mais pi mais de 6 que é a minha solução que encontrei, mais uma vez, mais 2k pi E x claro Novamente, para simplificar o pi existente e eu já limpei x em ambos os casos E agora o que tenho que fazer é dar valores para k, valores inteiros, positivos ou negativos, e Vou encontrar soluções infinitas

Eu tenho que manter as soluções restantes nesse intervalo Nós vamos fazer isso Bem, o que eu fiz aqui é desenhar primeiro o eixo x com os limites solicitados pela declaração Ele nos pede que as soluções estejam contidas no intervalo de 0 a 2 pi Portanto, as soluções precisam cair aqui

Caso a) mantivemos o mesmo menos pi acima de 6 mais 2k pi Começo dando valores ak, valores inteiros Vamos começar com k igual a zero Com k igual a 0 Eu vou ter x igual a menos pi acima de 6 mais duas vezes zero por pi Duas vezes 0 vezes pi é zero, então x neste caso Eu tenho menos pi acima de 6

Essa é uma solução que eu acho o problema Mas o que acontece? -pi acima de 6, onde está localizado aqui? Se aqui for 0, -pi acima de 6 estará aqui, será à esquerda de 0, então está fora do meu alcance Está fora Portanto, esta solução não vai Vamos tentar com k igual a 1

Com k igual a 1, tenho x igual a menos pi acima de 6, Eu estou substituindo nesta expressão Menos pi acima de 6 mais 2, por k, k é igual a 1, então é 2 vezes 1 vezes pi O que me resta? Menos pi mais de 6, 2 vezes 1 é 2 então é 2 por pi E fazendo a contagem, você pode fazer isso com a calculadora, por exemplo, Isso dá 11/6 2 pi menos pi acima de 6 me dão 11/6 de pi

11/6 se você faz, por exemplo a conta na calculadora, fornecerá a eles menos de 2, isso lhes dará 1 vírgula Então estará dentro do alcance Vai ser menor que 2, que esse 2, então 11/6 será, por exemplo, aqui, 11/6 do pi Então isso vai ser um solução correta dentro do intervalo Nós vamos com k igual a 2, continuo

Isso vai ser menos pi ao longo de seis mais 2 por k por pi, então é 2 vezes 2 por pi Isso é menos pi em 6, 2 vezes 2 é 4, 4 pi, e isso me dá 23/6 de pi Bem, e isso está fora do intervalo, está aqui, 23/6 do pi Então este está lá fora, então não vai Então, por enquanto, eu tenho essa solução, nada mais

Então, paro de dar valores positivos para k, porque tenho certeza que estou fora de alcance Vamos dar valores negativos, k igual a -1 Isso seria x igual a -pi em mais seis 2 por k por pi k é -1 agora, é -1 vezes pi Isso é -pi acima de 6, 2 vezes -1 eu tenho -2, e fazendo Essa conta nos fornecerá menos 13/6 do pi

13/6 é maior que 2, então isso é -2 comer alguma coisa, de pi Bem, se for negativo, eu já deixei o intervalo, então isso vai estar aqui, este é -13/6 do pi Portanto, isso também não acontece Então é isso Se eu continuar dando valores Eu irei mais negativo

Portanto, no caso a), recebi esta solução exclusiva Vamos para o caso b) Fazemos o mesmo Começamos com k igual a 0 Com k igual a 0 Eu tenho x pi igual a 6, mais 2 vezes 0 para pi, isso é pi acima de 6

pi acima de 6 vai estar aqui, Está dentro da faixa, então esta é uma solução Nós vamos com k igual a 1 x pi igual a 6 mais 2 vezes 1 por pi, Eu vou mais rápido porque é simplesmente substitua o k Se fizermos essa conta, isso nos dará 13/6 do pi E isso vai ficar do lado de fora, estará aqui, 13/6 pi Então paro de dar valores positivos para k

Nós vamos com k igual a -1, isso é pi mais de seis mais 2 vezes -1 por pi, e se fizermos essa conta, isso nos dá -11/6 de pi E isso entra ou não entra no intervalo? Observe que é negativo, por isso tenho certeza no lado esquerdo, para que não entre Então, no caso b) eu só tinha essa solução Então eu tenho isso e isso, São as únicas duas soluções que tenho Então, a solução do problema São esses dois pontos Tente colocá-lo sempre em ordem, do menor para o maior

Este é menor que este Então, eu tenho pi acima de 6 e 11/6 de pi Essa seria a solução do exercício 4

LA MATEMATICA: FONDAMENTO DI UNA SOCIETÀ EQUA E MODERNA | Lorella Carimali | TEDxLivorno

Tradutor: Michele Gianella Revisor: Federico MINELLE Eu tenho que quebrar o gelo E o que um professor pode fazer para quebrar o gelo, se não for uma pergunta? Tens medo? Não, oh bem, desta vez eu deixei para lá

Mas eu quero quebrar o gelo fazendo uma mini-pesquisa para conhecê-lo e para me conhecer Quem gosta de matemática levanta as mãos Estou quase em casa Quem era bom em matemática na época? Um pouco menos Quem acha que o talento matemático é inato? Ok, vou manter isso em mente

Agora que te conheci, me apresento Eu acho que a matemática é a base de uma sociedade justa, justa e democrática Por esse motivo, Eu reformulei esta bela frase do Prêmio Nobel de Malala, e eu reformulei assim: "Uma criança, uma criança, um professor, um livro, uma caneta e matemática podem mudar o mundo " Quem concorda comigo em adicionar matemática? Oh mãe, eles estão diminuindo, bem Sim, eles estão diminuindo

Eu sempre vejo isso Por quê? Porque cada um de vocês terá lembrado: "Oh Deus, o que a matemática tem a ver com justiça? Tive uma dor de estômago quando fiz o trabalho de matemática Não dormi à noite para me preparar " Bem, eu escolhi estudar matemática e ser professor de matemática porque para mim foi fundamental fornecer as ferramentas críticas e culturais para estudantes e estudantes mudar este mundo, mudá-lo para melhor E a matemática é fundamental

O que eu quero fazer com você hoje é fazer você entender e te levar nesse meu caminho, então vamos ver qual conexão existe entre matemática, justiça e equidade Mas eu preciso que você esteja comigo, tentando ir além do horizonte e entender que é necessária uma visão diferente da matemática e, portanto, de um modelo diferente de matemática Eu irei, ou pelo menos tentarei fazê-lo, seguindo um raciocínio matemático O que a matemática faz primeiro? Faça uma análise da situação, E a análise da situação, o que é? Vamos ver o que é matemática Não quero fazer isso com minhas palavras: seria muito simples, e você poderia me dizer: "Não é assim"

Eu faço isso com algumas frases escrito por meus ex-alunos e meus ex-alunos, quando eles terminaram o ensino médio E para que possamos ver o que? Chiara, que é o último ano da medicina hoje, ele escreveu isso para mim: "Obrigado por me mostrar a matemática não apenas como um conjunto de fórmulas, mas como um modo de encarar a vida simplificando-o graças ao raciocínio e imaginação " O quinto eu o que meus colegas disseram "uma classe de pessoas desesperadas", por engano porque pessoas que, como você verá, podem escrever isso eles não têm esperança, na verdade eles têm muito, é isso "Obrigado por nos dar liberdade e por ter nos ensinado a raciocinar e viver " O último é Bianca

Bianca é o último ano da Física, e ela escreveu isso para mim: "Obrigado por me dar olhos para procurar novas terras" E nesse ponto eu, quando encontrei essas frases, Eu disse: eu, com minhas horas de matemática, minhas integrais, minhas coisas, eu fiz isso? Bem, então eles me mostraram o caminho a percorrer, ainda mais e pense em mudar esse método de ensino Mas a matemática, por quê? Matemática é, como meus alunos e meus alunos disseram, liberdade e força libertadora O que eles escreveram para eles? Esta é uma ferramenta poderosa o que nos permite ser o que queremos ser, além de estereótipos e preconceitos Olha, eles escreveram isso: viver, matemática é vida, é uma maneira de simplificar a vida

Mas porque é isso? Quem nos diz? Daniel Kahneman nos diz isso Daniel Kahneman é psicólogo, Prêmio Nobel de 2002 em economia Ele trabalhou na teoria da decisão Se você pensar bem, decidimos a todo momento Uma estatística nos diz que, em um dia, nós decidimos 35

000 vezes E temos certeza de que essas decisões eles são apenas nossos ou não são condicionados? Você decidiu vir aqui hoje Se você não tivesse vindo aqui, provavelmente você não seria o que será quando sair daqui Então isso é fundamental Mas essas decisões, como as tomamos? A maioria das decisões, Daniel Kahneman nos diz, eles são tomados com base no que ele chama de "Sistema um"

Que é um sistema rápido, age rapidamente; mas é estereotipado, e é baseado acima de tudo em emoções e memórias, o que a barriga nos diz Mas a decisão como esta – temos certeza de que as estratégias que adotamos e as decisões que tomamos com esse sistema eles são nossos e não são resultado de estereótipos? Vou mostrar um estereótipo muito simples: se você conhece um homem – eu digo um homem porque com uma mulher ainda seria maximizada, e teríamos uma questão de gênero que eu não quero colocar – e pergunte a esse homem: "Que trabalho você faz?" E ele responde: "Eu faço o intelectual" O que você acha que eu faço? A maioria das pessoas diz: "O filósofo", "Um escritor" – meus alunos dizem: "Nada", no entanto, sério, vamos deixar isso Ele responde: "Sou matemático e trabalho no Cern em Genebra" Bem, ainda assim, ninguém responde dessa maneira

Por quê? Porque existe o estereótipo que matemáticos e cientistas e assim por diante eles são simplesmente técnicos, e não faça trabalho intelectual Então Daniel Kahneman nos diz que se queremos decidir conscientemente você deve ativar o que ele chama de "Sistema Dois" Que é um sistema, como ele diz, educado e educável, racional, lógico, mas lento E assim, se queremos que nossas decisões sejam nossas, devemos ativar esse segundo sistema, treiná-lo E torná-lo capaz de controlar se as soluções retiradas do sistema um estiverem corretas

Bem, este sistema dois não é nada além de, para mim, pensamento matemático Ou seja, diante de um problema: fazendo análise de dados; entender quais são os fundamentais e quais são os acessórios; estabelecer uma estratégia; verificá-lo; se cometer um erro, redefina-o e vá direto à meta Isso é pensamento matemático, e isso nos dá a liberdade que meus alunos disseram, portanto, deve se tornar rápido Bem, mas você me diz: "O que isso importa, Lorella, justiça?" E então vamos ver o que é justiça Considere Ulpiano: Ulpiano é um dos maiores juristas romanos, se não o maior jurista romano, e ele nos diz que a justiça é: "A constante e constante vontade dar a todos o que é seu direito "

Sen, filósofo e economista indiano que lida com direitos civis, o que isso nos diz? "O conceito de desigualdade não consiste apenas em desigualdade de renda, mas acima de tudo na desigualdade de oportunidades, de possibilidades, de escolha, de liberdade individual É essencial para cada indivíduo tenha liberdade para decidir como se conceber "" Então, se um estado deve dar a cada um a liberdade de se tornar o que você quer ser, e as mesmas oportunidades, isso significa que um método matemático deve trazer competência matemática para todos e para todos Aqui, então, está o modelo de ensino de matemática deve ser fundada, antes de tudo, nisso – desculpe-me sempre o jargão matemático – sobre o que é um axioma fundamental: "Nem um, nem menos, em matemática e na vida" Porque mesmo que eu deixe uma pessoa de fora, Eu esqueço uma pessoa e, portanto, o Estado acaba sendo um estado que não é justo e não é justo

Mas então você vai me dizer: "Como fazer isso, Lorella? Qual é a segunda coisa?" Temos que ir – vamos sempre lembrar o que dissemos no começo – além do horizonte, pense em algo que não existe Temos que mudar a figura do professor, e ensino de matemática Então faça o que? Faça outra coisa, de acordo com o axioma: "A matemática é para todos e para todos" Então eles não existem – foi por isso que fiz você levantar as mãos – não há pessoas sem instalações; existem apenas pessoas não treinadas, ou pessoas condicionadas por estereótipos Quem nos diz? Carol Dweck diz: Carol Dweck é psicóloga cognitiva em Stanford, a referência mundial da psicologia cognitiva e social

Ela nos diz que estou sozinha condições familiares e escolares que de alguma forma condicionam o desenvolvimento do talento Então o que você deve fazer? Ela sempre nos diz o professor – e aconselha pais e professores, que é isso: sempre forneça situações desafiadoras para seus filhos e filhas, estudantes e estudantes, deixe-os aplicar E recompensar o compromisso, não o desempenho, porque é apenas em situações desafiadoras que esse modo de proceder se desenvolve Porque se a matemática é uma forma de pensamento, é uma maneira de encarar a vida, Eu tenho que treinar o pensamento matemático como se eu estivesse na academia; então eu tenho que trabalhar meus músculos, Eu tenho que desenvolver a capacidade adivinhar, imaginar, planejar, deduzir e controlar, para medir e quantificar fenômenos e fatos da realidade Isso é importante

Situações tão desafiadoras, por quê? Porque de qualquer maneira, o erro não é um limite, mas uma oportunidade Uma oportunidade de reflexão e crescimento Então você viu que matemática, justiça e equidade andam de mãos dadas Mas então continua sendo um desafio final que eu gostaria de poder lutar com você, que é isso: Itália e muitos países, eles estão no fundo do analfabetismo funcional no que diz respeito à matemática; então matemática, se o nosso é um estado justo e justo, deve entrar em todas as casas Não apenas em meninos e meninas, mas em todos nós, em todos os adultos

E este é o nosso último desafio, e é para obter matemática em todos os lugares Talvez alguém esteja pensando que isso é utopia, nunca vai acontecer, e que matemática eu sou Eu digo que você só precisa encontrar a estratégia certa Porque, como disse o grande Adriano Olivetti, "O termo utopia é a maneira mais confortável liquidar o que você não quer, habilidade ou coragem para fazer Um sonho é sempre um sonho, até que comece em algum lugar Só então isso se torna um objetivo, ou seja, algo infinitamente maior "

E hoje, o sonho de Lorella isso não pode ser realizado sem agradecer a você também E, portanto, sonhamos juntos Obrigado (Aplausos)

La Matematica da Razionalità – La Matematica [1998][#1] | Alberto Milano

ELE É ALBERTO WINEMAKER E PINTOR E FALARÁ SOBRE ARTE E VINHO ASSINARÁ PARA NÃO PERDER NOVOS VÍDEOS Substancialmente, a matemática é a ciência exata, absoluta, que liberta o homem da superstição O assunto é matemática

São quatro pinturas pintadas em 1998 Eles são numerados, mas não têm nome Este é o primeiro: não por acaso eles estão numerados O personagem, representando o ser humano, está em uma espécie de cilindro opaco e ele está gritando de angústia e está pedindo ajuda Que tipo de ajuda a matemática pode dar? É a racionalidade

Isto é a coisa mais importante: sem matemática talvez pudéssemos tempo para deuses, mitos, unicórnios e assim por diante (a literatura havia sido tocada por esses sujeitos, mas não a matemática) Eu gostei desse tipo de onda senoidal que eu pintei por último porque emoldurou o personagem de uma maneira diferente Deu uma espécie de primeiro plano movendo um pouco o personagem para trás